Roxo de novo…

O Centro de Operações Emergenciais (COE) de Toledo divulgou o resultado da avaliação da Matriz de Risco para a última semana epidemiológica (SE 15/2021), entre 11 e 17 de abril deste ano. A análise leva em conta a comparação com as duas semanas anteriores. Neste cenário, com 20% a mais no número de óbitos, o município eleva o status da situação epidemiológica para a Bandeira Roxa, ou seja, risco muito alto.

Apesar de algumas justificativas e da tentativa de fazer parecer que tudo está bem, ainda assim a situação segue sendo gravíssima em relação à pandemia do novo coronavírus em Toledo. Essa percepção não se baseia apenas no retorno à bandeira roxa, mas pelo próprio comportamento do número de casos que, dia sim, dia não, tem oscilado para cima, não fazendo baixar o número de casos em análise, tampouco de casos ativos. As constantes mortes também são um sinal de alerta que algumas pessoas insistem em não querer enxergar, assim como a lotação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Os serviços de saúde ainda estão sofrendo os efeitos do colapso vivenciado no final do mês de fevereiro e mês de março deste ano e poderão sofrer ainda mais por causa da Páscoa, onde o comportamento das pessoas não foi assim tão exemplar, com viagens e aglomerações acontecendo. Neste sentido a fiscalização quanto ao uso de máscara nas ruas da cidade deveria ser intensificado, entretanto, a tal Operação Máscara Negra aconteceu publicamente apenas uma vez. E somente no Parque Ecológico Diva Paim Barth, sendo que em qualquer volta despretensiosa pelos bairros é possível flagrar muitas pessoas ainda sem máscara. Inclusive no comércio!

A boa notícia dos últimos dias foi a redução drástica na fila de espera para os leitos de UTI na área de abrangência da 20ª Regional de Saúde, o que permite ao menos um ‘respiro’ para atendimento a quem ainda segue em estado grave internado nos hospitais de Toledo e região.

Que o retorno à bandeira roxa seja encarado com maior seriedade por parte das lideranças – sejam elas públicas ou da sociedade organizada – porque é justamente o pensamento de que tudo está bem que tem nos mantido numa situação ainda ruim.