Qual o valor de uma inverdade?

Qual é o valor para ser um cidadão com dignidade? Qual é o valor para ter uma vida honrada? Qual é o valor para não mentir? Qual é o valor para ser respeitado ou amado? Qual é o valor para não prejudicar alguém ou algo? O valor pago é estar bem com a sua consciência. A verdadeira frase: estou bem com a minha consciência.

Nem todas as pessoas compartilham desta opinião e muitas utilizam minutos de seus dias na elaboração de notícias ou informações falsas. Possuem o prazer – porque no mínimo deve haver um sentimento – em disseminar uma inverdade, mesmo sabendo seus riscos ou suas consequências.

Se existe uma verdade é a de publicar uma inverdade para viver bem ou para debochar. Acredito que informações falsas são publicadas para tirar alguma vantagem, prejudicar alguém ou pelo fato espalhar o caos.

As Fake News ou notícias falsas ganharam maior visibilidade nos últimos tempos. A facilidade e a velocidade de disseminação e o impacto em que podem gerar são os dois principais motivos. Além de interferirem no cotidiano de cada cidadão.

Em tempos de pandemia, as circulações de notícias, vídeos, áudios ou mensagens falsas propagam o medo ou a angústia nas pessoas. Quando o assunto é coronavírus, a informação tem o seu valor. Muitas pessoas estão pesquisando o assunto em todos os locais e muitas acessam Fake News.

De maneira geral, a saúde, sem dúvida, é um dos temas preferidos para quem dissemina Fake News e para piorar a situação existe quem compartilha a informação sem a sua devida checagem.

O município de Toledo também é alvo de quem compartilha inverdade. A última que circulou em grupos de WhatsApp informava que pacientes a partir de 74 anos seriam vacinados a partir do mês de março. A Secretaria de Saúde esclareceu que a mensagem é falsa. A imunização iniciou na última quarta-feira e se destina apenas aos pacientes com mais de 95 anos. Além disso, a pasta segue o calendário de imunização já apresentado.

O que leva alguém compartilhar essa informação e me refiro quem produziu o texto, pois talvez outras pessoas também tenham sido vítimas. Por isso, a importância em averiguar a notícia antes de compartilhá-la. Logicamente que qualquer pessoa pode cometer um equívoco. Nestes casos, o pedido de desculpa pode fazer a diferença ou uma explicação pode trazer o entendimento para cometer tal ato. Se é certo ou não caberá cada pessoa ou diante da necessidade a autoridade avaliar. Ao longo dos anos, a disseminação da mentira ganha amplitude e demanda novas estratégias para levar informação qualificada ao público.

Enquanto isso, o pedido é para que cada cidadão reflita as suas ações. Analise a informação antes de disseminá-la. Quando for possível e tiver dúvida, busque esclarecer a notícia. ‘Troque uma ideia com alguém’. Afinal, a consciência limpa é a melhor ‘coisa’. Sabe o valor daquela paz de encostar a cabeça no travesseiro? Do valor em estar tranquilo com as próprias atitudes? Esses valores ninguém tira. Consciência limpa o melhor ‘remédio’ para uma vida tranquila.