Coluna do Editor 19/07/2021

Visita

A vereadora Olinda Fiorentin (PSD) esteve sexta-feira no Jornal do Oeste para uma visita rápida. Ela foi recebida pelo diretor-administrativo Armando Staudt Manfroi. Sempre de bom astral, Olinda comentou sobre sua luta em defesa dos direitos da mulher.

Procuradoria

Após a aprovação – por maioria – na Câmara Municipal do projeto de reestruturação administrativa proposta pelo prefeito Beto Lunitti, que acabou com a Secretaria de Política para Mulheres, a vereadora Olinda Fiorentin já escolheu qual será sua próxima bandeira: a luta pela implantação em Toledo da Procuradoria da Mulher.

Apoio

Para isso ela conta com o apoio da deputada estadual Cristina Silvestri, que é a atual procuradora da mulher no Paraná.

Tranquila

Apesar de algumas críticas feitas pelo vice-prefeito Ademar Dorfschmidt, que tem espalhado nas redes sociais e grupos de WhatsApp que os vereadores que votaram contra o projeto de reestruturação votaram “contra a família”, Olinda Fiorentin garante estar com a consciência tranquila porque sempre defendeu os valores familiares e brigou, no bom sentido é claro, até o fim pela manutenção de uma secretaria tão importante quanto era de Política para Mulheres.

Memória

Sobre estas postagens do vice, aí vai uma frase de 20 de setembro de 2017, postada numa rede social: “Um dia anuncia a extinção das secretarias da Juventude e Mulher…outro dia anuncia a retomada das mesmas…mais uma do governo. Mais de 1200 atendimentos da patrulha Maria da Penha e na pauta do governo PP extinguir a secretaria da Mulher. É Justo isto,??”. A postagem é do então vereador Ademar Dorfschmidt, contra uma proposta muito parecida com esta aprovada na Câmara e da qual ele participou ativamente como vice-prefeito.

Parecida

Parecida porque o então prefeito Lucio de Marchi queria unificar as secretarias da Juventude e Mulher para criar a mesma Secretaria da Família proposta agora. E as semelhanças param por aí, até porque no projeto de 2017 não havia distribuição solta de Funções Gratificadas como na proposta apresentada pelo prefeito Beto Lunitti, muito menos aumento de cargos comissionados.

Economia

Na época, e isso poucos se atrevem a dizer, era a solução encontrada para tentar recolocar a economia do município no que diz respeito à folha de pagamento porque o limite prudencial deixado pelo prefeito Beto Lunitti em 2016 ao seu sucessor estava estourado e o município não podia na época fazer contratações ou concursos públicos, apenas para ficar em dois exemplos da situação deixada pelo mesmo gestor que aí está e segue cometendo os mesmos erros.

Operação

A Polícia Civil do Paraná realizou esta semana uma operação contra uma organização criminosa que utilizava empresas de fachada responsáveis por fraudes em processos licitatórios. A ação aconteceram em 19 cidades do Estado. Da região foram presas pessoas em Cascavel, Quatro Pontes, São José das Palmeiras, Ouro Verde do Oeste, São Pedro do Iguaçu e São Miguel do Iguaçu, Santa Lúcia, Capitão Leônidas Marques, Capanema, Realeza, Catanduvas, Três Barras do Paraná e Rio Bonito do Iguaçu.

Crimes

Após investigações de alta complexidade, a Polícia Civil constatou que o grupo criminoso seria responsável por criar empresas de fachada com funcionários laranjas e a participação de servidores públicos. Eles seriam responsáveis por fraudar processos licitatórios e causar prejuízos aos cofres públicos. As investigações tiveram início em março de 2019 com intuito de apurar as irregularidades na aquisição de peças de reposição de máquinas pesadas, que compõem a frota de veículos da Prefeitura de Missal.

Nada fácil

Aliás, não anda nada fácil a vida de secretário em Ouro Verde do Oeste. Um ex foi preso nesta operação da Polícia Civil e outro também o foi na semana passada, por outros motivos.

Grama

Este segundo caso seria porque o moço estava mais interessado em fazer turismo ambiental na grama da vizinha. Parece que era mais verdinha…