Blog da Ana
Coluna do Editor 12/02/2019

Licença

O vice-prefeito de Toledo Tita Furlan pediu, segundo ele, uma licença não remunerada por uma semana. Para esfriar a cabeça. Na volta deverá definir qual caminho seguir após a desfiliação junto ao PV. Os motivos para sua saída ele ainda não esclareceu.

 

Pré-candidato

Ao menos uma coisa ele deixou muito clara: é pré-cadidato a prefeito de Toledo na eleição de 2020.

 

Será?

Ainda em relação a Tita Furlan, na Câmara eram grandes os boatos de que esta semana será protocolado um pedido de impeachment contra o vice.

 

Impeachment

Sem dúvida o assunto deste início de semana foi a votação do pedido de impeachment do prefeito Lucio de Marchi (PP) na Câmara de Toledo, protocolado na semana passada pelo servidor público Ivan Peron com base na lei da vereadora Olinda Fiorentin (PPS) que impede a inauguração de obras inacabadas em Toledo.

 

Sem assessoria

Na opinião de Olinda, o prefeito não conta com uma assessoria merecida ou com lideranças que façam um trabalho a altura para chegar a esta situação vexatória pela qual passou nesta segunda-feira.

 

Sorte

Sorte que essa lei não foi aprovada antes porque muita gente que hoje faz críticas pesadas entregou obras inacabadas num passado nem tão distante assim.

 

Politicagem

Para o vereador Edmundo Fernandes (PRB) está havendo “muita politicagem” em algumas situações dentro do Legislativo e “coisas boas as pessoas não falam no Plenário pela dor de cotovelo”.

 

Nas redes

Para Valtencir Careca (PP) é preciso acabar com a politicagem nas redes sociais. “Tem vereador só querendo aparecer para os seus eleitores”, disparou.

 

Agente oculto

De acordo com Genivaldo Paes (PDT) há muitas pessoas que estão por trás deste pedido de impeachment e citou as mais de 4 mil pessoas atendidas na Central de Especialidades em tão pouco tempo, além de mencionar as obras inacabadas da gestão passada. “Atirar pedra é muito fácil”, afirmou.

 

AMP

O prefeito de Santa Cecília do Pavão, Edmar Santos (PTB), é o primeiro a lançar candidatura à presidência da Associação dos Municípios do Paraná, a AMP. Prefeito de terceiro mandato e dirigente partidário, Edmar pretende ampliar a atividade da AMP no cenário estadual e nacional. "Quero trabalhar para uma AMP suprapartidária, representativa e mais presente nas discussões que envolvem os municípios", adianta Edmar. As eleições da AMP devem ocorrer até o final do mês de março.

 

Mais no páreo

Até o momento, a disputa na eleição da AMP deve contar, além de Edmar, com os prefeitos Frank (Dois Vizinhos) e Darlan (Pérola).

 

IAP

Taciano Maranhão será o novo chefe do escritório do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) em Toledo. Merecido!

 

Em Curitiba

Por falar em meio ambiente, o secretário Neudi Mosconi está em Curitiba. Foi tratar de assuntos importantes para projetos futuros em Toledo e região.

 

Pedágios

A 1ª Vara Federal de Curitiba concedeu liminar que determina a imediata indisponibilidade de 33% da receita bruta da concessionária de pedágio Viapar. Além disso, a decisão também determinou que suas controladoras (Queiroz Galvão, Carioca Engenharia e Cowan Engenharia) depositem em juízo 11% do valor que receberam da Viapar a partir de 2018. A decisão atende pedido da força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal (MPF) no Paraná dentro da Operação Integração, que investiga um esquema de pagamento de propina ao grupo político do ex-governador Beto Richa (PSDB) em troca do aumento de tarifas e cancelamento de obras em rodovias.

 

Irregularidades

A operação apura a prática de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, estelionato e peculato na administração das rodovias federais no Paraná. As irregularidades, segundo o MPF, teriam se iniciado no ano de 1999, quando as concessionárias passaram a pagar propinas para obter aditivos prejudiciais ao interesse público.