Mauro Picini
Mauro Picini Sociedade + Saúde 16/05/18

Mitos e verdades sobre uma das bebidas mais populares do mundo

Daniel Wolff, sommelier de cervejas e diretor da maior rede de franquias de lojas especializadas em cervejas artesanais do país, a Mestre-Cervejeiro.com (www.mestre-cervejeiro.com), elencou algumas curiosidades sobre essa bebida tão querida pelos brasileiros.

 

- Cerveja em lata é pior que em garrafa (mentira)

R. Geralmente, a lata costuma manter a cerveja fresca, conservando aromas e sabores, por um período de tempo maior. Isso porque, como o material é opaco, o líquido não sofre com a exposição ao sol.

 

- Cerveja é sempre amarga (mentira)

R. Existem três famílias de cervejas, desmembradas em mais de 100 diferentes estilos, alguns deles com chocolate, com frutas, como cereja, pêssego e framboesa. O que vai determinar o amargor da cerveja é a variedade do lúpulo e o tipo de torra do malte utilizado nela. Mas, no geral, temos disponíveis hoje cervejas que vão de extremamente adocicadas às com bastante amargor.

 

- Cerveja deve ser sempre translúcida (mentira)

R. As cervejas dos estilos Weizenbier, Witbier e Dubbel, por exemplo, são alguns exemplos de cervejas de aparência mais turva. Isto é uma condição normal, decorrente do processo de produção - se ela é ou não filtrada, ou se passa pela técnica chamada de dry-hopping.  

 

- Bolhas nas paredes internas do copo são indício de boa carbonatação (mentira)

R. As bolhas nas paredes internas podem ser indícios de que a higienização do copo não foi muito bem feita ou que ele está guardado há um tempo e precisa ser higienizado novamente.

 

- Não existe diferença para o produto entre garrafas âmbares, verdes e transparentes (mentira)

R. A cor da garrafa interfere na durabilidade do produto. Quanto mais clara for, maior a exposição da cerveja aos raios solares e consequentemente maior o impacto negativo nos aromas e sabores da bebida. Entre garrafas transparentes, verdes ou âmbares, a melhor opção é a âmbar.

 

- Cerveja artesanal é muito alcoólica (mentira)

R. Depende do estilo. Há as mais alcoólicas e as menos alcoólicas, as mais amargas e as menos amargas, as mais e as menos encorpadas. Isso vai depender do estilo da cerveja. O fato de ela ser artesanal relaciona-se apenas aos processos de produção e à variedade e qualidade dos insumos nela utilizados.

 

- Cervejas escuras são mais intensas (mentira)

R. A cor de uma cerveja é resultado das variedades de malte utilizadas em sua receita. Quanto mais intensa a tosta do malte, mais escura será sua cor e isso será transmitido ao produto final. Por isso o espectro de cores das cervejas vai do amarelo-palha ao preto opaco, passando pelo avermelhado e marrom. No entanto este é apenas um aspecto sensorial, e existem cervejas claras muito potentes como as Belgian Tripel, e cervejas escuras mais leves e refrescantes como as Schwarzbier.

 

- Cerveja engorda (mentira)

R. Alguns estilos de cerveja são menos calóricos que outros, dependendo do processo de produção e do teor alcoólico. O impacto na cintura de quem está degustando vai depender também da quantidade ingerida. Porém, fazendo um comparativo com doses iguais, a cerveja geralmente tem menos calorias do que o vinho, a cachaça ou até mesmo o suco de laranja. O ideal para quem evitar engordar é beber com moderação, dar preferência a estilos menos encorpados e com teor alcoólico mais baixo, além de optar por petiscos leves para acompanhar, como palmito com azeite e orégano, queijos brancos e rolinhos de peito de peru com rúcula.

 

- Cerveja deve ser consumida só muito gelada (mentira)

R. Cada estilo de cerveja tem a sua temperatura ideal de serviço. Há aqueles em que o indicado é beber em temperatura de adega, entre 12°C e 16°C, como as inglesas do estilo Barley Wine, que são potentes, complexas e encorpadas. Já outros estilos menos intensos mas igualmente aromáticos, como as India Pale Ale ou Bock, atingem seu maior potencial na faixa dos 7 a 10°C.  E mesmo as American Lager, comumente chamadas de tipo Pilsen no Brasil, não devem ser consumidas a 0°C. Isso porque, em temperaturas muito baixas, as papilas gustativas ficam anestesiadas e os aromas da bebida menos voláteis, fazendo com que deixemos de sentir características importantes da bebida.

 

- Não existe diferença entre chope e cerveja (mentira)

R. A origem do produto é de fato o mesmo. Mesmo processo de fabricação, mesmos insumos utilizados. Mas o armazenamento e o tipo de serviço são diferentes, o que interfere nas características da bebida. O chope, ‘Beer on tap’ - cerveja na torneira - ou ‘Draft Beer’ - expressão que denota a retirada do líquido do barril, por ser retirado direto da chopeira, costuma ser mais aerado, mais cremoso. A maioria das cervejas, diferente do chope, são pasteurizadas. Por isso, tendem a ser menos frescas e com sabores e aromas menos presentes.

 

- O local de origem da água influencia no produto final? (Mentira)

R. As características da água influenciam, sim, no produto final, ou seja, se ela é mole ou dura, a quantidade e os tipos de sais minerais presentes nela, o seu pH, etc. Contudo, a origem da água em nada influencia. Isso porque é possível trabalhar todos esses aspectos, modificando quimicamente a água que será utilizada na fabricação, deixando-a mais alcalina, por exemplo, favorecendo a produção de certos estilos de cerveja e, assim, influenciando produto final.

 

- Cerveja precisa de colarinho? (Verdade)

R. Toda cerveja deve apresentar alguma quantidade espuma, que é um elemento fundamental para avaliar a saúde da bebida e ainda ajuda na preservação de sua temperatura. Se uma cerveja não tem espuma é porque não está bem carbonatada - tendo um defeito de fábrica -, houve algum problema no armazenamento ou ela não foi servida da maneira adequada. O tipo de espuma e a sua estabilidade variam de estilo para estilo. Alguns, principalmente os ingleses, têm pouca formação de espuma e ela permanece como uma fina camada. Já as belgas, por exemplo, têm uma formação bastante expressiva e a permanência no copo faz parte do visual.

 

- Cerveja preta é só pra tomar no frio? (Mentira)

R. O que vai dizer se uma cerveja é mais indicada para o frio são fatores como o corpo da cerveja -- ou seja, o peso do líquido na boca -- e teor alcoólico, que são duas características que passam uma sensação acolhedora. Existem cervejas claras, que, por serem alcoólicas e densas, são mais indicadas para o outono/ inverno. E cervejas escuras que trazem um leve amargor, são menos encorpadas e com menor teor alcoólico, que são perfeitas para as estações mais quentes.

 

- Faz diferença o tipo de copo que se usa pra beber cerveja? (Verdade)

R. O copo pode influenciar na maneira como sentimos o aroma da cerveja, interferindo positiva ou negativamente na degustação. O copo também pode interferir visualmente, como por exemplo na retenção de espuma. O copo Weissbier tem um formato adequado para manter a formação do colarinho, enquanto a taça snifter concentra os aromas de cervejas mais complexas. Já o famoso pint tem um formato utilitário que possibilitam serem empilhados, e sua boca mais larga permite beber em grandes goles.

 

- Cerveja só vai bem com comida de boteco (Mentira)

R. É bem verdade que a cerveja vai muito bem com as deliciosas comidinhas de boteco sim, mas as variações de combinações são muito mais amplas. Tente, por exemplo combinar o prato Carneiro com Cuscuz Marroquino com uma cerveja do estilo Weizenbock, um chocolate meio-amargo com uma Stout, um queijo Brie com uma Tripel e um Emmental com uma IPA.

 

- Cervejas de alta fermentação (Ales) são mais intensas que de baixa (Lagers) (Mentira).

