Por que o PIX irá revolucionar o sistema financeiro?

Desde o dia 03 de novembro o sistema de pagamento instantâneo está funcionando para 5% dos clientes cadastrados em algumas instituições financeiras e em horários restritos. Segundo o Banco Central, essa fase de testes vai até o dia 15 de novembro e está sendo importante para verificar a estabilidade e a segurança do sistema antes de ser aberto para todos os usuários.

Após esse período será possível realizar livremente transações financeiras para qualquer conta bancária, 24 horas por dia, 7 dias da semana, com o tempo máximo de 20 segundos. O PIX chegou para facilitar as transações financeiras e substituir os famosos TEC e DOC.

Para compreender como essa ferramenta funciona, precisamos primeiramente entender como a TED e a DOC são operacionalizadas no sistema financeiro. Por exemplo, imagine que você queira transferir recursos para um amigo em um sábado à tarde, para uma conta corrente de outra instituição financeira.

Nesse caso, dependendo do valor da transferência, você fará uma TED ou uma DOC. Nesse momento você abrirá uma requisição no seu banco (digital ou físico na agência bancária), que aguardará o dia útil (segunda-feira) para fazer o registro no Banco Central. Depois do registo, o Banco Central irá validar a sua requisição com a instituição financeira de destino, que por sua vez creditará o valor na conta do seu amigo. Essa operação é tão burocrática e complexa que é até difícil de explicar.

O PIX mudou um pouco a ordem dos fatores e simplificou a forma de realizar as transferências bancárias. Primeiro, você terá uma chave única que servirá para qualquer banco. Há várias opções que podem ser cadastradas, como seu CPF, e-mail, número do celular ou até uma chave aleatória. Com a chave única, o PIX pulará a etapa do registro dos bancos e apenas precisará da validação do sistema do Banco Central, que demora no máximo 20 segundos.

Essa inovação é para bater palmas de pé, e eu vou explicar o porquê. Além de fazer a engrenagem da economia girar mais rápido e contribuir para a redução da informalidade, as famílias e empresas deixarão de pagar por elevadas tarifas bancárias cobradas pelas famosas TED’s e DOC’s.

Só para você ter uma ideia de quanto podemos economizar para nossos bolsos, só em 2019, contando apenas com as 4 maiores instituições financeiras no Brasil, nós pagamos mais de 37 bilhões na forma de tarifas bancárias.

Aquela velha frase “criar dificuldades e burocracias para colher facilidades” não irá imperar no sistema bancário. Agora com o PIX, boa parte desses 37 bilhões ficarão com os consumidores e empresas. Só para fazer uma comparação rápida, esse recurso é equivalente a 25% do orçamento para a educação do governo federal em 2020.

Para fechar nossa discussão eu gostaria de trazer alguns dos muitos benefícios da chegado do PIX:

Chega de passar sufoco por não ter dinheiro no final de semana ou feriado. Quem nunca recebeu o salário na sexta-feira na forma de cheque? Agora com o PIX, qualquer transação financeira cairá na sua conta imediatamente.

Se as transações financeiras serão mais rápidas, a produção e a comercialização também serão. Muitas vezes indústrias atrasam sua produção ou comerciantes acabam perdendo clientes por causa do tempo de confirmação da compra. Agora não será mais problema.

Dinheiro é o modelo tradicionalmente utilizado para transações de bens e serviços no mercado informal. O PIX tornará eletrônica as operações que normalmente ocorrem na forma de dinheiro, o que ajudará no registro e auditoria da emissão fiscal das empresas.

A drástica redução da receita de tarifas bancárias fará com que os bancos se esforcem mais para comercializar produtos para seus clientes. Com isso, é muito provável que sejam ofertadas linhas de crédito com juros mais competitivos e produtos mais customizados a cada cliente.

O mundo das pequenas compras só está começando. Já ouviu a seguinte frase “não posso te vender esse produto no cartão, só em dinheiro”? normalmente é um argumento utilizado na venda de produtos com baixos preços, devido ao custo do serviço da operadora do cartão. Agora não mais, com um QRcode ou um simples aceite no aplicativo do seu banco você poderá comprar qualquer coisa a qualquer preço.

Guarde seus comprovantes de TED e DOC, pois ficarão na história. O custo de uma TED ou DOC que ficam em média 10 reais se tornarão centavos ou até gratuitos com o PIX, dependendo de cada instituição financeira.

Mercado internacional ficará mais perto da sua casa. O PIX está sendo criando não só para atender o consumo doméstico, mas para possibilitar transações de bens no mundo todo (futuro).

O autoconsumo será potencializado. Em bares e restaurantes será cada vez mais normal opção de você escolher o seu prato ou bebida, realizar o pagamento e na sequência consumir. Com o PIX você poderá fazer o pagamento de vários produtos usando o QRcode que poderá estar disponível no menu do restaurante.

Muitas transformações, não? o PIX irá mudar a nossa vida. Como eu disse antes, é uma inovação para aplaudir de pé. Muitos me perguntam se o sistema é seguro… Eu digo que é pelo menos tão seguro quanto o uso atual de aplicativos e sistemas digitais, pois o PIX utiliza hoje a mesma estrutura ofertada pelos bancos. Então, fique em paz. Se você não fez seu cadastro ainda, acesse o aplicativo de sua instituição financeira ou contate o seu gerente de conta.

O PIX chegou para mudar o jeito de lidar com o dinheiro.

João Ricardo Tonin, economista