A reinvenção da Humanidade

– Falar de propósito é muito bonito, mas se no final do mês eu não pagar os salários, os impostos e as contas, a empresa fecha. Eu preciso faturar!

Foi a fala do empresário que está carregada de verdade. Porém, a verdade presente nessa fala transmite uma visão negativa do setor produtivo que não é verdade. Tem-se a impressão de que o empresário tem como propósito “ganhar dinheiro” ao manter o foco em “preciso faturar”. Entretanto, incluir o propósito na fala e na vida dos diretores, investidores e gestores pode nos levar a desmistificar a visão negativa que se construiu sobre o setor produtivo. Ocupar-se de manter uma atividade que tenha um propósito pode e deve ser lucrativo, porque não se trata de somente não fechar as portas. Avançamos para um projeto de reinvenção de ser humano com um propósito claro para se estabelecer novas conexões. E essa tarefa começa com um exercício de humildade assertiva da cúpula organizacional. Qual é o propósito real na fala do empresário? O que ele gera ao pagar os colaboradores, as contas e os impostos? Se respondermos a essas perguntas com mais profundidade chegaremos ao propósito do empresário que vai além de “ganhar dinheiro”. Ao pagar os colaboradores ele contribui na realização dos seus sonhos. Ao pagar as contas ele fomenta a que outros negócios prosperem. Ao pagar os impostos ele provê as condições para que o setor público cumpra com a sua função. Assim, ao analisarmos em profundidade o que está envolvido ao se manter uma atividade produtiva se pode perceber que ganhar dinheiro é uma consequência, nunca o propósito. Da mesma forma, a conectividade virtual e física que mantém um negócio com as suas portas abertas vai muito além do networking construído pelas pessoas e empresas. Ele avança para aquilo que você pode contribuir com quem você conhece e não somente com o que você vai receber de quem você conhece. E essa postura exige uma reinvenção do comportamento e do discurso. Não basta somente ser honesto é fundamental parecer honesto, diz o ditado. No meio empresarial atual, não basta somente gerar bem-estar, é fundamental alinhar o discurso com a prática. Assim, o desafio é que as pessoas, gestores ou geridos, busquem o seu propósito muito além da atividade. Que as pessoas saibam como podem ajudar muito mais do que serem ajudadas. Que as pessoas se reinventem numa viagem profunda para dentro de si e que entendam o seu verdadeiro papel na humanidade. O mundo é melhor porque você está nele? Caso contrário, por que você está nele?

Voltando ao comentário do empresário, caso ele se aprofunde na importância do seu papel, ele vai perceber que há um propósito na sua atividade. O propósito é mais do que ganhar dinheiro, assim como a conectividade é mais do que o networking. A reinvenção da humanidade passa por um alinhamento do discurso com a prática. Muitas vezes, o discurso do bem-estar pelo assistencialismo é bonito, mas os resultados são perversos. Por outro lado, o discurso da produtividade pode parecer duro, mas os resultados são o bem-estar. A elevação do nível de consciência da importância do papel de todos os atores envolvidos no cenário das organizações é que permitirá o alinhamento entre propósito, conectividade e reinvenção. Enfim, a reinvenção da humanidade passa pela conectividade com propósito.

Moacir Rauber

Blog: www.facetas.com.br

E-mail: [email protected]

Home: www.olhemaisumavez.com.br