Esporte

Milton Mendes diz que Vasco terá duas mudanças e pode barrar Nenê no domingo

Debaixo de muita chuva, o técnico Milton Mendes comandou nesta sexta-feira um treino tático para preparar o Vasco para o confronto diante do Bahia no domingo, em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro. O comandante cruzmaltino fez mistério em relação à escalação para a partida, mas confirmou que o time carioca terá duas mudanças.

"Nossa participação no treino foi boa, apesar da chuva. Fomos para o campo anexo para pouparmos o campo principal. Com a chegada dos zagueiros, nosso leque de opções aumenta e a qualidade também. Eu irei fazer duas mexidas no jogo, mas no momento certo todos saberão. Ainda não comuniquei aos jogadores", disse.

Milton confirmou que uma das mudanças será a entrada de um dos zagueiros recém-contratados. Como Breno vem de um longo período sem atuar, Paulão deve entrar na vaga de Jomar. Sobre a outra alteração, o treinador foi menos claro. Ele disse que será uma decisão "mais difícil" e deu indícios de que Nenê pode ser barrado.

"O treinador não muda de um jogo para o outro. Junta opiniões e vai amadurecendo. Um deles (zagueiro) vai jogar. Isso faz com que a gente analise. A outra decisão, a mais difícil, foi em cima de rendimento. A equipe estava perdendo um pouco de velocidade. Espero que o jogador (que vai sair) entenda. Vem de uma baixa de rendimento recente. Chegamos a uma conclusão", avisou.

O Vasco terá pela frente um Bahia cheio de mudanças, focado na decisão da Copa do Nordeste, quarta-feira que vem, diante do Sport. Mas Milton Mendes não espera facilidade para o duelo. "O Guto (Ferreira) deverá fazer algumas mudanças. Ele tem feito um bom trabalho e tem bons jogadores. Mesmo que troque algumas peças, continuará sendo um adversário muito difícil. O Bahia é uma equipe rápida e que pressiona, sempre muito forte."

E para empurrar os donos da casa, o treinador pediu o apoio da torcida ao longo de todo o jogo. "O torcedor é fundamental. Se tiver que se posicionar, que seja depois do apito final. Eles não conseguem imaginar o quanto são importantes. É como se estivéssemos criticando a nós mesmos. Espero que venham para nos apoiar. Quando se tem 90 minutos, o gol pode sair no primeiro ou no último. Tem que torcer muito do início ao fim."