Artigos
Pedágio urbano deve ser instalado em Nova York

Nova York pode ser a primeira cidade dos Estados Unidos a instalar um pedágio urbano. Se o projeto for confirmado, os motoristas que desejarem entrar nas ruas centrais da ilha de Manhattan terão que pagar cerca de R$ 40 pelo acesso.

A decisão deve reduzir o número de veículos circulando pelo distrito considerado o coração financeiro dos Estados Unidos, que abriga também alguns dos principais pontos turísticos da cidade. O pedágio já é utilizado em outras grandes cidades do mundo como Londres, Singapura e Estocolmo. Estas capitais apresentaram resultados positivos depois de adotar o sistema.

Além da melhoria do trânsito e da qualidade do ar, a medida permite contribuir com os projetos de investimento em transporte público e infraestrutura urbana. Segundo John Rennie, professor de políticas públicas da Universidade de Maryland, em entrevista o jornal USA Today, o sistema pode funcionar em Nova York, embora na prática, algumas questões ainda precisam ser analisadas.

Já na opinião de outros especialistas, o trânsito não deve melhorar tanto com a medida, pois boa parte dos nova iorquinos que acessam a região têm condições de absorver os custos extra com o pedágio e continuar viajando para Manhattan com seus veículos. Outros, porém, podem aderir aos serviços de transporte individual como Uber e Lyft. O que menos se espera é que as pessoas optem pelo transporte público.

Sobre as instalações, será necessário o uso de câmeras de leitura para as placas dos carros e o equipamento de cobrança. A área pedagiada deverá ficar ao sul do Central Park e o preço para cada veículo circular deve superar os US$ 10. De qualquer maneira, o valor arrecadado será destinado à melhoria do transporte público. O pedágio pode entrar em funcionamento a partir de 2021.

Londres adotou o sistema de pedágio urbano em 2003. No início, a cidade apresentou resultados positivos, com a redução de até 30% nos congestionamentos e a queda de 12% na emissão de gases veiculares poluentes. Atualmente, porém, o trânsito londrino voltou a piorar até nas regiões pedagiadas, mesmo com as altas tarifas – no início o preço era de 5 libras, hoje custa 11,50 libras (aproximadamente R$ 60). Uma das razões foi o “boom” dos veículos de aplicativos, que ainda são isentos da cobrança. A prefeitura de Londres deve revogar esta isenção nos próximos dias.