Mauro Picini Turismo 08/10/2020

Nova portaria do Brasil não interfere em negociação para reabrir Ponte da Amizade, afirma o Codefoz

 

Governo do Paraguai precisa assegurar contrapartida para circulação de moradores da fronteira. 
A Portaria nº 470/2020, em vigor no Brasil desde 5 de outubro, não interfere nos entendimentos para a reabertura da Ponte Internacional da Amizade. Essa é a avaliação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), que comparou o documento com a edição anterior da normativa. 
Conforme o Codefoz, a portaria brasileira reproduz a autorização para a circulação, nas fronteiras entre países, a moradores de cidades-gêmeas, como é o caso de Foz do Iguaçu, ligada a Ciudad del Este, no Paraguai, pela Ponte da Amizade. O documento vige até o início do mês de novembro. 
O presidente do Codefoz, Mario Camargo, explica que a nova edição da portaria não visa a postergar a reabertura da ponte, mas, sim, flexibilizar ainda mais o acesso ao país por via aérea. Na norma, o governo federal retirou a exigência de seguro aos viajantes estrangeiros, que agora necessitam somente atender a exigências migratórias.
“Os presidentes do Brasil e do Paraguai já confirmaram o comprometimento com a reabertura da Ponte da Amizade, resta saber as condições dessa retomada”, expõe Mario. “É importante ressaltar que portarias governamentais podem ser alteradas e ajustadas a qualquer momento, sendo prerrogativas do Poder Executivo para responder a cada situação concreta”, aponta. 
O dirigente do conselho de desenvolvimento socioeconômico defende que a gestão nacional do país vizinho deixe clara a contrapartida à portaria brasileira para o trânsito de fronteiriços. “Isso seria uma importante sinalização para as cidades da fronteira que sofrem os impactos sociais e econômicos com ponte fechada há quase sete meses”, reflete Mario Camargo. 
Portaria nº 470/2020, do governo brasileiro, expõe textualmente:
“Art. 4º As restrições de que trata esta Portaria não impedem:
II – o tráfego de residentes fronteiriços em cidades-gêmeas, mediante a apresentação de documento de residente fronteiriço ou de outro documento comprobatório, desde que seja garantida a reciprocidade no tratamento ao brasileiro pelo país vizinho.”
(Codefoz)

 

O turismo do futuro: os desafios da atuação profissional

O turismo é uma área multidisciplinar e que possui diálogo e intervenção com inúmeras áreas de conhecimento, como a geografia, a história, a economia e a gestão. É essa dinâmica de articulação que faz do turismo algo tão complexo e encantador.  
O gestor de turismo é o profissional responsável pela organização e operacionalização da atividade turística de forma ampla. Desde a identificação de potencialidades até o planejamento e desenvolvimento de empreendimentos e destinos turísticos sustentáveis e economicamente viáveis. Nesse sentido, é possível afirmar que o gestor de turismo é o profissional que atua na atividade turística promovendo a transformação da realidade de forma positiva e condizente com as características e necessidades de cada território.
Estamos inseridos numa sociedade de transição e as características dos territórios estão, portanto, sujeitas a modificações de forma dinâmica e constante. Desta forma, para empreender e atuar na cadeia turística é necessário estar atento as tendências e ao comportamento da atividade. É possível afirmar que as tendências dessa profissão estão relacionadas com a transformação tecnológica e ao pensamento inovador das práticas de turismo. Tornou-se necessário vislumbrar caminhos distintos para o desenvolvimento do setor. 
Podemos por exemplo, citar como uma tendência a busca humana pelo bem-estar, a necessidade de contato com a natureza e a busca pela autorrealização, interpretadas pelos especialistas como formas de alívio ao stress, encontro com a satisfação pessoal e até autoconhecimento. Outro caminho tendencioso do turismo está associado a evolução dos meios de transporte e a mobilidade urbana. Compreendendo que estamos vivendo uma era de transformação tecnológica e digital sem precedentes, o desenvolvimento das infraestruturas de mobilidade são cenários cada vez mais promissores para prática do turismo. E você, está preparado para atuar no turismo?
Autora: Grazielle Ueno Maccoppi –  Coordenadora dos cursos de Gestão de Turismo e Gestão Empreendedora de Serviços do Centro Universitário Internacional Uninter. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *