O peixe na alimentação

Nos últimos anos a maioria das pessoas tem procurado mudar sua alimentação em busca de algo mais saudável, mas que possa ao mesmo tempo sustentar o corpo. Neste sentido a alimentação vegetariana ou vegana ganhou espaço, mas ainda aquela tradicional segue dando as cartas quando o assunto é o cardápio do brasileiro, que adora comer. E de preferência bastante! Talvez seja fruto do país tropical onde em se plantando, tudo dá. Mas há momentos em que a saúde precisa ser priorizada e aí é preciso uma completa readequação alimentar.

Perder peso, praticar atividade física, mudar o cardápio são frases bastante comuns por quem enfrenta este tipo de situação e pode parecer alarmismo e algo quase inatingível. Não é! Basta paciência, persistência e, claro, a devida orientação sobre a melhor forma de se alimentar e de se exercitar com os profissionais corretos. Nutrição e educação física precisam caminhar lado a lado com a disciplina e com a força de vontade, até porque perder o peso ganho após tantos doces e carboidratos consumidos não é tarefa tão simples assim. Mas é possível.

A troca de alguns alimentos pode ser o grande segredo e aí entra a questão da carne de peixe, algo que os brasileiros em geral ainda nãos e acostumaram, mas que é bastante comum em cardápios de muitos países onde o consumo de peixe é abundante. No caso brasileiro parece haver certo preconceito com os peixes, sejam eles de água doce ou salgada. É mais ou menos o que acontece ainda com a carne suína.

Mais saudável a carne de peixe pode, num primeiro momento, não oferecer a quem a saboreia aquela sensação de saciedade como acontece, por exemplo, com a carne bovina. Além disso, há o fator preço, pois em geral a carne de peixe, mesmo a nossa querida tilápia, tem um valor maior quando comparada com outras carnes e isso pesa, ainda mais num país em que cada tostão representa um milhão ao cidadão comum. Se a carne suína tem feito um trabalho de divulgação e de massificação, na cadeia do peixe ainda falta muito para que o produto possa ser visto como algo natural. No Paraná existem vários bons exemplos, com destaque para a inclusão da polpa de peixe na merenda escolar. Pouco, mas um começo para que o peixe na alimentação possa ser mais comum do que é hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *