Blogs | Newsletter | Fale Conosco |
Cidade

Desabastecimento de água afeta 40% dos imóveis em Toledo

04/04/2013 às 09:00 - Atualizado em 03/04/2013 às 17:00

Janaí Vieira

O morador desta residência no Jardim Coopagro só percebeu a falta de água quando foi regar as plantas: a caixa d´água garantiu o abastecimento

 

Durante toda a manhã e no início da tarde desta quarta-feira (3), 40% dos imóveis de Toledo ficaram sem água potável. O desabastecimento foi resultado do rompimento da distribuição em decorrência da alteração das características e qualidade da água do rio Toledo. Equipes da Sanepar identificaram, na madrugada de ontem, a presença de substâncias que modificaram a cor e o cheiro da água que abastece estes imóveis.

De acordo com o gerente regional de Toledo, Fábio Leal Oliveira, ao identificar a sustância, o sistema foi paralisado bem como a água, que já havia sido captada, descarregada. “Amostras foram encaminhadas para Cascavel que irá apurar o elemento que trouxe esta alteração à qualidade da água e vamos investigar de onde veio este produto”, revela Oliveira, assegurando que não se trata de algum tipo de veneno. “O caso será investigado pela Sanepar e também comunicamos ao IAP que fará as apurações”, complementa.

A captação de água do rio Toledo acontece em uma unidade instalada às margens da BR – 467, saída para Cascavel. Ao redor deste manancial estão instaladas também propriedades rurais e empresas de diversos segmentos.

 

PREJUÍZOS

Além de rompimentos de rede e ramais, o maior prejuízo ficou na conta do consumidor. Mesmo que a suspensão da captação e o tratamento da água vinda deste manancial tenha ocorrido das 2 às 7 horas de quarta-feira, a distribuição foi gradativa e o período sem água foi muito longo para muitas pessoas.

As regiões afetadas compreenderam o Jardim La Salle, Filadélfia, Coopagro, Tocantins, Industrial, Gisele, Santa Maria e Vila Becker. Parte das residências do Centro que não possuíam reservatório domiciliar, também ficaram desabastecidas temporariamente.

No entanto, na região do Coopagro, outro agravante estendeu o período de ‘seca’. Uma intervenção no sistema, com a instalação de equipamentos, foi realizada e ainda na metade da tarde a água não estava nas torneiras dos imóveis. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade