Coluna do Editor
Coluna do Editor 09/03/2019

Covardia

Jogar a culpa das demissões dos colaboradores da Transportec nas costas do prefeito Lucio de Marchi (PP) é de uma covardia sem tamanho. Isso para não falar que é uma demagogia pura. O prefeito pode ter lá seus defeitos, mas vamos devagar com o andor...

 

Responsabilidade

Ainda sobre o tema, Batista Franco em seu programa na Rádio União (AM 900), foi categórico ao afirmar que os vereadores são tão responsáveis quanto qualquer outro agente público e ainda criticou a postura do Sindicato. Batista questionou porque esses mesmos agentes não defenderam antes estes trabalhadores ou porque não denunciaram antes ao Ministério Público. “Os abutres da política suja, da coisa errada estão por aí”, disparou sem meias palavras.

 

Carona

E é realmente intrigante este movimento estourar somente agora, ainda mais se as irregularidades apontadas e as más condições de trabalho vinham sendo denunciadas há tempos. Aqui mesmo, no Jornal do Oeste, foram feitas reportagens denunciando a situação dos trabalhadores. Tem gente que vai apenas de carona.

 

Demissões

Sempre é triste observar pessoas sendo demitidas, ainda mais da maneira como foram, entretanto, se a empresa demitiu, deve pagar todos os direitos e, caso não estejam corretos, aí está a Justiça do Trabalho para reparar os eventuais erros. Eu, enquanto jornalista, fui demitido várias vezes e segue o baile.

 

E aí?

Citei para alguns vereadores o exemplo da Livraria Cometa, uma empresa tradicional de Toledo. Nenhum vereador deve ter ido lá, muito menos representante do sindicato dos servidores, para perceber o sentimento de dezenas de trabalhadores desligados pelo fechamento da loja que dará seu último suspiro neste sábado (9).

 

Novo

Em 2018, o Partido Novo organizou mais de 1000 eventos espalhados por todas as regiões do país. Para este mês de março estão previstos dois encontros na região. O primeiro será o Novo no Congresso, um bate-papo com o deputado federal Gilson Marques, de Santa Catarina. Será em Foz do Iguaçu; o outro será no dia 25, em Cascavel, quando haverá uma apresentação especial do Novo para as eleições de 2020.

 

Atestado

Genivaldo Paes (PDT) não compareceu à sessão ordinária de quinta-feira na Câmara de Toledo. Estava de atestado médico.

 

Envolvimento

Na sessão ordinária de quinta-feira (7), na Câmara Municipal, colaboradores dispensados da Transportec foram ao prédio do Legislativo protestar. Até aí nada demais, afinal, é um direito deles. O que chamou a atenção foi o – intenso – envolvimento de dirigentes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Toledo, com direito a organização de varal dentro do Plenário Edílio Ferreira.

 

Apoio

Gabriel Baierle (PTB) manifestou apoio ao movimento porque hoje não se pode mais pensar em trabalhar sem as mínimas condições. Em relação aos caminhões, que estariam com irregularidades, o vereador pediu uma ampla investigação da Polícia Civil e punição, caso seja necessário, os responsáveis. Gabriel defendeu ainda o rompimento do contrato com a empresa caso não se resolvam os problemas averiguados até aqui.

 

Barato

Ele ainda criticou a Lei 8.666, lei das licitações, porque “muitas vezes o barato sai caro”, disse Gabriel, pedindo que se reavalie a necessidade da qualidade na prestação dos serviços e da própria estrutura da empresa. O vereador fez ainda uma mea culpa. “Não podemos nos eximir da culpa”, disse com muita propriedade Gabriel Baierle sobre a falta de fiscalização anterior na questão do lixo.

 

Desculpas

Leandro Moura (PSL) foi outro a se manifestar sobre a questão dos catadores e também pediu desculpas por não ter tomado ciência do assunto mais cedo. Ele afirmou ainda ser momento de reflexão sobre as condições de trabalho e da própria fiscalização do serviço em Toledo. Disse ainda que os catadores exercem um emprego invisível, que só sente a falta quando não é feito.

 

Sem Facebook

Já Leoclides Bisognin (MDB) lembrou ter ido até a sede da empresa e visto as péssimas condições de trabalho no local, inclusive com direito a uma pedra que servia de freio. Ele frisou que em maio de 2016, através de uma licitação pública, a Transportec venceu o processo para manter o serviço. Criticou ainda uma possível irregularidade nas negativas apresentadas à Prefeitura e destacou que não precisou colocar nada em seu Facebook.

Coluna do Editor 08/03/19

Fala Leitor

“Os cargos de confiança da Prefeitura de Toledo hoje estão coletando lixo e exagerando em postar vídeos dizendo que estão coletando lixo. Querem saber? Não fazem mais do que a obrigação pelo valor de salário que ganham. Muitos desses não fazem nada ou quase durante o ano todo. Em vez de ficarem postando vídeos vão trabalhar durante os outros dias da semana para mostrar serviço para comunidade e não ficarem postando ‘videozinho’ de uma situação que é vergonhosa, pois não teve fiscalização da empresa que coleta o lixo em Toledo”.

 

Greve

“Isto é uma vergonha, esses cargos de confiança que ganham muito bem para não fazer nada agora querem se aparecer e ainda prejudicam a justa greve dos coletores que estão corretos em exigirem condições humanas de trabalho”. Mensagem enviada por um leitor.

 

Fiscalização

Ainda sobre a questão do lixo, a fiscalização em cima da empresa, no que tange ao contrato, estava sendo feita da maneira correta. A dúvida é: e sobre as condições de trabalho?

 

Cadê

Aí é o seguinte: não cabe à prefeitura fiscalizar a questão interna da empresa, que é privada, portanto, onde estão os órgãos de fiscalização como a Promotoria do Trabalho, Ministério do Trabalho ou a Justiça do Trabalho? Estes sim deveriam verificar se as normais legais estavam ou não sendo cumpridas.

 

Sindicato

Outro fato que chamou a atenção foi a presença de integrantes de alto coturno do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Toledo na manifestação dos coletores em frente à empresa na segunda, ainda mais a empresa sendo da iniciativa privada.

 

Placas

E em relação às placas dos caminhões que estariam irregulares, este é um caso para a Polícia Civil investigar e, caso realmente se comprove a fraude, tem que punir e pronto. Simples assim!

 

Aquário fechado

Prefeitura de Toledo, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente informa que o Aquário Municipal Dr. Romolo Martinelli está fechado desde quarta-feira (6) para o público até o dia 10 para manutenção de pinturas. O atendimento voltará ao seu funcionamento normal na próxima terça-feira (12), a partir das 10h.

 

Horário

O horário de funcionamento do Aquário Municipal vai de terça a domingo, das 10 às 12h, das 14 às 16h e das 18h às 20h.

 

Viagem

Por falar em Meio Ambiente, passado o furor da questão da coleta do lixo em Toledo, o secretário Neudi Mosconi viajou cedo nesta quinta-feira para Curitiba, onde vai se reunir com outros secretários municipais e com representantes de uma empresa da Alemanha.

 

Agenda

O objetivo foi organizar uma agenda no próximo dia 25 para ações inovadoras. Segundo Mosconi, Toledo será uma incubadora de uma política de governo no setor ambiental, já aprovada pelo governador Ratinho Junior (PSD). Ainda de acordo com o secretário, a expectativa é atrair novos investimentos para a cidade, com oportunidades de empregos e avanços bastante significativos no setor.

 

Confirmada

A visita do chefe da Casa Civil do Governo do Estado a Toledo está confirmada para a próxima quarta-feira (13). Guto Silva deverá chegar à noite e ir direto ao Biopark. Na quinta-feira (14) tem uma série de encontros agendados. As informações são de Luiz Ferreira.

 

Sistemas

Será aberto nesta sexta-feira (8) o curso técnico de Desenvolvimento de Sistemas, fruto de uma parceria público-privada entre o IFPR, Biopark, Prati-Donaduzzi, Maxicon e Junsoft. A cerimônia está marcada para as 19h, no Auditório do Biopark.

 

Mulheres

Neste Dia Internacional da Mulher, minha homenagem às leitoras desta Coluna. Parabéns e obrigado!

Coluna do Editor 07/03/19

Hospital Regional

“Quando chamei (o Hospital Regional) de elefante branco teve gente que deu risada, mas agora, prestes a perder o curso de Medicina pela pressão de pessoas que fizeram das obras públicas um trampolim, é uma vergonha”. O desabafo é do vereador Genivaldo, que criticou a postura de alguns políticos locais em relação ao Hospital Regional, especialmente porque este não é um problema de agora.

 

Vergonha

Ele também classificou de vergonhosa a reunião que abraçou simbolicamente o prédio. “Quando a porta está aberta até o cachorro entra”, disparou.

 

Impasse

Outro a criticar a questão da saúde foi Ademar Dorfschmidt (MDB), que colocou a culpa sobre o impasse no Hospital Regional na comissão formada para a transição do governo. “A atual gestão prometeu a abertura da unidade em várias oportunidades”, disse ele, afirmando ainda ter sido um equívoco não deixar realizar uma perícia sobre a questão elétrica.

 

Projeto ruim

Ademar insinuou que a culpa da não abertura se deve a erros grosseiros na elaboração do projeto, na época da gestão do ex-prefeito José Carlos Schiavinato. “Não temos poder de fazer nada. O trabalho da CPI encaminhado ao Ministério Público. Foi feito o que poderia ser feito”.

 

Atenção

Aí uma pergunta: ele, Ademar, quando era líder de Governo ou presidente da Câmara não se atentou a isso também, ou seja, que o projeto tinha falhas e era preciso mudanças?

 

Habitação

A vereadora Marly Zanette (PSL) alertou sobre a necessidade das famílias inscritas na fila para as casas populares. Segundo Marly, da próxima vez, ela vai se empenhar para que nenhuma família de Novo Sarandi fique de fora do processo.

 

Lixo

“Por causa do vale-alimentação está sendo revirado o lixo. Aí aparece pneu careca, sinalização e adulteração de caminhões, falta de recolhimento de FGTS e INSS, falta de fiscalização...”. A frase é de Nésio Luís, durante o programa “Plano Geral” da Rádio União (AM 900) desta quarta-feira.

 

Contratos

Essa suspensão do serviço de coleta deveria servir para se rever não apenas este contrato, mas todos aqueles onde o município outorga o uso de algo público. Esse tipo de situação apenas dá margem para os defensores do gigantismo estatal se criarem com maior volúpia.

 

Punição

Não se trata de ser a favor ou contra a exploração de um determinado serviço por parte da iniciativa privada ou pelo setor público. O que a sociedade espera é que um bom serviço seja prestado e, no caso de não ser, que a devida punição seja aplicada.

 

Acusações

Ainda sobre a questão do lixo, triste é observar a troca de acusações entre dois integrantes da atual gestão, mais uma vez na ‘terra de ninguém’ chamada Facebook, que do dia para a noite virou um ringue onde os ‘podres’ da administração são escancarados sem o menor pudor.

 

Em casa

Nunca é demais lembrar que roupa suja se lava em casa, por pior que ela seja ou por mais encardida que esteja a vestimenta.

 

Susto

Por falar em Nésio, ele está recuperado de um problema vascular que o deixou fora de combate por alguns dias. Resta saber se está levando a sério as recomendações médicas.

 

Mulheres

Nesta quinta-feira (7), a partir das 19h30, a Secretaria de Política para Mulheres de Toledo realiza o 3º Encontro Cultural para Mulheres no Centro Cultural Ondy Hélio Niederauer, na Vila Pioneiro. São esperadas pelo menos 300 mulheres ao evento que tem entrada gratuita.

Coluna do Editor 06/03/2019

Dia 13

No próximo dia 13 de março o Supremo Tribunal Federal vai se reunir para analisar se os crimes de corrupção seguem sendo tratados na competência da Justiça Federal ou se migram para a Justiça Eleitoral. Isso poderá afetar a Operação Lava Jato em função de vários políticos envolvidos.

 

Reforma administrativa

O prefeito Lucio de Marchi (PP) estuda uma reforma administrativa, que vem sendo criticada pelas mesmas pessoas que falam sempre as mesmas coisas, especialmente na terra de ninguém chamada Facebook, o mesmo local onde ocupantes de cargos de confiança preferem o anonimato a compartilhar as ações da atual admini9stração.

 

Proposta

Pela proposta inicial, a reforma administrativa pretende acabar com 9 cargos de coordenador e 8 de diretor. Ou seja, elimina 17 cargos em comissão, aqueles de livre escolha do prefeito. O reflexo disso é uma economia mensal de aproximadamente R$ 78 mil.

 

Criação

Por outro lado, a reforma propõe a criação de 13 cargos de Coordenador e 2 cargos de diretor. Seriam 15 cargos em comissão, de livre escolha do prefeito, com impacto de R$ 55.884,45. Na prática são dois cargos a menos e mais uns R$ 13 mil por mês no caixa.

 

Exclusividade

Outro ponto interessante da reforma é que os cargos CC2-T são exclusivos para servidores de carreira com no mínimo 10 anos de concurso. Apenas um está sendo criado novo, para a administração do Fundo Previdenciário dos servidores, com impacto de R$ 8.847,39 por mês. Os outros dois cargos CC2-T foram remanejados do atual CC2.

 

Baixo impacto

Pelos cálculos apresentados, estes cargos vão impactar juntos, apenas R$ 5.742,58, sendo um para a Diretoria da Receita e outro para Diretoria de Compras e Licitações, locais estratégicos e essenciais para a administração.

 

FGs

Por fim a reforma amplia algumas Funções Gratificadas (FGs), que são exclusivas para os servidores de carreiras, que desempenham papel de chefia, coordenação, supervisão ou direção de setores, valorizando assim o servidor público. Vale ressaltar ainda que, só em 2019 o valor economizado com corte de FGs - apenas na Secretaria da Saúde - ultrapassa os R$ 30 mil por mês.

 

Saúde

O vereador Renato Reimann (PP) citou que duas servidoras estão em licença maternidade e isso tem trazido– problemas no atendimento da UBS em Vila Nova. Ele, entretanto, disse ter plena certeza que o problema será resolvido.

 

Energia

Outro assunto abordado por Reimann na sessão foi a constante queda de energia na região de Vila Nova. Um problema sério de acordo com o vereador, que cobrou uma solução por parte da Copel, ainda mais em função do valor da conta de energia. Um valor alto, importante destacar.

 

Narguilé

Airton Savello (PTB) fez um alerta sobre a questão do uso indiscriminado do narguilé na região do Parque Ecológico Diva Paim Barth.

 

Lei

Será que os vereadores sabiam que já existe uma lei proibindo o fumo em espaço público? E isso quando João Martins ainda estava na Câmara de Toledo. A não ser que a lei tenha sido extinta.

 

Ambulantes

A questão dos vendedores ambulantes em Toledo segue rendendo situações engraçadas. Há alguns dias, na Parigot de Souza, um vendedor estava deitado numa rede dentro do caminhão carregado de móveis. Só à espera da clientela chegar...

Coluna do Editor 05/03/19

Fala Leitor

(Foto: Divulgação)

“Boa tarde, indignado com a vizinhança. Até poucos dias atrás a prefeitura deixou à disposição dos moradores uma caçamba com o objetivo de colocar os entulhos, poucos a utilizaram. Pedimos que a prefeitura tome providências quanto a esses moradores. Cito a rua Amélia Gasperin Longhi quase em toda a sua extensão. Bairro Santa Clara IV”. Mensagem enviada por um leitor.

 

Desabafo

Afirmando que a política em Toledo vive dois momentos, o vereador Genivaldo Paes (PDT) lembrou da greve dos servidores na gestão passada e sobre a discussão em torno do Fapes e salário abaixo do mínimo para uma parte dos servidores públicos municipais. “Agora dizem que é obrigação do prefeito (Lucio de Marchi) fazer. Mas não era obrigação dos outros fazer”, questionou Genivaldo, alfinetando quem teve nas mãos a chance de corrigir um problema histórico e não o fez.

 

Justiça

O vereador se referia à lei que regulamenta o Plano de Cargos e Salários e que, em sua visão, “acaba com essa injustiça histórica”, disse ele, acrescentando que “quando o povo (servidores públicos) estava de greve não vi vereador defender, mas agora todo mundo defende. Fui chamado de traidor na votação do Fapes. Não sou traidor”, desabafou Genivaldo.

 

Andando

Já Leoclides Bisognin (MDB) comemorou o fato do Plano Diretor começar a se mexer após dois anos. Para ele houve um atraso de um ano, no mínimo, e isso com muita gente esperando para saber o que está sendo projetado para Toledo 2030, 2050.

 

Na bronca

A vereadora Marly Zanette (PSL) estava na bronca com a equipe da Secretaria de Comunicação Social por não ter citado seu nome numa reunião realizada na comunidade de Novo Sobradinho há alguns dias. Além disso, segundo a vereadora, ela não recebeu convite e disse ter sabido da reunião através do seu marido. “Isso não fica bem. Estamos aqui para representar o município. Vamos acabar com essa mesquinharia”, criticou.

 

Homenagem

Vagner Delabio (PSD) prestou uma homenagem ao amigo, padre Inácio, durante a sessão ordinária da semana passada. Isso porque o padre assume a Paróquia São Francisco, em Assis Chateaubriand.

 

Hospital Regional

Na opinião do presidente da Câmara de Toledo Antonio Zóio (PSL) o Hospital Regional é uma “mosca branca”. Para ele os palanques políticos montados a cada dois anos e as promessas se sucedem. “Temos que dar avanço e ajudar a avançar” se continuar dessa forma será palanque para mais dois, três prefeitos.

 

Momento

“Ainda não chegou o momento de eu ser o prefeito”. A frase é do mesmo Zóio, respondendo a quem o critica por não apontar uma solução ao problema do Regional.

 

Parou geral

Alguns problemas técnicos frequentes na Câmara de Toledo voltaram a se repetir na semana passada. A sessão precisou ser suspensa por cinco minutos porque o sistema simplesmente ‘caiu’. E isso tem sido frequente.

 

Meio feriado

Mais um ano e Toledo acordou nesta segunda-feira daquele jeito...Metade da cidade parada compensando o ‘feriado’ de aniversário do município e metade trabalhando normal.

 

Terra de ninguém

Quanto mais acompanho o Facebook, mais reforço minha tese de ali ser ‘terra de ninguém’. Acompanhando o mais novo embate entre dois ‘figurões’ da Prefeitura de Toledo é de rir (de vergonha) a posição de ambos que em nada contribui para o crescimento de um ou de outro, muito menos para a administração.

Coluna do Editor 02/03/2019

Pode isso Arnaldo?

(Foto: Leitora)

“Márcio, vou te mandar umas fotos que tirei no domingo a noite (24) no lago municipal. Várias pessoas sentadas com cadeiras e bancos na pista de ciclismo em volta do horto. Eu e meu marido estávamos andando de bike e tivemos que desviar do povo e pedalar na pista de caminhada”. Pode isso Arnaldo?

 

Rotineira

Pior que esse tipo de cena é rotineira para quem passa pelo Parque Ecológico Diva Paim Barth.

 

Fala Leitor

“Quantos milhões de metros quadrados mesmo, que será a construção??????????????? Quatro Milhões e oitocentos mil metros quadrados é merecedor mesmo de uma matéria no jornal. kakakaakakkakakakaak. Revisar antes de publicar, para não publicar bobagens, tenho dito”. Mensagem recebida por um leitor que preferiu criar um e-mail fake e não se identificar.

