Coluna Editor 04/05/2021

Reeleição

“Precisamos trabalhar muito para reeleger o presidente Jair Bolsonaro em 2022”. A frase é de Dilceu Sperafico, durante manifestação ocorrida no último sábado em Toledo, em apoio ao presidente da República. Na visão do ex-deputado federal e ex-chefe da Casa Civil, Bolsonaro tem feito um excelente trabalho e que o credencia a se manter mais quatro anos no cargo.

Toledo contra Covid

A campanha Toledo contra Covid continua. Até o dia 15 de maio, os testes rápidos e a medicação para tratamento imediato seguem gratuitos. 

A destinação é para pacientes nos primeiros dias de sintomas. Os testes devem ser agendados pelos telefones (45) 99912-0330 e 3056-7528, de segunda a sexta-feira das 8 às 18 horas e aos sábados das 8 às 14 horas. Os exames são realizados na Farmácia Primato (em frente ao Cemitério Municipal).

Consulta

O paciente que apresentar resultado positivo e quiser ter acesso a medicação de tratamento deverá realizar uma consulta médica no sistema de saúde público ou privado e retornar à farmácia com um receituário, que dará direito a retirada da medicação.

Bons números

A campanha Toledo contra Covid iniciou no dia 12 de março de maneira presencial no Ginásio da Unipar até o dia 16 de abril. Foram 1.165 pacientes atendidos em 34 dias de projeto, 120 voluntários e 30 médicos envolvidos nos atendimentos gratuitos.

Atraso

O líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, deputado paranaense Ricardo Barros (PP), acusou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pelo atraso na vacinação contra a Covid-19 no Brasil. Em discurso no plenário, Barros – que foi ministro da Saúde do governo Temer – afirmou que o fato de a Anvisa ter autorizado o uso de poucas vacinas no Brasil “atrasa” o cronograma de imunização do governo.

Dificuldade

“Ainda com poucas vacinas autorizadas pela Anvisa, e portanto atrasando o nosso cronograma de vacinação, mas o governo fez os contratos, assinou os contratos e tem as 560 milhões de doses de vacinas contratadas”, alegou o líder governista. “E contratará mais, porque como estamos vendo agora, a programação de entrega de vacinas não pode ser cumprida porque não houve a possibilidade da liberação da Anvisa nem da Covaxin, nem da Sputnik, nem de outras vacinas que estão lá pedindo o uso emergencial”, disse o deputado.

Imunizantes

O governo tem sido criticado por ter demorado para comprar imunizantes em 2020. Depois, quando buscou adquirir as substâncias, outros países já tinham passado na frente. A vacinação tem sido feito no Brasil com os imunizantes CoronaVac e o desenvolvido pela universidade britânica de Oxford com a farmacêutica AstraZeneca. Também tiveram registrou ou autorização de uso emergencial pela Anvisa as vacinas da Janssen e da Pfizer/BioNTech.

Mudanças

Na Promotoria de Justiça em Toledo houve mudanças recentes. A promotora Sarah Dreher Ribas Paiva, de Francisco Beltrão, assumiu a 1ª Promotoria de Justiça, junto à área de execução penal em regime fechado e semiaberto. O antigo ocupante da pasta, o promotor Sandres Sponholz, passa a ocupar a 6ª Promotoria de Justiça, vinculado à área criminal e de execução penal (regime aberto).