Editorial
Discurso direto

Sem rodeios o secretário da Saúde de Toledo Thiago Daross Stefanello, durante reunião realizada na noite da última quinta-feira (8), trouxe à tona a dura – mas ainda esperançosa – realidade em relação ao Hospital Regional, um complexo hospitalar tão complexo quanto a política nacional, capaz de produzir situações como esta, onde um espaço público, tão necessário, foi concebido de uma maneira tão escabrosa que, não fosse a determinação de algumas pessoas, certamente seria um ‘elefante branco’ a mais para engrossar a lista tão extensa na vida dos brasileiros.

O secretário apontou falhas gravíssimas no projeto, desde sua concepção até a execução, isso sem mencionar serviços pagos e sequer executados. Duas situações saltam aos olhos: portas onde não passaria uma maca e a completa incapacidade de se ligar a energia elétrica. Erros grosseiros e que custaram – e custarão ainda – milhões aos cofres públicos, ou seja, dinheiro da população sendo tratado com completo desdém não apenas por políticos, até porque alguns destes erros foram cometidos por servidores públicos concursados e, portanto, protegidos por benesses que também ajudam a criar este tipo de situação.

Ao menos dessa vez não houve discursos eloquentes, promessas vazias, retóricas rebuscadas. Não! Dessa vez todos os agentes políticos se comportaram como deveriam no restante do tempo: com caráter, verdade e retidão. Os discursos apontaram os erros sem perseguição política ou ideológica, os dados mostraram as necessidades mais urgentes e foram apresentados prazos exequíveis. Foi um encontro proveitoso por este aspecto, porém, preocupante diante da consciência de, numa cidade com o potencial de Toledo, serem feitos projetos hospitalares ferem as mais elementares regras do serviço de saúde.

Agora é ter um pouco mais de paciência e acreditar na verdade repassada sem meias palavras pelos políticos responsáveis por levar o Hospital Regional a esta situação crítica para entrar em funcionamento. A promessa é que no dia 1º de julho deste ano ainda pelo menos 30 leitos entrem em funcionamento, assim como ao menos outros setores que trarão um suporte vital para a melhoria no atendimento em saúde pública na área da 20ª Regional de Saúde. Até lá o JORNAL DO OESTE seguirá na cobertura dos eventos que envolvem este complexo – e complicado – hospital.