 

Errata

De qualquer forma, obrigado ao leitor atento. Evidente que a construção do prédio no Biopark – cuja matéria foi publicada na edição do fim de semana de 23 e 24 de fevereiro – não será de 4,8 milhões de metros quadrados, mas sim de 4,8 mil metros quadrados. Erramos. E feio!

 

Sem sessão

Nesta segunda-feira (4), em função do Carnaval, não haverá sessão na Câmara de Toledo. Foi transferida para a quinta-feira (7), no mesmo ‘bat horário’: 14h.

 

Mau cheiro

Alô pessoal do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sanepar: o fedor saindo das bocas de lobo no Centro de Toledo está insuportável. Em dias de sol forte então...Quem sabe dar uma olhadinha na Almirante Barroso e na Maripá não ajudaria a identificar de onde vem tanto mau cheiro. #ficaadica

 

Grandeza

Na visão do vereador Valtencir Careca (PP), muitas pessoas ainda não entenderam a grandeza da conquista do Toledo Esporte Clube no domingo passado, quando o Porco ficou com o título da Taça Barcímio Sicupira, o primeiro turno do Campeonato Paranaense.

 

Apoio

E já que o assunto é futebol, o vereador Edmundo Fernandes (PRB) criticou a postura de muitos empresários que, segundo ele, levam milhões para fora e não ajudam o Toledo. Ele ainda disse que Cascavel é um exemplo pela ajuda dos empresários ao FC Cascavel.

 

“Maluco”

Já Leoclides Bisognin (MDB) destacou a coragem do presidente Carlos Alberto Dulaba em tocar um time de futebol “que é coisa de maluco”. O vereador ainda criticou a postura da Rede Globo por não ter apresentado nada a respeito da conquista do Toledo na noite de domingo, durante o Fantástico.

 

Educação

E para Marcos Zanetti (PDT) a conquista do Toledo acaba transcendendo um pouco a questão do futebol e entrar na esfera social, pois uma equipe humilde, com um investimento ínfimo diante das grandes equipes, quebrou um paradigma. “É uma lição porque uma boa parte é de pratas da casa, o que demonstra ser válido ainda acreditar na base e aí é necessário investir na educação básica para termos uma sociedade diferente”.

 

Visita

Gabriel Baierle (PTB) destacou sua visita ao Parque Tecnológico da Itaipu, em Foz do Iguaçu. Para ele ficou um sentimento que a gestão pública está ficando para trás e precisa ir em busca de tecnologia.

 

Cidade

O vereador pediu ainda que Toledo siga o exemplo e construa a mini cidade do trânsito para as crianças terem uma melhor noção sobre as ações positivas no comportamento nas ruas.

 

Não?

O ex-vereador João Martins ainda está no PP e disse que, se a eleição fosse hoje, não seria candidato. Isso hoje.

 

Má qualidade

Pedro Varela (PP) criticou a qualidade da capela mortuária e fez um apelo para que as funerárias se unam para melhorar a estrutura em benefício da população. “Dá para ouvir até o barulho dos cascos dos cavalos”.

Coluna do Editor 01/03/19

Estacionamento

Segundo o leitor que enviou a foto, essa van todo dia fica parada em local errado, em frente ao Colégio Shirley Lorandi, que fica na rua Armando Luís Arrosi, no Centro, onde existe um local demarcado especialmente para esse tipo de veículo, porém, o motorista faz questão de estacionar irregular ou na vaga de embarque e desembarque

 

Quaresma

Está quase chegando a Quaresma e com ela a Campanha da Fraternidade (CF), cujo tema esse ano será "Fraternidade e Políticas Públicas". O objetivo é estimular a participação da população para fortalecer a cidadania. A apresentação da proposta da CF 2019 acontecerá nesta sexta-feira (1º), às 10h30, na Cúria Diocesana, com a presença do bispo diocesano dom João, e do padre André Mendes, responsável pela campanha na região.

 

Fala Leitor

Um amigo empresário enviou o seguinte questionamento: “Por que a Safeeds era de Toledo em 2014 e inaugurou sua nova sede esta semana em Sede Alvorada (distrito de Cascavel)?” Ótima pergunta!

 

Sessões

Depois de horas a fio de discursos quase sempre vazios, a líder do Governo na Câmara de Toledo, vereadora Janice Salvador (PSDB), fez um apelo: a reorganização das sessões. Na segunda foram quase quatro horas de discursos e nenhum projeto discutido. Até que enfim!!!

 

Mais

Tenho insistido aqui há alguns anos para Toledo seguir o exemplo de outros municípios, onde se realizam mais sessões ordinárias durante a semana. Assim poderia ser menos cansativo para os próprios vereadores e para quem acompanha os debates.

 

Ausente

Walmor Lodi (PR) não esteve na sessão ordinária de segunda-feira. Ficou em Curitiba ao lado do prefeito Lucio de Marchi (PP) para um encontro com o deputado estadual Marcel Micheletto (PR). Isso após os dois políticos toledanos acompanharem a decisão da Taça Barcímio Sicupira, quando o Toledo Esporte Clube ficou com o título.

