A importância do legado para a longevidade da empresa familiar

A natureza pragmática do negócio de família e sua prosperidade no longo prazo estão intimamente ligadas à essência generativa e à base emocional do legado familiar. O desejo de manter valores, princípios e a história de uma firma pode moldar-se no tecido que conecta o propósito central da companhia, os vínculos familiares e as realizações significativas de várias gerações. Quando tudo isto é aproveitado como um meio de se aprender com o passado, são criadas melhorias contínuas nos processos de negócios e fortalecidas as ligações emocionais entre a empresa e a família.

Manter o legado da empresa familiar pode ser um ativo ou um passivo para o empreendimento, dependendo de como isso se traduz em práticas de negócio. Enquanto a maioria das gerações futuras o enxerga como um presente a ser preservado, alguns veem a obrigação de levá-lo adiante como um fardo. E nenhuma das duas visões está certa ou errada, já que essa herança representa um valor geracional que a empresa vem aportando há vários períodos. E, mesmo assim, não é algo simplesmente dado à próxima geração; é uma responsabilidade que esta deve assumir para manter o sucesso do empreendimento e a reputação da família.

O legado é único e peculiar. Pode ser uma linhagem, um nome, uma herança, uma pessoa jurídica ou histórias, mitos e até artefatos. Também inclui os princípios, o propósito e os valores que sustentam tanto a família quanto o negócio. Mesmo em empresas lideradas por um CEO não pertencente à família, a clareza do propósito, princípios e valores das sucessivas gerações orientam como as decisões são tomadas e a organização é administrada.

Muitos negócios criam e sustentam seus legados contribuindo significativamente para as comunidades ao seu redor. Alguns chamam de “Give back”. Isso frequentemente assume a forma de atividades filantrópicas, nas quais as famílias e suas empresas retribuem à sociedade por meio de ajudas financeiras. Muitas também dedicam tempo e trabalho no compartilhamento de sua experiência em conselhos comunitários e beneficentes. Já outras gostam de saber que oferecem algo ao mundo e à vida das pessoas.

Como ocorre em vários aspectos da empresa familiar, criar e manter uma tradição relevante e importante têm um significado especial. Além de representar as conquistas do negócio, sinalizam um reflexo do caráter de todos os envolvidos e do que desejam transmitir às gerações futuras para ser mantido e adaptado. E, como em toda família, mudanças podem ser abraçadas. Há oportunidades, em todos os aspectos, não apenas para institucionalizar os legados das empresas familiares, mas também para as gerações futuras revitalizá-los e assegurar que continuem tendo um sentido na sociedade.

Jubran Coelho é sócio da KPMG, líder de Private Enterprise, e Carolina de Oliveira é sócia-diretora da KPMG de Private Enterprise.