Coluna do Editor 02/12/2020

Grupo forte

Ainda sobre a eleição municipal em Toledo, embora haja um desgaste natural, é inegável a força do grupo do Partido Progressista. Mais uma vez o partido elegeu a maior bancada para a próxima legislatura – cinco no total – e somou nada menos que 14.507, suficiente para eleger três vereadores de acordo com o quoeficiente eleitoral que este ano ficou em 3.706 eleitores.

Sobras

Mas como então o PP ficou com cinco cadeiras na Câmara Municipal? Simples, porém nem tanto. A partir daí se pegam os votos de sobra de todos os partidos, mais os de legenda e se começam a fazer contas para ampliar a participação democrática dentro do Legislativo.

Salvação

Essa conta foi a salvação para três partidos que não haviam conseguido atingir o quoeficiente: PV com 3.582, Republicanos com 3.360 e PT com 2.958, que elegeram um representantes graças às sobras.

Não deu

Outros dois partidos, o PSB, que teve a vereadora Marli do Esporte como a mais votada (1.621 votos), precisaria de mais 30 votos apenas, pois somou na primeira conta 2.557; enquanto isso o PTC fez 2.014 votos, muito longe de conseguir uma cadeira.

Na lista

Os outros partidos com votos para vereador foram PDT (1.667), Avante (1.437), PSL (965), Rede (561) e PSOL (299).

Mais uma

Mas a conta ajudou PL (8.095), MDB (5.961) e Cidadania (5.174) que ficaram, cada partido, com uma vaga a mais dentro da Câmara.

Nova regra

É que pela primeira vez em uma eleição municipal neste ano de 2020, houve uma mudança aprovada no Código Eleitoral pelo Senado, ainda em 2017, e isso refletiu diretamente no resultado do pleito. A inovação trata do cálculo de distribuição das chamadas “sobras” e fez com que um número maior de partidos elegesse vereadores para a Câmara Municipal de Toledo.

Vagas

A legislação determina que o número de vagas a que cada partido terá direito na composição do Legislativo é feita pelo cálculo do quociente partidário (qp). Esse índice é obtido pela divisão do número de votos que o partido teve (os individuais mais os dados para a legenda) dividido pelo quociente eleitoral (qe). Já o quociente eleitoral é a divisão dos votos válidos pelo número de cadeiras em disputa.

Consolação

Por falar na vereadora Marli do Esporte, já escrevi sobre isso aqui: ela deverá ganhar como ‘prêmio de consolação’, o cargo dentro da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, que deverá ainda ganhar o ‘reforço’ da Cultura. Ao menos foi isso pregado durante a campanha eleitoral pelo prefeito eleito.

Disputa

Aliás, o cargo na SMEL parece estar bastante disputado, a ponto de um vereador reeleito ter ido pessoalmente negociar. Parece ter pesado a mão do prefeito eleito nesta primeira queda de braço.

Redução

Outra proposta era acabar com as Secretarias da Mulher, Juventude e Assistência Social, criando a Secretaria da Família. Outra que estava antes da eleição na mira era a Secretaria de Comunicação Social. Resta saber se as promessas de campanha serao ou não cumpridas.

Aumento

A constatação é muito simples: da outra vez a conversa foi rigorosamente a mesma e, na prática, o que houve foi um aumento de cargos e a distribuição farta de funções gratificadas.

Força jovem

Anotem aí este nome: Thiago Mostachio (PSDB). Ele é um dos mais jovens vereadores da história em Palotina e hoje aparece como uma dos bons nomes na safra nova da política regional.

Olho em 2022

Por falar em nomes no âmbito regional, de olho em 2022 o prefeito de Maripá Anderson Bento Maria não esconde de ninguém seu desejo de se lançar candidato a deputado estadual. Quem sabe até mesmo numa dobradinha com Marcel Micheletto que deverá vir a deputado federal na próxima.

Filas

Nas duas agências da Caixa Econômica Federal em Toledo as filas nesta terça-feira eram intermináveis. Cenas, infelizmente, comuns nos últimos tempos…