Coluna do Editor 17/02/2021

Pedágio

O senador Flávio Arns parece, agora, ter entrado também na luta contra o modelo de pedágio proposto ao Paraná este ano. “Os paranaenses convivem há mais de 20 anos com preços extorsivos nas praças de pedágio, obras inacabadas e falta de transparência no processo. Agora, está em discussão o novo modelo de concessões rodoviárias apresentado pelo Governo Federal e que prevê mais 30 anos de concessão onerosa, com a criação de 15 novas praças de pedágio em todo o estado”, escreveu ele em mensagem encaminhada à imprensa.

Inaceitável

Ainda de acordo com o senador, “este modelo é inaceitável! O modelo baseado no preço de pedágio com outorga aumenta significativamente o preço da tarifa para os usuários. A preocupação do Governo Federal com a competência técnica de quem vence a licitação pode ser ultrapassada por um bom processo licitatório, que ocorra de forma transparente e com fiscalização”.

Menos preço

“Defendemos um modelo de contrato baseado no menor preço, que resulte em tarifas baixas, com garantias de execução das obras e ampla transparência durante todo o processo. Essa bandeira deve unir todos nós – senadores, deputados federais e estaduais, governador e, principalmente, a sociedade paranaense que está cansada de pagar pedágio com preços abusivos e com obras não realizadas”, finalizou Arns.

Investimentos

Ainda falando do pedágio, levantamento feito pelo gabinete do deputado Soldado Fruet (PROS) aponta que passam de R$ 500 milhões os investimentos que o Governo do Paraná está realizando nos trechos das rodovias estaduais (PRs) que deverão ser concedidos à iniciativa privada pelo governo federal. Segundo ele, o levantamento das obras em execução e em licitação foi realizado com base em informações oficiais da Agência de Notícias do Paraná (www.aen.pr.gov.br).

Dobro

A título de comparação, o valor é quase o dobro do montante total investido pelo Estado na execução de obras rodoviárias em 2020 (R$ 263,5 milhões), conforme divulgado pelo Governo, afirma o parlamentar.

Convocação

Por fim, o deputado estadual Michele Caputo (PSDB) defendeu a convocação do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas para que debata a proposta do governo federal sobre o modelo das novas concessões de pedágio no Paraná. Caputo sugeriu aos deputados da bancada federal paranaense para que articulem junto ao presidente Jair Bolsonaro a determinação para o ministro participar de sessão na Assembleia Legislativa.

Pedreira

Bacana a atual gestão celebrar o recorde de produção da pedreira municipal em Toledo. Só faltou mencionar um detalhe: não fossem os investimentos feitos durante a gestão do ex-prefeito Lucio de Marchi, certamente a marca seria quase impossível de ser batida.

Equipamentos

Lucio, com participação decisiva do ex-diretor da Emdur Rodrigo Sales, decidiu comprar novos equipamentos e uma nova área, resultando na desativação da pedreira na saída para Marechal Cândido Rondon, ampliando a pedreira municipal que funciona na saída para Ouro Verde do Oeste.

Vai e vem

Além da melhoria na produção, esses investimentos permitiram ainda outra economia, porque o vai e vem de caminhões da Prefeitura de Toledo transportando pedras de um lado para o outro era intenso. Agora é menos tempo gasto, menos combustível e, claro, maior durabilidade do asfalto.

Carnaval

Conforme acordo do Sindicato do Comércio Varejista e Sindicato dos Empregados no Comércio, nesta terça-feira de Carnaval, o comércio de Toledo poderá abrir suas portas. Fica livre aos lojistas a possibilidade de funcionamento dos negócios, desde que tenham regularizado junto aos colaboradores as horas trabalhadas no mês de dezembro de 2020, de acordo com a Convenção Coletiva de Trabalho.

História

Historicamente os Sindicatos negociavam a terça-feira de carnaval com o dia 14 de dezembro. Como forma de cuidado e prevenção ao Covid-19, em 2020 o feriado municipal foi antecipado para o dia 13 de julho. Independente das revogações ou não de pontos facultativos decretados pelos governos estadual e municipal, para o comércio varejista fica valendo a Convenção Coletiva de Trabalho.