O avanço da vacina

Embora ainda contestada por algumas ‘mentes privilegiadas’, fato é que a vacinação contra a Covid-19 tem contribuído para a redução do número de internações e de mortes em todo o mundo. Aliada a medidas restritivas, a vacina se tornou o grande diferencial na luta contra a Cpvid-19. No Paraná já é possível observar resultados amplamente positivos. O número de testes positivos vem caindo gradativamente, assim como o número de novos casos. Basta observar Toledo e Cascavel, duas das cidades com maior incidência há alguns meses, mas que nos últimos dias estão tendo um saldo positivo nesta verdadeira batalha contra uma doença que tantas vidas já levou e que ainda assusta.

E por que os resultados estão sendo positivos? Primeiro por causa das medidas restritivas adotadas pelo Governo do Estado que, embora polêmicas e indesejáveis, foram e são necessárias para enfrentar um dos momentos mais críticos desde o início da pandemia. Outro ponto que muitas pessoas não observam foi a adoção da vacinação de domingo a domingo, ou seja, além de acelerar a vacinação em todo o estado, não deixa doses de vacinas paradas. O que vem…vai!

O objetivo dessa estratégia foi ampliar as possibilidades para que o cidadão receba a dose. A orientação é para que as vacinas não fiquem estocadas, até porque esse fluxo de abastecimento tem sido constante e a tendência é de ficar ainda mais robusto daqui para frente diante do aumento de capacidade de produção dos laboratórios e também pela autorização por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Amvisa) de novas marcas para uso emergencial, ampliando o leque de armas contra a Covid-19.

Os números de pessoas vacinadas não para de crescer, enquanto na contramão a faixa etária vai caindo de maneira bastante rápida. Hoje, por exemplo, o município de Toledo já vacinou 10% da população na primeira dose contra a Covid-19 e o foco ontem, por exemplo, foi a segunda dose para idosos com 80 anos ou mais e profissionais da saúde. E será assim, de maneira gradativa e com o avanço da vacina que a sociedade ganhará terreno sobre um inimigo até aqui impiedoso, mas que começa a ser vencido pelo avanço inimaginável – e rápido – da ciência.