 

Camisa

Por falar em Lucio, ele apareceu no Estádio Major Antônio Couto Pereira usando uma camiseta da Prati, Donaduzzi e não do clube. Muita gente não entendeu porque da atitude, uma vez que a empresa em questão prefere investir na Stock Car. Um direito dela, importante frisar.

 

Audiências

Há momentos em que me questiono se a realização das tais audiências públicas serve para alguma coisa ou se apenas para preencher lacunas legais. Esta semana houve duas, uma para prestação de contas da saúde e outra da educação e a participação popular foi, como sempre, muito abaixo da média.

 

Aprovado!

Pior é que, dos 19 vereadores, poucos se arriscaram ir até o Plenário Edílio Ferreira para acompanhar os dados. De que adianta aprovar uma lei se nem os próprios vereadores estão a fim de fiscalizar para ver se está tudo transcorrendo dentro da normalidade.

 

Seis...

Na quarta à tarde, durante a prestação da educação, foram apenas seis vereadores – Marli do Esporte (PCdoB), Janice Salvador (PSDB), Marcos Zanetti (PDT), Pedro Varella (PP), Leoclides Bisognin (MDB) e Leandro Moura (PSL) – que permaneceram até o fim...

 

...Sete

...enquanto na da saúde foram sete: Marli do Esporte (PCdoB), Marcos Zanetti (PDT), Ademar Dorfschmidt (MDB), Walmor Lodi (PR), Marly Zanette (PSL), Valtencir Careca (PP) e Airton Savello (PTB).

 

Foto

Alguns passaram para uma foto, ficaram um pouco e... ‘adiós muchachos’.

Coluna do Editor 28/02/19

Árvore

“Situação de árvore na rua São João esquina do Colégio Incomar... Raízes não deixar abrir porta do lado direito de quem estaciona nessa vaga, sem falar nas lajotas soltas que prejudicam que anda na calçada”. Mensagem enviada por um leitor.

 

Fala Leitor

Outro leitor enviou a seguinte mensagem: “Política é igual em todo lugar mesmo! O município de Toledo ficou uns 3 anos com o gasto com pessoal no limite, aí quando as coisas melhoram um pouco, o gestor age como se não houvesse o amanhã. Tudo bem equiparar os salários de quem ganha menos que um salário mínimo, pois o mínimo, ou próximo a isso, é uma renda realmente baixa. Agora, instituir uma gratificação de 50% em cima do salário base de apenas uma classe (leia-se: Engenheiros e Arquitetos), ignorando todas as demais, isso é demais”.

 

Gratificação

“O prefeito tem o direito de privilegiar uma classe, ele é o gestor, é direito. Mas de vez em quando, entre o legal e o moral, pode haver um abismo. Se o limite prudencial fosse um ser pensante, certamente que enquadraria tal ato como um absurdo, considerando que o mesmo acabou de sair da UTI. Cinquenta por cento! Bela gratificação! Isso envolve diretamente a saúde financeira do município para os próximos anos”.

 

Fixo

“A gratificação deveria ter um percentual menor, para que os demais também pudessem usufruir um pouco deste momento financeiro tão bom, deste dinheiro que está sobrando; e além disso, essa gratificação deveria estar atrelada diretamente às condições de pagamento estipuladas pelo limite prudencial, ou seja, não ser algo fixo. Há de haver mais responsabilidade quando pensamos em coisas desse tipo”, finaliza.

 

Projetos

E nesta quinta-feira (28), além da questão da gratificação aos engenheiros e arquitetos, o prefeito Lucio de Marchi (PP) assina mais três projetos de lei: o que cria o piso mínimo inicial para o quadro geral de servidores; o que cria o piso mínimo salarial aos agentes comunitários de saúde e agentes de combates a endemias; e ainda o do reajuste salarial anual. A partir das 8h no Auditório Acary de Oliveira, anexo à Prefeitura de Toledo.

 

Reforma

Também nesta quinta, na Unioeste em Toledo, o deputado estadual Professor Lemos (PT) promove um debate sobre a Reforma da Previdência. Início marcado para as 14h.

 

Livre Mercado

Quatro deputados paranaenses - Aline Sleutjs (PSL), Felipe Barros (PSL), Luíza Canziani (PTB) e Paulo Martins (PSC) - integram a Frente Parlamentar para Defesa e Fomento do Livre Mercado lançada pelo deputado Kim Kataguiri (DEM-SP). Até agora, 12 partidos aderiram à frente: DEM, PSDB, PP, PRP, PSL, Podemos, Novo, MDB, PPS, PSD e PSB. Assim de formada, os parlamentares visitaram o ministro Paulo Guedes (Economia).

 

Finalidades

O estatuto da frente lista as finalidades: defender ampla reforma tributária para desonerar a cadeia produtiva; promover o aperfeiçoamento, a desburocratização e a simplificação da legislação; promover a flexibilização das relações de trabalho; entre outros.

