Mauro Picini
Mauro Picini Turismo 08/11/18

Um conto medieval banhado às melhores cervejas e chocolates do mundo: conheça Bélgica

Bélgica

Confira roteiro belga pelas cidades de Bruxelas, Bruges, Ganthe e Antuérpia que inclui museus, torres imensas, lugares pitorescos, muita caminhada e escadarias, além, é claro, dos incríveis chocolates e delícias típicas do país. Veja pontos imperdíveis!

Há destinos que encantam e a Bélgica é um deles. Pequeno país em território, mas gigante em atrações, famoso pela produção dos melhores chocolates do mundo – apesar de não cultivar o cacau, desenvolveu técnicas regulamentadas de produção e aprimoramento que resultam em alimentos de alta qualidade. Bélgica é um país antigo, com muita história, monumentos medievais e cidades com belos canais que possibilitam inesquecíveis passeios de barco.

Em pouco mais de 3 horas é possível atravessar a Bélgica de carro de leste a oeste ou de norte a sul. Portanto, passeios bate-volta são recomendados. Esqueça a dieta, desfrute da famosa batata frita belga em barraquinhas conhecidas como friteries,  acompanhado de uma boa caneca de cerveja (são mais de 800 rótulos fabricados no país!) e embarque neste roteiro que contempla as cidades de Bruxelas, Bruges, Ganthe e Antuérpia – quem dá as dicas é Sarah Paloma Gabriel, analista de produtos da FRT Operadora, que viajou em setembro com intuito de conhecer e divulgar o destino.        

 

BRUXELAS

A capital da Bélgica é sede da União Europeia e por sua excelente localização, é uma boa opção para ser a base da sua viagem pelo país. Possui diversas atrações turísticas e é uma cidade imperdível. Passeando pelas ruas de Bruxelas, Sarah comenta sobre os murais e pinturas: “As lojas de histórias em quadrinhos são muitas e o país é o maior produtor de HQ do mundo”, conta também que os Smurfs e o Lucky Luke são de origem belga. Para quem é fã, vale a pena conhecer o Museu Hergé, dedicado à vida e obra do cartunista Georges Remi, que escreveu sob o pseudônimo de Hergé, criador da série de álbuns de quadrinhos “As Aventuras de Tintin”.

A cidade abriga o Musee du Cacao et du Chocolat (Museu do Cacau e do Chocolate), diversas chocolaterias artesanais, como as famosas Wittamer e Pierre Marcolini. Rica em cultura, Bruxelas possui uma arquitetura encantadora. Seus principais pontos turísticos contam com a praça Grand Place, a Basílica de Sacré Coeur (Basílica do Sagrado Coração) e o Museu Magritte, que reúne o maior acervo do mundo a respeito da vida e obra de René Magritte, maior artista plástico do país; além do Museu Horta, para quem aprecia o movimento Art Nouveau, estilo moderno que virou febre em Paris. Em Bruxelas, ela se hospedou no The Dominican Hotel, muito frequentado por americanos e bem localizado; e no Le Dixseptième, hotel em que os dormitórios são espaçosos e os quartos separados por uma área aberta – indica ser a melhor cidade para vida noturna.

Bruxelas

 

BRUGES

Cidade pitoresca e romântica, Bruges encanta com uma imponente praça – a Grote Markt –, na companhia de carruagens, candelabros, ruas de pedras, e uma atmosfera medieval. “É possível fazer passeios de barco e charrete, e ainda, caminhar tranquilamente por suas estreitas ruelas”, diz Sarah. Seu centro histórico encontra-se na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO e já ganhou o título de Capital Europeia da Cultura.

Ao redor da Grote Markt encontra-se o museu Historium, que conta a história da cidadela de forma interativa. O Belfort de Bruges (Campanário de Bruges), é uma das torres mais proeminentes da cidade, com 83 metros. A rua Breidelstraat é repleta de lojas que vendem chocolate, souvenires e as célebres rendas locais. Reserve um tempo para passear pelos canais, que lembram Veneza e Amsterdã. Em Bruges, a analista de produtos se hospedou no Pandhotel, uma antiga casa de carruagens com quarto iluminado e aconchegante e um café da manhã bem servido.

