Dia D para o pedágio

Esta quinta-feira pode representar o Dia D para a questão do pedágio no Paraná, isso porque em duas frentes simultâneas representantes de várias entidades de classe tentarão expor ao próprio presidente Jair Bolsonaro e a técnicos do Ministério da Infraestrutura a real necessidade de mudar o modelo proposto para a renovação da concessão das estradas que cortam o estado para o modelo de menor tarifa, a exemplo do que ocorre em outros estados. Em Cascavel – onde estará Bolsonaro – e em Curitiba – onde estarão os técnicos – números serão apresentados, cartas entregues, documentos protocolados, enfim, todas as ferramentas burocráticas para o atual momento da qual a sociedade paranaense pode dispender neste momento serão apresentadas a quem efetivamente tem o poder de decisão.

Um documento endereçado ao governador Carlos Massa Ratinho Junior também destaca a firme posição desta entidades pela manutenção do julgamento das licitações pelo chamado critério de Menor Tarifa. Desde o ano passado o programa vem sendo amplamente discutido e esse modelo da Menor Tarifa, o qual foi endossado por toda a Comunidade referida, rapidamente ganhou o apoio necessário. Frise-se que em nenhum momento as entidades ou a própria sociedade é contra o pedágio, mas sim à forma como o atual modelo torna o Estado do Paraná um dos mais caros para investimentos devido ao altíssimo valor das tarifas pagas.

Embora o pedágio seja uma arbitrariedade, haja vista já se pagar outros impostos justamente para a manutenção e melhorias da malha viária brasileira, ainda assim a maior reclamação é porque a população do estado já foi massacrada durante mais de duas décadas pelos pedágios mais caros do país, quem dirá do mundo inteiro, isso com os motoristas precisando trafegar em rodovias ultrapassadas, rodando quilômetros e quilômetros em pistas simples, muitas vezes sem acostamento ou pontos de ultrapassagem, encarecendo ainda mais as viagens realizadas. Sem mencionar o rol de obras não realizadas ao longo deste período de exploração do serviço. Um serviço ruim e caro e que não pode mais prosseguir.