Coluna do Editor
Coluna do Editor 02/02/2019

Jantar

Um jantar estava agendado esta semana para acontecer em Toledo, mas na última hora o deputado estadual Marcel Micheletto (PR) foi convocado pelo governador Ratinho Junior (PSD) e precisou viajar às pressas para Curitiba. Com isso uma nova data precisou ser agendada.

 

Vereadores

O que cercava de mistério esse jantar seria a presença de pelo menos três vereadores de Toledo.

 

Melhor Idade

Na próxima segunda-feira (4 de fevereiro), serão retomadas as atividades do Projeto Ativa Melhor Idade, a partir das 8h30 na Associação de Idosos da Vila Industrial com uma reunião com os presidentes dos grupos de idosos.

 

Pauta

Em pauta no encontro, além do início das atividades de 2019, a questão do Per Capita, apresentação do novo secretário de Esportes André Alcará e novos Coordenadores dos Certis, bem como a apresentação do calendário oficial de eventos (Esportes e Certi).

 

Juntos?

Cavaleiros solitários estariam se unindo para tentar formar um bloco de dois e não apenas do ‘eu sozinho’. A ideia é estreitar as relações, especialmente após alguns episódios recentes na política toledana que deixaram os moços isolados dentro de seus grupos, ou melhor, mais isolados do que já estavam.

 

Aposentadoria

Muita gente dentro da Câmara não engoliu a mudança no cargo de diretor, isso porque faltavam poucos meses para Alcídio Pastório se aposentar e haveria um pré-acordo para mantê-lo no cargo até lá.

 

Alvarás

No ano passado a Prefeitura de Toledo emitiu 1.062 alvarás, entre residenciais e comerciais. O número foi maior que o de 2017, quando foram emitidos 992 alvarás.

 

De volta

As atividades na Piscina Pública retornaram na última quarta-feira (23). Para quem tem interesse em participar das aulas de hidroginástica e natação (adulto e infantil), pode realizar sua matrícula no dia 6 de fevereiro, às 7h, por ordem de chegada. As turmas são a partir dos 8 anos, sendo elas dos 8 aos 10 anos, dos 11 aos 16 e dos 17 ao público adulto. A piscina funciona das 7h até às 21h e conta com várias turmas.

 

Servidores expulsos

Em 2018, 73 servidores públicos federais foram punidos por irregularidades e atividades contrárias à lei nos Estados da Região Sul: Paraná (34), Santa Catarina (26) e Rio Grande do Sul (13). Os dados fazem parte de levantamento divulgado pela Controladoria-Geral da União (CGU), que reúne as penalidades expulsivas - demissão de servidores efetivos, cassação de aposentadoria e destituição de cargos em comissão - aplicadas por órgãos e autarquias. O total de registros na Região Sul corresponde a cerca de 11,4% dos 643 agentes públicos punidos em todo o país, maior número na comparação dos últimos 16 anos.

 

Paraná

No Paraná, foram 34 penalidades expulsivas em 2018, sendo 30 demissões de funcionários efetivos; três cassações de aposentadorias; e uma destituição de cargo em comissão. O principal motivo das expulsões foi a prática de atos relacionados à corrupção, com 24 penalidades aplicadas, ou 70,6% do total. Já o abandono de cargo, inassiduidade ou acumulação ilícita de cargos são fundamentos que vêm em seguida, com oito casos (23,5%).

 

Ranking

Entre as unidades da federação, o estado é o quinto com maior número absoluto de servidores punidos, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Pernambuco. Já na comparação proporcional - que considera o número de punições a cada mil servidores federais - o Paraná é 10º com maior média: 6,63 por mil. Os dados proporcionais consideram os últimos cinco anos. Desde o início da série histórica, no período de 2003 a 2018, o estado registra um total de 337 punições expulsivas.