Educação em meio à pandemia: desafios e aprendizados

Mais de um ano se passou desde o início da pandemia do novo coronavírus, período em que a educação sofreu grandes transformações. Hoje, vivemos um momento em que estamos nos adaptando ao ensino híbrido – enquanto uma parte dos estudantes e professores estão no colégio, outros têm aulas em casa. Essa condição muda toda a dinâmica de ensino que foi trabalhada em 2020. Professores, gestores, estudantes e famílias não tiveram escolha: a necessidade de adaptação às novas formas de ensinar e aprender não foi uma possibilidade a ser discutida, mas sim o único caminho possível.

Os efeitos da pandemia nos levaram, em 2020, a reconstruir todos os processos de ensino no Colégio Bom Jesus (aulas, avaliações, calendários, reorganização curricular etc.). Baseados nessa premissa, estabelecemos duas escolhas: a primeira foi não fazer uma mera transposição do presencial para o remoto, ou seja, instituímos um padrão que fosse adequado ao momento. A segunda alternativa, que se mostrou acertada, foi construir um processo que foi se adaptando e evoluindo progressivamente, e não definir um padrão para o ano todo.

Passamos a nos comunicar quase totalmente de forma on-line, não somente durante as aulas, mas também fora delas. Tivemos de aprender a lidar com plataformas de ensino on-line e dominar suas funcionalidades. Além disso, os professores se reinventaram para adequar o ensino à forma remota, redimensionando e organizando novos espaços, criando a proximidade para que o aluno se sentisse acolhido e para que suas aulas tivessem a melhor qualidade possível. Estudantes e suas famílias passaram pelo mesmo processo, enfrentando o desafio de se acomodarem de tal forma que o aproveitamento das aulas remotas fosse o melhor possível. Ainda, tiveram que enfrentar as perdas que o convívio com colegas e professores certamente poderiam causar.

Os gestores dos colégios também tiveram de se adaptar a novas ferramentas de comunicação, mas principalmente a exercer sua liderança a distância, buscando fazer com que professores, alunos e familiares aproveitassem as aulas da melhor forma possível.

Para 2021, novas mudanças estão se configurando. O início das atividades híbridas colocou sobre o professor e a escola o enorme desafio de manter a qualidade das aulas agora em dois ambientes, presencial e virtual, e não apenas em um. O retorno a um planejamento pedagógico mais próximo do que foi executado em 2019 vem carregado do desafio de buscar soluções para manter esta sala de aula, em dois ambientes, focada e motivada. Ao mesmo tempo, a condição de alunos presenciais e remotos se diferencia muito do período pré-pandemia. Afirmo que estamos vivenciando e construindo um novo momento na educação. Porém, nem tudo é problema, pelo contrário, e o campo educacional vem se movimentando, buscando e apresentando soluções para os desafios que surgem e progredindo para efetivar, cada vez mais, a excelência do atendimento pedagógico de suas instituições. Todo o processo vivenciado em 2020 e 2021 está dando às escolas, ainda que forçosamente, a grande oportunidade de se redescobrirem, avançando muito em apenas um ano o que, em um período normal, talvez não acontecesse em dez anos.

É um momento em que não podemos ter medo de nos desafiar, mudar e arriscar. As escolas que entenderem este período como oportunidade de evolução têm muito a crescer nos próximos anos e construir um novo modelo de educação, mais interativo, usando a tecnologia como meio e não como fim, uma escola focada no aluno e com condições de olhar e responder às necessidades que o mundo nos impõe. Porém, o grande diferencial é que nunca deixará de ser o professor, o ambiente de aprendizagem, a formação humana e de valores, enfim, a construção de um indivíduo que saiba reconhecer e exercer da melhor forma o seu papel na sociedade. Essas premissas nunca poderão ser deixadas de lado, e só se efetivam de forma concreta a partir de uma ampla parceria entre escola e família, seja qual for a modalidade de ensino empregada.

Marcelo Favaro é gerente Pedagógico do Grupo Educacional Bom Jesus.