R. A diferença entre cervejas Ale e Lager é o fermento utilizado na produção das cervejas dos estilos de cada uma dessas famílias. Basicamente, a levedura (fermento) das Ales age entre 15°C e 25°C e gera uma espessa camada na superfície do líquido no tanque de fermentação. Por isso também é conhecida como levedura de alta fermentação. Já a levedura Lager trabalha melhor em torno de 9°C a 14°C e como não apresenta esta camada na superfície, ficou conhecida como de baixa fermentação. Por exemplo a Bock é um estilo de cerveja da família Lager, por exemplo, e é mais potente do que uma cerveja do estilo Pale Ale, da família Ale.

 

Cirurgia plástica devolve o aspecto jovem e descansado do olhar

Blefaroplastia retira o excesso de pele e  bolas de gordura ao redor dos olhos

Não é à toa que dizem que os olhos são as janelas da alma. Um simples olhar é capaz de revelar diferentes emoções e até mesmo o cansaço. É que com o passar dos anos, as pálpebras são umas das primeiras estruturas que aparentam os sinais da idade. A exposição ao sol, tabagismo e a obesidade também podem acarretar no excesso precoce de pele e o aparecimento de bolsas de gordura ao redor dos olhos. No entanto, um procedimento cirúrgico simples pode resolver os problemas: a blefaroplastia, cirurgia de pálpebras, devolve a aparência jovial do olhar.

A cirurgia plástica consiste em incisões para retirar o excesso de pele e as bolsas de gordura entre as dobras de pele das pálpebras superiores e inferiores próxima aos cílios. Em muitos casos os pacientes optam também por usar toxina botulínica para diminuir as rugas ao redor dos olhos e da testa. Os resultados definitivos podem ser percebidos após seis meses da cirurgia, entretanto, 50% dele pode ser observado já na segunda semana. “O rosto é a região mais exposta do corpo, por isso os sinais do tempo são sempre mais visíveis. A blefaroplastia suaviza a expressão e dá o aspecto mais rejuvenescido e descansado”, diz o cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Tiago André Ribeiro.

O procedimento não é procurado somente por pessoas mais velhas. Segundo o cirurgião plástico, os mais jovens também buscam pela cirurgia. “Muitos pacientes com pouco mais de 30 anos se submetem à blefaroplastia. Mas isso não significa que eles apresentem necessariamente a flacidez na pele, mas sim um excesso isolado das bolsas de gordura nas pálpebras que podem dar impressão de que a pessoa está sempre com olheiras”, explica Tiago André Ribeiro.

Dentre as recomendações o profissional indica que o paciente durma de barriga para cima por duas semanas. “Além disso, quem usa lente de contato deve evitá-las nos dez primeiros dias”. Em caso de inchaços, o paciente pode utilizar compressas geladas com água e gaze. “Usar um pano limpo ajuda também a reduzir o inchaço da reunião”, conclui o cirurgião plástico, doutor Tiago André Ribeiro.

 

Sobre Tiago Ribeiro

Cirurgião Plástico especialista pelo Hospital Santa Marcelina, de São Paulo, Tiago André Ribeiro é graduado em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). É membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Atende nas cidades de: Toledo e Marechal Cândido Rondon, no Paraná (Foto: Rodrigo Vipych/Photo Creative).

 

No mês das mães, o urologista Gustavo Cruz fala sobre tratamento e cura para Incontinência Urinária e para a ‘Bexiga Caída’

Os problemas atingem principalmente as mulheres que já tiveram filhos e afetam a qualidade de vida, prejudicando o bem-estar físico e emocional, a vida social e a autoestima da paciente.

Estima-se que pelo menos 20% das mulheres do Brasil e do mundo sofrem com Incontinência Urinária ou com Prolapso Genital, a popular ‘Bexiga Caída’. Muitas, que já tiveram vários filhos de partos normais distócicos (partos difíceis); quadros de obesidade; disfunções neurológicas; predisposição genética ou as que têm a idade mais avançada, mas o problema também alcança as mulheres mais jovens e os homens.

