Os voos de volta?

Em sua edição desta sexta-feira (18), o JORNAL DO OESTE questionou se agora os voos comerciais a partir do Aeroporto Municipal Luiz Dalcanale Filho, operados pela Azul, irão decolar de vez ou será apenas mais um sopro de esperança num setor que tanto investiu para deixar o local em condições minimamente operacionais para o setor comercial. Os próximos meses serão decisivos para essa resposta que poderia ser adiantada pelo próprio poder público.

Há tempos o JORNAL DO OESTE defende uma mudança na destinação do Luiz Dalcanale Filho, ainda mais após os altíssimos investimentos feitos no Aeroporto de Cascavel, transformando-o num verdadeiro aeroporto regional, embora diferente daquela proposta apresentada há décadas e que sucumbiu aos interesses políticos que tanto mal fizeram ao oeste paranaense. Ao invés de tentar entrar numa batalha perdida, Toledo poderia vencer a guerra ao iniciar um processo de transformação de seu aeroporto para executivo e de cargas ao invés de tentar bater de frente com Cascavel, hoje operando em condições muito melhores que Toledo em função de ter duas gigantes do setor de aviação operando de lá – Azul e Gol – e com aeronaves de maior porte.

Seria algo semelhante ao que aconteceu com Campinas (SP). Guardadas as proporções, seria possível gradativamente ir ampliando a capacidade operacional de Toledo, pensando num primeiro momento em se transformar num aeroporto executivo e de cargas. As operações comerciais de passageiros seriam uma consequência natural.

A questão executiva é muito fácil de identificar, afinal, hoje o Luiz Dalcanale praticamente opera dessa forma. A questão de cargas precisa ser vista com urgência, afinal, grandes empresas operam na região e precisam de alternativas mais ágeis para o escoamento da produção e a chegada de matéria prima. Com a consolidação do projeto do Biopark, o Aeroporto de Toledo ganharia uma importância ainda maior, especialmente por estar localizado praticamente ao lado deste empreendimento que marcará um novo ciclo de desenvolvimento para Toledo e região.

Os voos precisam voltar, sim, entretanto, não necessariamente neste momento com aviões de passageiros, haja vista haver outros nichos a serem explorados num setor vital para o crescimento de uma cidade que sempre deu exemplos de pioneirismo e poderia dar mais este.