Ser mãe sem romantismo

Ser mãe vai muito além de gerar um filho no ventre. Ser mãe exige um tipo de renúncia que só pode ser explicada por quem vive e cada mulher sente de um jeito diferente. Ser mãe pode ser a realização de um sonho. Ser mãe pode ser um divisor de águas. Ser mãe pode trazer sentimento de culpa. Ser mãe é uma missão vista como dádiva.

Independente do planejamento, ter um filho difere do ato do ser mãe. Afinal, mãe trabalha em tempo integral, muitas vezes, esquece que precisa se alimentar, que também precisa de roupas novas, que também precisa de cuidados.

Ela vive situações de constantes dilemas: se esquece de cuidar da aparência física é taxada como descuidada, mas ninguém observa como o filho está com o cabelo impecável; a roupa dela pode estar amassada, mas a do filho foi devidamente ‘engomada’; ela pode passar o dia com pão e água, mas no prato do filho não lhe falta nada.

Não romantizar a vida de mãe é uma dura realidade. Sempre tem alguém para criticar; criticar se amamenta no peito ou dá fórmula; criticar se oferta doces para o filho antes dos dois anos de idade ou impedi a criança de comer guloseimas; criticar se abandona a carreira para cuidar do filho ou opta em conciliar com a vida profissional; criticar se pede para alguém cuidar da criança para ir cuidar da beleza ou esquece de si a ponto de não encarar o espelho; criticar se liberar para namorar cedo ou tentar ‘segurar’ os filhos.

O fato é que as críticas vêm. E elas vêm de desconhecidos e de pessoas próximas. O importante é estar preparada para lidar com cada uma delas e tirar proveito daquelas que servem para ajudar a crescer, porque ninguém nasce mãe, mas sim filha, e é preciso aprender a ser mãe.

A maturidade vem com o tempo, com os anos, com as experiências, com os medos que limitam, com a superação desses medos, com os erros, com os acertos, com as perguntas dos filhos, com aquilo que os filhos ensinam, com o amor. Quem é mãe sabe que o amor é algo incondicional, que o sorriso do filho acalma as dores, esquenta o coração e faz com que surjam forças quando o cansaço já ultrapassou os limites. Amor de mãe vai além da vida. Amor de mãe é sublime. Sorte do filho que conhece ou conheceu esse amor. Sorte da mãe que sabe fazer suas escolhas, que se perdoa para poder seguir em frente, que ama esse amor que não pode ser descrito, mas apenas vivido.