Bruges

 

GHENT

Com atmosfera vibrante e cheia de vida, criada por conta da grande comunidade estudantil que nela habita, Ghent fica a poucos quilômetros de Bruxelas, localizada na região de Flandres. Para aproveitar um dia na cidade, passeie por Veldstraat, a principal rua comercial da cidade, com 400 metros de comprimento. Desde 1984 a rua está fechada para carros e somente pedestres e bicicletas podem acessá-la. Ao final dessa rua, você avistará as três torres de Ghent, que formam o horizonte medieval da cidade, compostas pela Igreja Sint Niklaaskerk; a segunda torre é Belfort, considerada o símbolo da independência da cidade; e a terceira torre é a Sint Baafskathedraal (Catedral de São Bavo), igreja gótica com uma torre de 89 metros de altura: “Há obras de artes expostas, entre elas, peças desenhadas pelos irmãos Van Eyck, que marcaram o início do período renascentista”, afirma Sarah.

Há também Gravensteen (O Castelo dos Condes), construído em 1180 por Philip of Alsace, outro dos clássicos pontos turísticos de Ghent. O espaço além de já ter servido como residência dos Condes, foi prisão e fábrica de algodão. Restaurado por arquitetos da cidade, que impediram sua demolição, trouxeram de volta o castelo da Idade Média. Aproveite o dia para comer  os Cuberdons, que são típicos docinhos de framboesa conhecidos como Nariz de Gante ou um tradicional waffle belga! A hospedagem em Ghent foi no moderno NH Hotel – para Sarah, o hotel mais democrático em que se hospedou no país.

Ghent

 

ANTUÉRPIA

Conhecida por ser a cidade dos diamantes, o último destino visitado foi Antuérpia, a aproximadamente 55 quilômetros de distância de Bruxelas, onde fica a maior estação de trem do país, a Antwerpen-Centraal (Estação Central de Antuérpia), com arquitetura incrível e imponente. “[Em Antuérpia] provamos o melhor chocolate belga, em uma loja chamada The Chocolate Line, de Dominique Persoone, um sabor realmente é incrível!”, garante.

A cidade possui também um dos maiores e importantes portos do mundo, localizado às margens do rio Escalda. A torre de Onze-Lieve-Vrouwekathedraal (Catedral de Nossa Senhora) tem 123 metros de altura é a maior do país. A praça do centro histórico de Antuérpia é encantadora e cheia de bares com deliciosas cervejas belgas. A cidade também possui um castelo às margens do rio, o Het Steen, que significa “a pedra”. Para conhecer além dos pontos turísticos, caminhe do centro da cidade, partindo da praça Grote Markt, até próxima, pequena e romântica vila de 1591. Quase toda original, é cheia de restaurantes e cantinhos charmosos. Vale a pena conhecer! Em Antuérpia, a hospedagem foi no Radisson Blu Astrid, hotel com bastante escadaria, elevador concorrido e quarto excelente.

Antuérpia

 

O QUE MAIS É PRECISO SABER PARA IR À BÉLGICA?

Para conhecer a Bélgica é necessário fazer escala em algum país europeu, pois não há voos diretos saindo do Brasil; com transporte que pode ser de avião ou até mesmo de trem, com acesso pelo aeroporto. Sobre documentação, basta ter o passaporte em dia, e a moeda local é o euro. Em cidades como Bruges e Ghent, Sarah indica passear a pé ou de bicicleta. Já em Bruxelas e Antuérpia, cidades maiores, é necessário utilizar de transporte público, táxi ou Uber.

Para comunicar-se, falar inglês é de muita valia; mas os idiomas oficiais são holandês, francês e alemão. O país é dividido em duas regiões – o norte, chamado de Flanders, onde fica a parte histórica do país, e o sul, chamado de Valonia, região com mais natureza. Prepare-se para desfrutar de chocolates, cervejas, fritas, comidas bem condimentadas e muitas opções de frutos do mar. Mas não esqueça-se do calçado confortável para enfrentar muita escadaria! Para mais informações, consulte seu agente de viagem. Assessoria de Imprensa Olé Comunicação

 

SERVIÇO

FRT Operadora de Turismo

Matriz Foz do Iguaçu

+55 (45) 3521-8500

[email protected]

Av. Brasil, 1345 – Centro

Edifício Mario da Rosa - 4º Andar - Sala 301 a 305