Coluna do Editor 21/11/2020

Boas supresas

Sigamos com a análise da eleição municipal em Toledo quanto aos vereadores. Não foram apenas decepções entre os mais votados e que ficaram como suplentes. O que dizer do calouro Bruno Radunz, primeiro suplente do PSD que teve 949 votos e disputou palmo a palmo uma cadeira com Olinda Fiorentin? E Cláudio Gasolina (PL) que com seus 821 votos é também primeiro suplente de seu partido? O apelido não é mera coincidência: ele é irmão do ex-vereador Expedito ‘Gasolina’ Ferreira.

PSD forte

Por falar no PSD, caso o partido não naufrague nos próximos anos, tem tudo para começar a formar um grupo capaz de disputar de igual para igual espaço em Toledo. Além da eleição de Olinda Fiorentin e da excelente votação de Bruno Radunz, teve ainda dois nomes de estreantes entre os mais votados: Vilmar José Ludvig (794) e Daniel da Saúde (780).

Novo assessor

Por falar em Daniel, ele é o novo assessor de Marcos Zanetti na Câmara Municipal, em lugar de Edna Nunes que terá mais tempo para se dedicar ao projeto da Embaixada Solidária.

Renovação

Dentro do PP, o resultado ds urnas foi bastante claro: o partido precisa se renovar. E rápido! Entre os eleitos, apenas Pedro Varela e Valtencir Careca pertencem à velha guarda. E entre os suplentes, Jairo Cerbarro (669 votos) e Rodrigo Sales (666) surgem como bons nomes neste processo. Tiveram uma votação expressiva, mesmo em sua primeira ‘aventura’ como candidatos. Some-se à lista o nome da empresária Eliane Bombardelli e seus 521 votos.

Sumiu!

Outro que poderia se somar a esta lista é César Krüger que ao contrário de Rodrigo Sales, sumiu durante o processo eleitoral. Cito os dois porque eram, ao lado do prefeito Lucio de Marchi, pré-candidatos a prefeito.

Adeus?

Diante da votação baixa de dois decanos do PP em Toledo, Luís Fritzen (613) e Renato Reimann (533), fica claro que o partido precisa repensar algumas estratégias adotads ao longo dos anos.

Uma pena

Fiquei, confesso, triste e surpreso com de Janice Salvador, de longe uma das melhores vereadoras da atual legislatura. Uma pessoa sempre equilibrada, ponderada, fime em suas colocações, mas educada. Uma estudiosa dos projetos que passaram pela Câmara Municipal que vai perder muito com sua saída.

Trabalho errado

Já não fiquei tão surpreso com a não eleição de Walmor Lodi que fez apenas 450 votos, quinto suplente do PL. O resultado é fruto do trabalho errado realizado por ele que buscou ser candidato a vice-prefeito e, quando percebeu, restou apenas disputar uma vaga na Câmara. Tarde demais…

Derrocada

E o que dizer da derrocada dos vereadores Leandro Moura (405 votos) e Airton Savello (353). Ambos, hoje no Patriotas, viram seus votos simplesmente desaparecerem em relação à eleição passada e hoje esperam apenas os dias passarem para voltarem às suas atividades antes da política.

União

Muita gente se surpreendeu com a eleição de Marcelo Marques (Patriota) para a Câmara de Toledo, assim como se surpreendeu com a de Vagner Delabio há oito anos. Ambos pertencem à Renovação Carismática e possuem uma base sólida de votos.

Racha

Bem diferente da Guarda Municipal, onde até se cogitou uma candidatura única, entretanto, alguns egos prevaleceram. Da corporação o melhor foi Vanderlei Ceolin (Patriota), com 323 votos. Na sequência Bernardino Reis (MDB) 289, De Sousa (PP) 210, Moises Bayer (PSD) 173 e Adão Marinho (DEM) 115. Acho que eram esses.

Soma

A soma de todos dá, exatos, 1.110 votos, ou seja, mais que suficiente para eleger um. Para reflexão!