Quarentena sobre rodas

Há seis meses estamos enfrentando a pandemia do novo coronavírus, e dentre as muitas mudanças percebidas, o aumento no número de bicicletas nas ruas. A bike, que há anos tem sido substituída pelos videogames para as crianças, e para os adultos havia se transformado em item decorativo na garagem de casa, voltou com tudo durante a quarentena. As lives de cantores famosos foram, mas passaram. Os aplicativos de fazer exercício em casa já não trazem mais o ânimo de antes. A televisão e o celular já cansaram as nossas vistas, e muitos recorreram a uma velha amiga, a magrela, para superar o tédio.

Muitas pessoas que tiveram que voltar ao trabalho mesmo durante a pandemia lembraram-se da bicicleta, e hoje a utilizam como meio de transporte no lugar de pegar ônibus lotados, ou mesmo o carro próprio. Outros preferem pedalar durante o fim de semana, ao ar livre, para exercitar o corpo e relaxar a mente.

De acordo com a Associação Brasileira do Setor de Bicicletas, a venda de bikes aumentou 118% no mês de julho deste ano em comparação ao mesmo período de 2019, uma evidência de que os ciclistas estão tomando as ruas das cidades. Entretanto, a grande maioria dos municípios não acompanharam este crescimento e deixaram de investir em infraestrutura específica para este segmento.

No Paraná, houve um aumento de 57% nos internamentos de ciclistas acidentados entre 2010 e 2019, a maioria deles atropelados durante a prática da atividade. A preocupação deve ser constante, especialmente agora durante o período de eleições, em que muitos candidatos montam seus planos de governo e suas propostas. O momento é de se comprometer em fortalecer os investimentos em segurança para os ciclistas, que são grandes responsáveis pela mobilidade urbana das cidades, e que merecem o compromisso do poder público em ajudá-los a manter este movimento crescente nos municípios.

Este ano, com a renovação dos contratos das concessões rodoviárias no estado, é ideal também que sejam incluídos itens que aumentem a segurança dos ciclistas nas estradas do Paraná, local onde muitos se acidentam por não contarem com uma infraestrutura adequada para sua circulação.

O aumento no número de ciclistas pode ser percebido em todo país, por isso precisamos que as autoridades das esferas federal, estadual e municipal se envolvam na busca de melhores condições para este grupo, que garante o melhor fluxo nos centros urbanos, que ajudam a preservar o meio ambiente e que dão exemplo de desenvolvimento sustentável para todos nós!

Wilmar Reichembach é deputado estadual no Paraná (PSC)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *