Dobradinha

Esta semana, em parceria, o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa lançaram a segunda edição do Programa Paraná Mais Cidades com a destinação de R$ 500 milhões para investimentos em obras e melhorias nos 399 municípios do Paraná. O maior pacote de recursos para os municípios a fundo perdido deve ser responsável pela geração de 10 mil empregos em todo o estado. Do total de recursos disponíveis, R$ 250 milhões é fruto da economia nas despesas orçamentárias da Assembleia Legislativa do Paraná que estrão sendo devolvidos ao caixa do governo.

O dinheiro é bem-vindo, ainda mais quando os municípios enfrentam redução drástica de recursos em função da crise econômica e social causada pela Covid-19. Como bem destacou o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSDB), o programa tem a função não apenas de dar suporte aos municípios, mas terá um grande impacto na economia do estado. Na prática o dinheiro poderá ser investido em obras e na geração de empregos, auxiliando no desenvolvimento dos municípios paranaenses e, no futuro, fazendo retornar esse recurso ao caixa do governo com mais impostos, num movimento constante de retroalimentação da gestão pública.

O Paraná mais uma vez dá exemplo de uma boa gestão dos recursos públicos, pois é um dinheiro fruto da economia do Legislativo e da administração séria do Executivo. E este, aliás, é o grande destaque do Paraná Mais Cidades: a união de forças dos poderes em busca de opções de desenvolvimento pleno. Não fosse a participação da Assembleia junto nesse processo, certamente o montante de recursos seria bem menor. Lançado em 2019, até agora 74% dos investimentos já estão pagos e entregues, 15% ainda está em andamento e outros 4% faltam documentação ou a prefeitura declinou do convênio. O valor não aplicado será realocado para a atual edição do programa que oferece aos municípios recursos a fundo perdido para a execução de obras e compra de maquinário previsto em um cardápio de investimentos. Um cardápio farto e que alimentará as economias dos 399 municípios paranaenses, pois a dobradinha entre Assembleia e Governo não faz distinção de ideologia partidária, mas aposta é no crescimento do Estado do Paraná como um todo.