Coluna do Editor 19/09/2020

Covid-19

Ainda de luto pela morte do irmão Odacir, em função da Covid-19, a vereadora Olinda Fiorentin – emocionada – participou da sessão da Câmara de Toledo e lembrou que há alguns dias havia dito que o grito se torna chato de tanto repetir as mesmas coisas em relação à doença. No seu entendimento é preciso gritar ainda mais.

 

Não sei mais…

A vereadora disse não saber mais o que fazer com as pessoas ao passar em várias regiões da cidade e perceber a falta de amor próprio das pessoas que não se preocupam mais com uma doença silenciosa e cruel.

 

Dor

“As pessoas só vão compreender a dor quando mudar o nome para morreu meu sobrinho, morreu meu compadre, a minha primeira professora faleceu. Vai se dando nome novo a esse bicho invisível. Hoje digo, faleceu meu irmão, que faria 56 anos neste sábado”, comentou a vereadora, triste e ao mesmo tempo indignada. E com total razão!

 

Sentimentos

Expressei no dia do falecimento de Odacir Fiorentin meus sentimentos à vereadora Olinda e reforço isso agora, até porque também tenho sido um dos ‘chatos’ a gritar pela prevenção contra essa doença, a tentar despertar nas pessoas um sentimento de amor próprio e ao próximo que ultrapassa os limites das discussões políticas, eleitoreiras ou ideológicas.

 

Lamentável

Como é triste observar pessoas ditas esclarecidas, que se autodenominam lideranças, bradarem tanta besteira diante de um assunto tão técnico e que deveria ser levado mais a sério. Lamentável!

 

Novo imposto

O líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, deputado federal paranaense Ricardo Barros (PP), admitiu que a proposta do Executivo de reforma tributária deve incluir a criação de um novo imposto para compensar a desoneração da folha de pagamento das empresas. Segundo ele, sem isso, não há como promover a desoneração e reduzir o custo de contratações.

 

Substituição

“Se não criarmos um novo tributo, nós não teremos a desoneração da folha”, disse Barros em entrevista ao portal UOL. Barros alega que não se trata de aumento da carga, o sofre resistência dos parlamentares da base governista, mas uma substituição.

 

Partidão

A Associação Cultural e Esportiva Ouro e Prata, na Vila Industrial, é hoje o maior ‘partido’ de Toledo. Um partidão!

 

Democracia

Primeiro porque lá reina a democracia em termos de participação, com pessoas de vários partidos políticos convivendo lado a lado e com total respeito.

 

Conquistas

A postura neutra do eterno presidente Niulton Pegoraro, aliás, tem gerado conquistas importantes para a associação. E isso desde os tempos de Derli Donin. Gestão após gestão, a Ouro e Prata foi ganhando espaço, ampliando sua estrutura até se tornar este espaço democrático exemplar.

 

Sinalização

Esta semana foi feita a sinalização horizontal na região do Dullius/Gaffuri. Importante destacar que ficou excelente!

 

Aviso

Entretanto é importante frisar que seria interessante colocar algumas faixas alertando os motoristas sobre a mudança na preferencial na Rua São João em dois pontos, quase no fim da rua, pra cima da Praça do Relógio. Só uma sugestão antes que aconteça algum acidente de trânsito mais grave.

 

“Pode Isso Arnaldo?”

Na terra de ninguém chamada Facebook a campanha eleitoral começou…e com tudo! Com direito até a algumas pessoas realizando pesquisa eleitoral de maneira totalmente irregular de acordo com a legislação eleitoral. Pelo visto será mais uma eleição daquelas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *