Editorial
Um recomeço

Pode não ter sido a entrevista coletiva dos sonhos, entretanto, ao menos para quem é apaixonado por esportes é um alívio saber que o Toledo Futsal participará da Chave Ouro do Campeonato Paranaense deste ano. A promessa da n ova diretoria é montar uma equipe competitiva, diferente dos últimos anos quando Toledo entrou na competição pensando apenas em se manter entre os melhores do estado. Era o possível para aquele momento, enquanto a promessa agora é de tempos melhores.

Na verdade um recomeço para tentar devolver Toledo ao píncaro do futsal estadual, algo alcançado principalmente nos primeiros anos da década de 2000, quando o Porco era um adversário temido e jogar no alçapão do Alcides Pan um martírio. Ali, naquele palco, antes mesmo da reforma, era emocionante ver tantos craques em quadra. Gente do calibre de Marcelo Paulista, Renê, Rogério, Tarcíso, Dedé, entre tantos outros que tornaram o nome de Toledo uma marca dentro do salonismo paranaense e que tanta gente levava ao ginásio.

O tempo passou e com ele veio o descrédito, a desesperança e houve um primeiro recomeço, quando o Toledo Futsal foi remontado e disputou a Chave Bronze, depois a Prata, até finalmente retornar à Ouro. Mas o brilho deste ouro não era mais o mesmo. Equipes se profissionalizaram, cresceram e ampliaram seus horizontes. Hoje não sonhar com uma Liga Nacional é a mesma coisa que não almejar nada além de uma simples participação no estadual, afinal, sem um elenco em condições fica difícil concorrer com as potências como Marechal Rondon, Francisco Beltrão e o atual campeão nacional Pato Branco.

Esta nova diretoria demonstrou boa intenção e sonha em montar um projeto a longo prazo. Oxalá isso aconteça, até porque uma cidade do porte de Toledo não pode mais manter uma equipe na base da ‘ajudinha’, da uma ‘plaquinha’, de um ‘favorzinho’. Não! É preciso um maior envolvimento de empresas graúdas, a exemplo das cidades já mencionadas, onde a identificação entre time e torcida é possível porque existe um forte apoio na retaguarda. Sem isso tudo não passará de boa vontade e palavras ao vento.