Coluna do Editor
Coluna do Editor 18/12/18

Frase

Em terra de cego, quem tem um ‘Zoio’ é...presidente! E da Câmara Municipal. Seguindo a tradição, a eleição para escolha da nova Mesa Diretiva do Legislativo em Toledo foi recheada de conversas nos bastidores, ligações tensas, desabafos nos corredores e, claro, surpresa na hora da escolha do novo presidente.

 

Clima tenso

Antes mesmo do início da sessão especial para escolha dos membros da mesa para o biênio 2019/2020 era nítido o clima tenso entre os vereadores, tanto de um lado quanto do outro.

 

‘Pé de ouvido’

Antes do início da sessão, os vereadores Ademar Dorfschmidt (MDB) e Gabriel Baierle (PTB) tiveram uma conversa ‘pé de ouvido’ na sala de imprensa. Depois foi a vez de Ademar conversar com o colega de partido Leoclides Bisognin e com o futuro presidente Antonio ‘Zoio’.

 

Plateia

Poucas vezes se viu o Plenário Edílio Ferreira tão cheio para acompanhar uma votação na Câmara. Assessores de todos os lados apareceram.

 

Chão batido

Aliás, o chão entre o prédio da prefeitura e o da câmara ficou batido de tanto vai e vem.

 

Irritado

O mais irritado antes do início da sessão era Edmundo Fernandes (PRB). “Hoje tenho vergonha em ser vereador”, desabafou ele, que se retirou minutos antes do início da votação, deixando o clima ainda mais tenso.

 

Blocos

Por falar em tensão, até minutos antes do início votação, eram seis as bancadas dentro do Legislativo local: Bloco União e Amor por Toledo, Bloco União por Toledo, Bloco Fiscalização com Ética e Transparência e Bloco Por um Toledo Melhor, além das bancadas do PDT e PSL.

 

Ofícios

Antes da votação, porém, foram recebidos quatro ofícios de vereadores solicitando desligamento de seus blocos, tendo sido considerados válidos os documentos encaminhados por Olinda Fiorentin (PPS) e Edmundo Fernandes (PRB), desfazendo os dois blocos que eles integravam. Já os documentos de Janice Salvador e Vagner Delabio não atenderam os critérios previstos.

 

Último

O último a chegar ao plenário foi Marcos Zanetti (PDT). Confiante no apoio do MDB para conseguir os votos necessários e ir ao segundo turno. Seria o reconhecimento ao papel decisivo de Zanetti na eleição de Ademar para a presidência da Câmara na gestão passada. Seria, mas não foi...

 

Três apenas

No primeiro turno, Zanetti teve apenas três votos: o dele, de Marli do Esporte (PC do B) e do colega Genivaldo Paes (PDT).

 

‘Eu sozinho’

Aliás, Leandro Moura (PSL) e Albino Corazza Neto (PDT) tiveram apenas um voto no primeiro turno. Blocos do ‘eu sozinho’.

 

Clima ruim

Impossível não perceber a falta de estrutura da base de apoio ao prefeito Lucio de Marchi (PP) dentro da Câmara Municipal. A votação azedou de vez o clima nada amistoso entre os vereadores.

 

Traição

Para muitos Renato Reimann (PP) teve um peso decisivo neste processo de escolha de ‘Zoio’. Seriam rusgas pessoais com Delabio que, pelo visto, foram resolvidas na hora da votação. Gabriel Baierle foi outro que parece não ter gostado do tom da conversa de um lado e fechou com o outro.

 

Gelatinosa

Implodiu de vez uma base que, certa vez, classifiquei de gelatinosa, sendo bastante criticado por isso. O tempo parece ter se encarregado de mostrar quem tinha ou não razão a respeito da volatilidade de uma base que carece de um articulador político.

 

De olho

Falando em articulador, pode ter sido apenas uma coincidência, mas Carlos Alberto Piacenti – cotado para voltar à Prefeitura de Toledo como assessor de governo – acompanhou toda votação de camarote e nos bastidores também.

 

Sem articulação

Essa questão da articulação frágil entre o prefeito e os vereadores é algo que tem sido comentado desde o início da gestão, quando o então chefe de Gabinete Alceu Dal Bosco ainda segurava as pontas. De lá para cá...

 

Nada com isso

Agora, é preciso destacar que Antonio ‘Zoio’ de Freitas não tem nada a ver com isso e mostrou ter um forte poder de articulação. Seja lá como conseguiu, a verdade é que hoje ele amanheceu sendo o presidente eleito da Câmara Municipal. Queiram ou não queiram é assim que a banda vai tocar a partir de janeiro de 2019 até dezembro de 2020.