 

Medidas importantes

Além da reforma da Previdência, o governo já tem elencado como medidas importantes a desoneração ampla da folha de pagamento das empresas e a criação da "carteira verde e amarela", que mudará as relações dos trabalhadores com seus empregadores.

 

Chopp

Caso o Toledo Esporte Clube seja campeão do segundo turno, a Colônia prometeu a distribuição de 1.500 litros de chopp. E se for campeão invicto serão 2 mil litros. A informação é do presidente do TEC, Carlos Alberto Dulaba. Agora a torcida ficou ainda maior!

Coluna do Editor 28/02/19

Está mais do que na hora da violência sexual contra a mulher parar! Porém, apesar deste ser o desejo de muitas pessoas na sociedade, a solução não é simples. Apesar de sermos expostos a novos casos todos os dias, os velhos problemas continuam: muitas mulheres não têm coragem de reportar os abusos, aquelas que reportam demoram muito tempo para se manifestar, os acusados sempre dizem ser inocentes e as instituições onde estes abusos acontecem, por mais absurdo que pareça, acabam desestimulando as mulheres a denunciarem ou irem em frente com suas queixas. Tudo isto, pode acabar em casos como o da ativista Sabrina Bittencourt, que se suicidou no início de fevereiro.
Como um profissional que busca na ciência as soluções para os mais diversos casos do cotidiano, decidi me debruçar em alguns artigos científicos para descobrir os motivos pelos quais existem padrões de comportamento das vítimas e dos abusadores nestes casos, bem como, o que pode ser feito para evitar novos casos. Durante a minha busca por estas soluções, conheci o trabalho da cientista Jennifer Freyd da University of Oregon, que há mais de duas décadas estuda o assunto e, hoje, é uma das maiores autoridades mundiais no estudo do abuso contra mulheres. Depois de ler seus artigos, resolvi entrar em contato com a Prof. Freyd, que me atendeu com muita gentileza.
De acordo com os estudos de Freyd, a maioria das mulheres não reporta abusos por causa do medo de que sua vida irá piorar depois da acusação. E, segundo os dados das pesquisas do professor, a vida destas mulheres realmente piora depois da queixa – seus amigos se afastam delas, muitas vítimas são culpadas pelos outros por terem “provocado” a situação, elas são demitidas de seus trabalhos e têm suas carreiras arruinadas. Porém, o principal fator que desencoraja as mulheres a prestarem queixas é o que Freyd nomeia como Traição Institucional: quando uma instituição (país, empresa, universidade, igreja, partido político) trai as pessoas que são dependentes dela, falhando ao apoiar adequadamente os indivíduos que foram vítimas de outros membros da instituição e não age para prevenir novos casos. Ao falhar com seus membros, muitos deles perdem a sua fé na instituição e acreditam que as coisas nunca irão mudar, o que consequentemente, faz com que mais e mais vítimas mantenham-se silenciosas quando abusadas. Obviamente, a Traição Institucional também acontece pela falta de disposição das instituições em divulgar seus casos de abuso sexual, por razão do medo de que tal ação acabe com a reputação da instituição. Assim, muitas instituições continuam escondendo os seus casos, o que piora exponencialmente a situação.
No caso do Brasil, a Traição Institucional torna-se mais grave quando uma parte ainda mais importante falha: a nossa justiça. Não são raros os casos onde as mulheres que denunciam seus abusadores são julgadas como mentirosas ou aproveitadoras, o que acarreta com que muitos abusadores continuem circulando livremente. Em algumas oportunidades, os criminosos até passam um tempo presos, porém, logo são soltos por “falta de provas”, obviamente causada pela “falta de fé na instituição” das demais vítimas que nunca reportarão os abusos sofridos, já que estas presenciaram outros casos de agressores que não resultaram em prisões ou em mudanças nas leis.
Assim como as vítimas, os abusadores também apresentam um comportamento comum quando acusados. Freyd nomeia este comportamento como DARVO, siga em inglês para Negar, Atacar e Reverter a Ordem da Vítima. Não apenas em casos de abusos sexuais, mas em vários escândalos que vemos em nosso país, o comportamento dos criminosos é sempre o mesmo: eles negam as acusações, atacam verbalmente os acusadores e, por fim, dizem que são eles as vítimas de algum tipo de “golpe”. Por mais comum que este “golpe” seja, a justiça continua falhando em acatá-lo frequentemente, aumentando cada vez mais a desconfiança das pessoas na instituição Brasil e agravando a situação dos abusos sexuais e demais problemas que enfrentamos.
Jennifer Freyd mostra que a Coragem Institucional é o antídoto para a Traição Institucional. Ela acontece quando as instituições passam a assumir suas responsabilidades e agir com transparência, quando admitem seus erros, desligam e denunciam seus membros envolvidos em abusos sexuais, tratam as vítimas com respeito, divulgam sem medo os dados sobre o assunto e criam mecanismos para evitar novos casos. Assim, estas instituições passam a ganhar a confiança das pessoas novamente e a prover a coragem que as pessoas tanto precisam para ir em frente com suas denúncias. Apesar de válido, o trabalho de iniciativas como a Coame, a qual Sabrina Bittencourt liderava, nunca terão um alcance maior sem o apoio de instituições maiores, como o governo federal. Seria de grande orgulho para todos nós, se a primeira dama Michelle Bolsonaro assumisse esta luta.
É o momento das nossas universidades, empresas, igrejas, partidos políticos e governos assumirem suas responsabilidades para diminuir bruscamente os abusos sexuais em nosso país. Não são as mulheres que não tem coragem, mas sim, as instituições!


