5 caminhos para evitar a falência de uma empresa

Problemas financeiros ou jurídicos, gestão eficiente e alta concorrência são os principais fatores que podem levar uma empresa à falência. Nesse processo é muito comum o empreendedor simplesmente fechar as portas, podendo ainda contar com a opção de vender sua empresa. 

Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que no Brasil, entre 2014 e 2018, mais empresas foram fechadas do que abertas. Além disso, com a crise de COVID-19 esse número ficou ainda mais evidente, com empresários destacando dificuldades devido às restrições impostas pela pandemia.

O que é falência?

O processo de falência de uma empresa ocorre quando o negócio passa a ser insolvente. Isso significa que o que a empresa ganha não é suficiente para pagar suas dívidas. Assim, a falência é um processo judicial, no qual o administrador da empresa não pode mais arcar com a gestão do negócio, passando assim o controle para um administrador judicial.

O objetivo é que esse administrador judicial reorganize as contas, gerindo os ativos e passivos da empresa de modo a pagar as dívidas. A falência é regulada por meio da Lei nº 11.101, de 2005, que prevê a classificação dos créditos e o procedimento para a decretação da falência, até as consequências do processo.

Esse processos pode ocorrer:

  • Por deliberação da assembleia-geral de credores;
  • Pela não apresentação, pelo devedor, do plano de recuperação no prazo estipulado pela lei;
  • Pela rejeição do plano de recuperação;
  • Por descumprimento de qualquer obrigação assumida no plano de recuperação.

A principal decorrência do processo de falência é a extinção da pessoa jurídica da sociedade empresária. Assim, o devedor, empresário ou sociedade empresária se tornam inabilitados empresarialmente.

Saiba como evitar a falência de sua empresa, mantendo-a bem organizada com planejamento e projeções. Aqui damos 5 caminhos que podem ajudar você a manter o seu negócio estável, buscando crescimento e valorização.

  1. Planejamento

Um bom plano de negócio é fundamental para qualquer empresa. A partir de um planejamento, o empresário pode avaliar informações sobre a situação do mercado e da concorrência, evitando surpresas, além de poder traçar melhorias em termos de marketing e  avaliar uma possível arrecadação de capital ou novas fontes de lucros, garantindo a manutenção do negócio.

Um bom planejamento, revisitado e atualizado, se faz ainda mais necessário em momentos de crise. Assim, reúna os sócios e gestores de sua empresa e discuta os novos caminhos pelos quais o negócio deve passar para se adaptar às adversidades do momento, antecipando os riscos a superação de dificuldades.

  1. Fluxo de caixa

Caso seu fluxo de caixa não esteja bem organizado, será preciso levantar todo o histórico financeiro para mantê-lo atualizado. É primordial analisar ainda a formação de preço de venda de seu produto, pois se não houver lucro para o seu negócio, essa formação pode estar errada. A análise de fluxo de caixa permite ainda saber se há um descasamento muito grande no cálculo do prazo de pagamento do fornecedor e de recebimento do cliente.

  1. Organização contábil e financeira

Estar bem organizado financeiramente também é primordial para ter clareza sobre os rumos e sua companhia. Além de evitar riscos em relação ao fluxo de caixa, é possível saber qual o potencial e crescimento do seu negócio a partir do valuation de sua empresa. A partir dessa avaliação, também ficará mais claro o tamanho das despesas e custos da sua companhia, podendo cortar alguns gastos de maneira estratégica sem prejudicar áreas que geram lucro ao negócio.

  1. Renegociação

Se após essas análises você verificar que o caixa está negativo e as contas começaram a atrasar, renegocie imediatamente as suas dívidas. Isso mostrará ao credor seu interesse em honrar com os compromissos, evitando o processo de falência.

Mas não basta apenas renegociar, e sim também buscar os meios para que os novos prazos sejam cumpridos de maneira transparente, sem precisar se envolver em novas dívidas a partir de empréstimos muito longos ou com juros altos.

  1. Fundo emergencial

Em tempos de crise, se antecipar a futuros problemas se tornou essencial para qualquer empreendedor. Diante das dificuldades enfrentadas em 2020 por conta da pandemia, muitas empresas viram a necessidade de manter uma reserva de contingência direcionada para possíveis obstáculos financeiros. Manter um fundo para emergências, ou uma reserva de caixa, pode salvar empresas em momentos adversos.

Manter a empresa bem organizada, controlada financeiramente e contabilmente é positivo não somente para evitar problemas futuros, mas também para valorizar o seu negócio ao longo do tempo. Isso facilita ainda se houver interesse em vender a empresa, o que pode ocorrer de maneira estratégica ou em um momento pessoal da carreira do empreendedor. Por isso, conte com assessorias especializadas que possam auxiliar no processo de organização de sua companhia, mantendo-a saudável no longo prazo.

Fonte: Capital Invest – assessoria especializada em fusões e aquisições.