Coluna do Editor 08/03/2021

Democracia

A democracia brasileira é um tanto engraçada. Há alguns dias o deputado federal Daniel Silveira 9PSL-RJ) foi preso por determinação do Supremo Tribunal Federal – a decisão depois foi corroborada pela subserviente Câmara Federal – por ele ter feito críticas ao ministro do STF Edson Fachin por este ter criticado um tuíte do ex-comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, cuja manifestação foi considerada uma tentativa de interferência no poder Judiciário.

Livre manifestação

Não que eu concorde com o deputado, entretanto, se vivemos num regime democrático, ele deve ter o direito a se manifestar, assim como quem defendia a liberdade ao ex-presidente – condenado – Luiz Inácio Lula da Silva ou então como defende agora as ações tresloucadas do presidente Jair Bolsonaro. Mas o questionamento é: se o deputado foi preso, o que deveria acontecer com quem age da mesma forma, ou seja, defende propostas semelhantes aqui em Toledo?

Mensagens

Num grupo de WhatsApp chamado “Uma Toledo Melhor” tem muita gente que defende a volta do AI 5 (o Ato Institucional 5 que intensificou a repressão no Brasil para uns e para outros apenas garantiu a ordem e o progresso) e o fim da “ditadura do STF”.

História

Um dos ferrenhos defensores desta tese é tio de um deputado estadual no Paraná, mas que agora protesta, talvez depois do concurso público que acabou com algumas regalias na mina de dinheiro inesgotável que garantiu um bom padrão de vida até hoje. Antes não havia protesto! A perda da concessão seria o motivo de tanta irritação agora? É preciso explicar isso à população de Toledo?

Vacinas

Sobre a questão das vacinas, em sua passagem por Cascavel esta semana, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello foi taxativo: os prefeitos que podem parar com essa demagogia de querer comprar vacina por conta que, quando as doses chegarem ao Brasil, serão confiscadas pelo MS. Assim, sem choro nem vela…

Igualdade

A ideia do ministro é que a vacinação deve ser única. Nenhum município na frente do outro e nenhum estado na frente do outro.

A leitora escreve…

Uma leitora assídua deste espaço me telefonou esta semana se dizendo altamente indignada com tudo que estamos vivendo neste momento. “Nosso país tem de retomar os rumos de nação grandiosa e respeitada no mundo inteiro”, disse ela, ressaltando ser um “fruto da educação, fruto da escola pública, da universidade pública” e que dedicou sua vida ao serviço púbico como assistente social, onde Toledo foi referência durante muito tempo.

Aulas

Ela disse ter lido sobre a manifestação da última quarta-feira que, entre outras coisas, pedia o retorno às aulas de maneira presencial. “O momento é de restrição, então vamos respeitar porque se precisar de leito hoje não tenho. Nem pagando. A vacina ainda não chegou ao meu grupo e deve demorar para chegar, por isso é momento da gente ter um pouco de sensatez”, bem disse a nossa leitora.

Tratamento precoce

Os médicos Jesus Viegas, Jorge Luiz dos Santos e Miroslau Bailak, ligados à Associação Médica de Cascavel, se uniram para traçar um plano de enfrentamento à Covid-19. O objetivo é fornecer orientações e disponibilizar medicamentos para o tratamento precoce para quem está sentindo os primeiros sintomas da doença. O mais importante: tudo gratuito! Os custos estão sendo bancados por empresários solidários à ação. A meta seria entregar 50 mil kits, algo em torno de R$ 2 milhões.

Reunião

Neste sentido, parece que neste sábado (6) está prevista uma reunião na Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit) entre médicos adeptos à ideia e empresários.