Coluna do Editor 15/06/2021

Acidente

Ontem pela manhã aconteceu um acidente quase em frente à Associação Cultural e Esportiva Ouro e Prata, na Vila Industrial. O presidente Niulton Pegoraro lembrou que há mais de ano vem tentando resolver a questão de um ônibus que fica estacionado bem no local onde o acidente aconteceu, prejudicando a visão de quem por ali trafega.

Protocolo

Em contato com o Jornal do Oeste, Pegoraro estava ainda mais irritado com a resposta obtida quando entrou em contato com a Guarda Municipal: Era preciso ir à prefeitura fazer um protocolo. É o fim da picada!

Orientação

Talvez seja reflexo da nova orientação para os agentes da Guarda não comparecer a acidentes, como aconteceu recentemente no Jardim Coopagro.

Visita

O vereador Valdomiro Bozó (PSL), acompanhado do assessor Agnaldo ‘Facero’ Souza, visitou o Jornal do Oeste ontem. Veio se solidarizar em relação às declarações feitas pelo presidente do Legislativo, Leoclides Bisognin (MDB) na última sexta-feira, quando foi ofensivo pela reportagem do Jornal do Oeste mostrando a realidade da Covid em Toledo e região.

Respeito

Para Bozó é preciso ter respeito com tudo e todos, ainda mais com a imprensa que apenas vem cumprindo seu papel de informar.

Limite

Para mim este é um assunto passado, entretanto, em 28 anos de profissão e de muitas críticas já feitas, jamais chamei ninguém de “lixo”, como fez o presidente da Câmara, do alto de sua prepotência.

Ouvidos

Talvez ele, assim como alguns integrantes do Executivo, pudessem dar mais ouvidos à população que sofre ou então aos próprios servidores públicos que estão diariamente desabafando, como fez Rosemara Oliveira na semana passada. “O sentimento que sinto como servidora municipal da saúde de Toledo é de total descaso! Desde que a pandemia começou estamos trabalhando mais que nunca, as administrações (deixo claro que tanto essa como a anterior estão pouco se importando com a Saúde o bem estar ou com a vida dos servidores) acham que somos máquinas, SIM estamos na linha de frente e só temos percas, cada pouco somos apedrejados com decisões pensadas como se fossemos apenas números”, escreveu ela.

Desabafo

O desabafo da servidora é enorme, mas retrata bem o atual momento pelo qual tantos profissionais estão passando, assim como as filhas de uma senhora internada no Mini-hospital desde o último dia 28 de maio. O que elas falaram é de arrepiar…

Oxigênio

Na sessão do último dia 7, por exemplo, o vereador Genivaldo Paes criticou a falta de suporte para os profissionais que trabalham no Mini. “Neste momento, com enfermeira trabalhando 12, 18 horas por dias, ainda tem de andar quase 60 metros para buscar um tubo de oxigênio de quase 45 quilos”, disse ele, questionando por que não se usam os guardas municipais “que estão cobrando o EstaR e põe lá pra carregar o oxigênio”.

Fiscalização

Genivaldo ainda questionou sobre a fiscalização. “Não adianta fazer Decreto se a Guarda Municipal não vai fiscalizar”. Segundo o vereador falou na Tribuna, no fim de semana os guardas não podem “incomodar” o secretário de Segurança e Trânsito.

Improbidade Administrativa

A Câmara Federal deve votar essa semana a proposta que altera a Lei de Improbidade Administrativa poderá ser votada na próxima semana. Segundo o presidente da Casa, deputado Arthur Lira (PP/AL), o relator do texto, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), fará mais algumas reuniões com alguns partidos para apresentar seu parecer. A proposta estabelece que caberá ao Ministério Público propor ações de improbidade administrativa, assim como a aprovação de eventuais acordos com os envolvidos. Já as ações de ressarcimento continuam de titularidade do ente público lesado.