*Luiz Gaziri fez a escolha feliz de deixar a sua carreira de quinze anos como executivo para ensinar pessoas e empresas a aplicarem comprovações científicas nas mais variadas situações do seu dia a dia. Gaziri possui formações acadêmicas nos Estados Unidos, Inglaterra e Brasil, é professor de pós-graduação na PUC-PR, FAE Business School e ISAE/FGV
Coluna do Editor 27/02/19

Hospital Regional

O ex-prefeito de Toledo Beto Lunitti (MDB) enviou um e-mail com alguns apontamentos em relação à nota publicada nesta Coluna no fim de semana com relação ao Hospital Regional. Citando ter feito uma administração “executada dentro da legalidade, impessoalidade, da moralidade, publicização dos atos, eficiência e da eficácia”, o ex-prefeito afirma que “a condução dos assuntos de execução da obra do Hospital Regional, não foi diferente, pois o padrão, por mim adotado, na gestão, diz respeito a filosofia de vida que tenho, herdada e solidificada por princípios de fé, moral e ética”.

 

Discussão

“Todas as decisões tomadas no assunto em pauta (HR), foram exaustivamente discutidas em colegiado composto por servidores de carreira, com formação, competência, sem discriminação político-partidário, respeitando as raízes ideológicas a que pertenciam. Comissões que discutiram pagamentos, glosas, aditivos, reequilíbrio econômico-financeiro, legalidade, tudo dentro dos critérios técnicos, legais e transparência. Aliás, nosso gabinete estava sempre aberto”, afirma.

 

CPI

Beto Lunitti segue dizendo que, na “CPI do HR da Câmara de Vereadores não foram ouvidos Schiavinato, prefeito (2005-2008 e 2009-2012) Beto Lunitti, prefeito (2013-2016), o Engenheiro Civil José Carlos de Jesus, Técnico Responsável pela fiscalização da obra, servidor de carreira, nomeado por Schiavinato e mantido por Beto Lunitti. A obra estava em andamento com percentual avançado de execução quando a recebemos. É bom lembrar que a CPI foi instaurada a partir de um relatório de vistoria, assinado por profissional, que não foi na obra para fazer o levantamento, isso é surreal! Motivo de embates, na colhida de depoimentos em sessão da CPI. Além do depoimento contundente do Diretor Técnico da empresa construtora Emdeal”.

 

Desculpas

E segue: “O que se tem observado, é que, diante das dificuldades enfrentadas pelo atual administrador, o relatório de vistoria das portas, das tomadas... ar condicionado que não é parte integrante do projeto original licitado, transformaram-se numa cesta de elementos de desculpas por não se abrir aquele equipamento no tempo prometido (junho/2017). Este órgão de imprensa fez várias matérias jornalísticas, dizendo que Toledo tinha Ministro da Saúde, Governadora, Deputados, Chefe da Casa Civil para consolidação do Hospital Regional... tudo passou e não aconteceu a abertura”.

 

Retórica

Na visão do ex-prefeito é preciso “Despolitizar as tratativas de abertura e funcionamento do Hospital Regional. O prefeito Lúcio, junto com seu vice Tita Furlan, precisam sair da retórica do “disso ou daquilo”, precisam ser duros com o Governo Federal e Governo Estadual, pois estes, tem de serem claros se assumem a gestão do Hospital Regional. Caso não assumam, é necessário a compreensão e o diálogo para buscar alternativas na iniciativa privada, organizações sociais. Se o governo estadual ou federal não assume, não tem outra saída. Os municípios não tem dinheiro pra assumir a gestão! Defendo, naturalmente, que a futura gestão do hospital, terá de ter compromissos com atendimento pelo SUS, com a proposta de Hospital Escola, com atendimento para toda a região da 20ª Regional de Saúde, tudo acompanhado do escopo legal”.

 

Em Curitiba

O vereador Walmor Lodi (PR) não estava na sessão ordinária desta segunda-feira (25) na Câmara de Toledo. Estava em Curitiba acompanhado do prefeito Lucio de Marchi (PP). Os dois se reuniram com o deputado estadual Marcel Micheletto (PR) para tratar de assuntos de interesse do município.

 

Em Toledo

O chefe da Casa Civil do Governo do Estado, deputado estadual licenciado Guto Silva, tem agenda marcada para o mês de março em Toledo.

 

Ciclismo

Nesta quinta-feira (28), a partir das 20h, haverá o lançamento das equipes de ciclismo pré-selecionadas para representar Toledo nos Jogos Abertos do Paraná, marcados para acontecer na cidade em outubro.