Liberdade ou responsabilidade?

A nova gestão municipal em Toledo, desde antes de assumir o comando da Prefeitura, insistia na tecla de interferir o mínimo possível na sociedade em relação ao problema da Covid-19. O desejo era manter em alta o slogan “Liberdade com Responsabilidade”, um mantra que, na visão teórica dos novos gestores, poderia despertar nos toledanos o sentimento de seguir as regras básicas de prevenção e, dessa forma, auxiliar no controle da doença e com o passar do tempo voltar a níveis toleráveis.

Na prática aconteceu justamente o contrário. Sem fiscalização a população e o comércio em geral desandou a promover eventos, participar de festas, curtir a vida como se não houvesse amanhã. O resultado prático foi visto no fim de semana, com lotação máximas dos leitos de UTI na Regional de Toledo, bares, botecos, botequins, restaurantes e lugares para eventos lotados sem o menor pudor de seus donos ou dos participantes das dezenas de eventos realizados de maneira simultânea, com direito a muita foto e vídeos nas redes sociais para quem quisesse ver.

Com um cenário preocupante na Regional de Saúde, na Macro Oeste e no município, o prefeito de Toledo Beto Lunitti assinou, ainda na tarde deste domingo (21), um decreto e uma portaria que estabelecem novas medidas para enfrentar a pandemia da Covid-19.

O Decreto n. 52, de 21 de fevereiro de 2021, estabelece medidas para a implementação de ações de enfrentamento da pandemia. Desta maneira, o artigo primeiro considera facultativo o funcionamento de atividades comerciais, industriais, de prestação de serviços de eventos e de lazer todos os dias no horário compreendido entre 6 horas e 23 horas.

Já na Portaria n. 111, de 21 de fevereiro de 2021, designa o secretário de Segurança e Trânsito de Toledo Arthur Rodrigues de Almeida para o desempenho de funções de Autoridade Sanitária. O objetivo é proceder à fiscalização do cumprimento das medidas relacionadas ao enfrentamento da pandemia. Conforme a Portaria, o secretário poderá expedir informações, lavratura de intimações e/ou autos de infração, imposição de multa, suspensão e interdição das atividades se for caso.

As medidas, necessárias sem dúvida, infelizmente poderão ter chegado tarde demais e os números que tanto cresceram nos últimos dias poderão, dentro de uma a duas semanas no máximo, explodirem ainda mais pelo comportamento irresponsável de tantas pessoas, inclusive de quem diz ter inteligência de sobra, mas que prefere apenas jogar para a torcida ao invés de promover o respeito às leis. É chegada a hora de escolher: liberdade ou responsabilidade?