Um exemplo é o caso de Natália, que aos 32 anos teve os dois problemas associados: incontinência urinária e prolapso genital, e precisou fazer a cirurgia de sling. Ela teve dois filhos de parto cesariano, apesar de passar pelo trabalho de parto nos dois casos. Depois do nascimento do segundo filho, não podia fazer o menor esforço que aconteciam os ‘escapes’: “Sofri durante três anos, e neste período praticamente não tive qualidade de vida, só depois da cirurgia minha vida voltou ao normal, eu falo abertamente sobre o assunto, pois percebo que ajudo as pessoas quando conto minha história. Minha avó também fez essa cirurgia há uns três anos, depois de sofrer com incontinência urinária por mais de 40 anos”, conta.

É Incontinência Urinária qualquer perda involuntária ou indesejada de urina, e passa a ser um problema médico se isso ocorrer com frequência, é importante procurar um médico para fazer um diagnóstico e, se necessário, o tratamento. “A incontinência urinária é a hipermobilidade da uretra. O canal urinário é envolvido pelo esfíncter, o músculo que segura a urina, e a incontinência urinária ocorre quando há uma movimentação excessiva desse músculo, uma espécie de ‘folga’. Essa hipermovimentação acaba diminuindo a eficiência do esfíncter, e o músculo perde a capacidade de segurar a urina porque ele se desloca junto com a bexiga quando há um esforço. O sling tende a melhorar a sustentação do músculo e a uretra não se movimenta mais, resolvendo assim o problema”, explica o médico urologista, Gustavo Cruz.

É Bexiga Caída o Prolapso Genital, ou seja, o deslocamento da bexiga, “apesar de usarem o termo popular ‘bexiga caída’ também para incontinência urinária, é importante dizer que são coisas diferentes: um prolapso genital, que e às vezes vem junto com o útero fora do lugar, são prolapsos que costumam vir juntos com a hipermobilidade da uretra, ou seja a incontinência urinária, costumam vi associada, mas pode acontecer incontinência urinária sem prolapso e prolapso sem incontinência urinária”, alerta o especialista.

As causas da incontinência urinária e do prolapso genital podem ser várias, e em alguns pacientes, pode haver mais de uma causa, como: infecções urinárias ou vaginais, efeitos colaterais de medicamentos, constipação intestinal, fraqueza de alguns músculos, obstrução da uretra pelo aumento da próstata, doenças que afetam os nervos ou músculos, ou alguns tipos de cirurgias ginecológicas, e, para os homens, cirurgia ou traumatismo da próstata e uretra.

“É importante lembrar que a incontinência pode desencadear outros tipos de problemas, de ordem emocional, psicológica e social, pois, muitas pessoas deixam de realizar atividades do dia-a-dia para não correrem o risco de ficar muito tempo longe do banheiro. Por isso é muito importante explicar que este problema pode ser tratado com grandes chances de sucesso”, complementa o especialista.

Existem diferentes tipos de incontinência urinária, que se caracterizam dependendo de como e quando se perde urina:

A Incontinência Urinária de Urgência acontece quando há vontade súbita de urinar que não se consegue adiar ou quando o músculo da bexiga contrai e a pessoa urina mesmo sem ter vontade.

A Incontinência Urinária de Esforço (IUE) ocorre quando a perda de urina acontece durante determinadas atividades, como: tossir, espirrar, rir, correr, saltar ou levantar pesos, como baldes ou sacolas do supermercado. Isso acontece porque durante estes tipos de atividades a pressão sobre a bexiga aumenta e a uretra ou esfíncter urinário (musculo que segura a urina) não pode resistir à pressão que a bexiga exerce sobre ele. Em graus mais elevados, as pacientes chegam a relatar a sensação de uma bola pressionando o canal vaginal.

 

Implante de Sling

A cirurgia padrão para a correção da incontinência urinária de esforço feminina chama-se cirurgia de Implante de Sling, cujos dados da Associação Europeia de Urologia apontam índices de sucesso das cirurgias, em torno de 85 a 90% nos casos.

Para a realização deste procedimento, uma pequena tela é colocada embaixo da uretra através de uma incisão vaginal. Estas telas proporcionam um suporte aos músculos e tecidos enfraquecidos e ajudam a uretra a resistir à pressão exercida pela bexiga. É considerada uma cirurgia de pequeno porte que dura em torno de 40 minutos e no dia seguinte ao procedimento a paciente já ganha alta.

 

Para os homens

Incontinência Urinária De esforço nos homens não tem a hipermobilidade da uretra, como no caso das mulheres, mas ocorre devido a um trauma do músculo quando se tira a próstata, “são casos nos quais é preciso trabalhar muito próximo ao músculo e quando se retira a próstata o esfíncter sofre um trauma”, explica o urologista.

A incontinência urinária pós-retirada da próstata é um trauma do músculo que pode se reverter ao longo do tempo por meio de fisioterapia. Na maioria das vezes melhora.

A Incontinência Urinária de Urgência nos homens ocorre devido a um processo obstrutivo, normalmente porque a próstata aumentou muito, dificultando a passagem de urina e com isso a bexiga faz muita força. “Esse esforço excessivo que a bexiga faz ao longo dos anos, durante muito tempo, faz com que queira esvaziar toda vez que enche um pouquinho e entra em contração mesmo que a gente não queira, se tornando independente, é a contração involuntária, quando se quer urinar e não se consegue chegar ao banheiro”, explica o especialista, dr. Gustavo Cruz.

 

Dicas:

Não há apenas uma solução única que funcione para todos, medidas simples podem contribuir para uma melhora significativa da condição clínica e consequentemente da qualidade de vida, como:

•             Dieta mais equilibrada e variada;

•             Consumir legumes, fibras e frutas diariamente;

•             Diminuição de cafeína, álcool e refrigerantes (podem piorar a urência e frequência dos sintomas);

•             Evitar alimentos muito temperados ou picantes;

•             Ficar atendo às suas sensações de melhoras ou pioras dos sintomas, conforme o que consome, pois isso pode variar de uma pessoa para outra;

•             Não ter vergonha de procurar um médico especialista.

 

A importância da hidratação da pele em todas as idades

Com o passar dos anos, a pele vai perdendo o brilho natural, elasticidade e a capacidade de reter água. Por isso, cuidar do corpo desde a juventude é essencial para manter a pele sempre macia, saudável e firme.

Nos dias de hoje, existem muitos tratamentos estéticos eficazes para evitar o envelhecimento precoce da pele, porém, o grande segredo está dentro de casa: na hidratação e nos produtos utilizados.

Confira abaixo algumas dicas importantes para hidratar manter a saúde da pele, de acordo com cada faixa etária:

 

20 a 25 anos

É quando homens e mulheres costumam ficar mais expostos ao sol e pequenas manchas começam a surgir. Nessa fase, a limpeza é fundamental para evitar impurezas e até mesmo a acne. Lave o rosto com produtos faciais específicos durante a manhã, para remover a oleosidade natural da pele, e à noite para retirar os resíduos (como suor, poluição ou maquiagem) acumulados ao longo do dia. Utilizar um hidratante para o rosto.

 

30 a 35 anos

Neste período é comum aparecer pequenas rugas ou linhas de expressão no rosto. Já, no corpo, os reflexos são no metabolismo, que começa a ficar um pouco mais lento. Desta forma, é ainda mais importante praticar atividades físicas, além de usar e abusar dos cremes e hidratantes.

 

40 a 45 anos

Nesta idade, os sinais de envelhecimento tendem a ficar mais aparentes. A queda na produção de hormônios pode deixar a pele mais frágil, seca e flácida. Cremes com alto poder de hidratação auxiliam na saúde da pele e ajudam a manter sua firmeza e brilho natural.

 

Dicas para todas as idades

•             Mantenha uma alimentação saudável. 

•             Beba no mínimo 2 litros de água por dia.

•             Pratique atividades físicas regularmente.

•             Use Bepantol® Derma Creme nas áreas mais ressecadas do corpo como calcanhares, joelhos e pés.

•             Usar filtro solar antes de sair de casa, mesmo que o tempo estiver nublado.

•             Lavar bem o rosto e não dormir de maquiagem.

•             Para acalmar a pele do rosto e deixá-la bem hidratada, use Bepantol® Derma Spray

•             Os lábios também envelhecem, por isso, não podem ficar de fora dos cuidados diários. Use Bepantol® Derma Regenerador Labial antes da make e mantenha-o sempre na sua nécessaire.