A tecnologia, a formação profissional e o avanço do agronegócio

A moderna tecnologia, como sabemos, está transformando as relações humanas e o desempenho de segmentos produtivos, no campo e nas cidades. No meio rural, os modernos equipamentos controlados por computadores, exigem cada vez maiores conhecimentos de produtores e/ou trabalhadores rurais.

Com esses avanços a sucessão nas propriedades rurais passou a exigir a frequência de filhos de agricultores em cursos superiores, como agronomia, medicina veterinária, biologia, administração, agronegócio e até Tecnologia da Informação (TI), o que está sendo facilitado pela expansão do ensino universitário para as médias e pequenas cidades.

Além disso, o crescimento do ensino à distância e a disponibilidade de internet no meio rural, também estão colaborando na formação de agricultores do futuro, atendendo as exigências do mercado internacional de alimentos, da adoção de novos equipamentos, da qualificação e diversificação da produção agropecuária e da preservação dos recursos naturais.

Dentro dessa nova realidade do agronegócio, está a Biblioteca Virtual, da Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea), do Rio Grande do Sul, que disponibiliza livros, artigos, periódicos e documentos aos interessados e alcançou meio milhão de consultas em 2021.

A Biblioteca Virtual foi criada há dois anos, oferecendo até mesmo vídeos produzidos por universidades, professores e estudiosos em geral, tendo como tema a agropecuária moderna. Entre janeiro e junho deste ano, a ferramenta recebeu grande número de acessos, alcançando quase meio milhão de consultas e superando as visitas ao longo de 2020.

Conforme os dirigentes da instituição, o material está organizado por campos de estudo, seguindo os componentes curriculares e foi dividido nas áreas de agricultura, zootecnia e administração rural e projetos. A iniciativa foi a forma encontrada pela associação para contribuir com o processo de formação pedagógica e a busca do conhecimento dos jovens rurais.

Conforme os idealizadores do empreendimento, nem sempre o aluno consegue obter os materiais necessários para sua formação no curso técnico do setor primário da economia. Ainda mais que os trabalhos escolares ainda continuam prevalecendo na forma on-line, pois as aulas presenciais prosseguem suspensas aguardando a imunização contra a Covid-19. Sendo assim, metodologia está disponível e pode ser acessada por qualquer pessoa, mesmo não sendo associada à entidade.

A ideia é que a Biblioteca Virtual também possa servir como portal onde os educadores postem seus materiais formando, assim, banco de dados e visando a maior interação entre todos os professores da área técnica agrícola do Estado.

Os dirigentes afirmam que o conhecimento, quanto mais amplo, será melhor e no caso da metodologia, o espaço não enfrenta barreiras já que oferece acesso universal e os conteúdos focam tanto o agronegócio em grande escala, como também a agricultura familiar. O acesso ao acervo pode ser feito no link: www.bibliotecaagptea.org.br.

No Oeste do Paraná, pelo que se sabe, não há biblioteca virtual disponível ao agronegócio, mas dispomos de dezenas de instituições de ensino superior, muitas públicas e gratuitas, com centenas de cursos de graduação, especialização, pós-graduação e mestrado, com ensino presencial e/ou à distância, muitos voltados à atividade produtiva e a disposição de todos de todos interessados. 

O autor é ex-deputado federal pelo Paraná e ex-chefe da Casa Civil do Governo do Estado

E-mail: [email protected]