Doar, um ato de solidariedade

Este mês de setembro serve também para conscientização das pessoas quanto à importância da doação de órgãos, como revela reportagem do JORNAL DO OESTE nesta edição. O chamado Setembro Verde quer despertar no cidadão a necessidade de doar, de se colocar no lugar do outro. O Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos é celebrado em 27 de setembro. A data idealizada pela ABTO – Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, busca, então, conscientizar a população sobre a importância de ser doador de órgãos.

A ideia é ajudar as pessoas que lutam por uma oportunidade de salvar as suas vidas. Assim, devemos lembrar dessas datas pela cidadania, co-participação social e na igualdade de condições. O objetivo é continuar na luta pela ampliação de direitos, por uma sociedade mais justa.

O que podemos fazer para garantir uma sociedade mais justa, inclusiva e acessível? A resposta a essa pergunta passa necessariamente por campanhas como essa da doação de órgãos, assunto cercado de tabus no passado e que ano após ano, graças a campanhas muito esclarecedoras, foi sendo desvendado a ponto do Estado do Paraná ser hoje uma referência e estar no topo do ranking de doações de órgãos.

Neste contexto o Hospital Bom Jesus, em Toledo, teve – e até hoje tem – papel fundamental nessa virada de um jogo que parecia perdido, mas que começou a se inverter quando as pessoas começaram a ter uma visão mais clara de como funciona o sistema de doações, de como é possível salvar outras vidas com gestos simples e que em nada mudam a vida de quem já se foi, entretanto, causam impacto gigantesco em quem permanece.

Doar é, acima de tudo, um ato de solidariedade, de amor ao próximo, de respeito à vida. Doar é uma forma de mostrar ao mundo como o ser humano é capaz de ações impressionantes e capazes de transformar a vida de outro ser humano para melhor, muitas vezes devolvendo literalmente o prazer de viver. Doar é um verbo que cada vez mais está ficando na moda e precisa cada vez mais deixar de ser um modismo para se tornar uma política de estado capaz de transformar cada vez mais vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *