Mauro Picini Sociedade + Saúde 03/06/2020

Higienzação e cuidados para sua casa contra os vírus…

Somos uma empresa especializada em deixar estofados, tapetes e cortinas muito mais limpos, cheirosos, aconchegantes e protegidos. Fazemos tudo com muito carinho e atenção aos detalhes, para que cada cliente possa desfrutar de momentos maravilhosos no seu lar, com sua família. Atuamos na cidade de Natal (Rio Grande do Norte) e agora com filial na nossa querida cidade de Toledo e vamos atender toda região. Nesse momento que estamos passando com essa pandemia é de extrema importância manter nosso ambiente residencial e empresarial higienizado. Nós da Paraná Higienização utilizamos produtos de alta qualidade e fornecemos laudo técnico da eliminação de fungos, bactérias, vírus, ácaros que se encontram em colchões, sofás, poltronas, cadeiras, peças em couro, tapetes, cortinas entre outros. Somos especializados também em estofados de alto padrão como o linho, algodão que são peças de muito bom gosto e que necessitam um cuidado especial para fazer a higienização correta. Agradecimento pelas dicas Paraná Higienização –  Mais informações (45) 99806 -6100 – [email protected] ou Instagran: parana.higienização

 

Como a higiene bucal contribui com a prevenção ao Coronavírus?

O estado de saúde do paciente que tenha contraído a covid-19 pode ser agravado, caso sua higiene bucal não seja adequada

Lavar adequadamente as mãos com água e sabão, e, na ausência de local apropriado para a higiene das mãos o uso do álcool em gel a 70%, como também, não levar as mãos sujas às mucosas do rosto (olhos, nariz e boca), são orientações que recebemos todos os dias para evitarmos a Covid-19, doença causada pelo Coronavírus. Mas a higiene bucal também deve ser intensificada, já que uma das portas principais de entrada do vírus é a boca.

A odontopediatra e especialista em ortopedia funcional da Clínica Odontológica Odonto Saúde, Dra. Mônica Takemura explica como a higiene bucal, pode ajudar a evitar agravamentos da doença. “Importante lembrarmos que a boca é a porta de entrada para o vírus. Quando temos desequilíbrio na cavidade oral, como cáries, gengivite, infecções dentárias, isso pode comprometer o sistema de defesa do nosso organismo. Com a correta higiene bucal nós mantemos nossa boca livre de restos alimentares, evitando proliferação de bactérias. Estas bactérias presentes em infecções bucais, podem cair na corrente sanguínea e se alojar em outros órgãos, podendo causar ou agravar o quadro de saúde geral do paciente”.

A Dra. Mônica alerta para a importância de lavar as mãos antes e depois da higiene bucal e orienta: “Devemos realizar três escovações diárias, com uso de creme dental com flúor – uso do fio dental antes de cada escovação, limpeza da língua com higienizador de língua ou a própria escova de dentes,  uso de enxaguante bucal sem álcool após as escovações. Devemos pensar nessa rotina independente do Coronavirus”, alerta.

Outra dica da odontopediatra da Clínica Odontológica Odonto Saúde, Dra. Mônica Takemura é sobre a escova de dentes e a dieta. “A escova deve ser trocada em média a cada 6o dias, mas se tivermos algum quadro de doença infecciosa, devemos trocar a escova após melhora para evitar uma recontaminação. E ainda, manter uma dieta saudável e equilibrada, onde alimentos ácidos e açucarados não devem ser consumidos com muita frequência”.

Medidas de Segurança

Durante a Pandemia do Coronavírus as medidas de biossegurança são intensificadas em todos os ambientes. “Não estamos proibidos de atender, mas fomos recomendados pelo Conselho Federal de Odontologia para dar preferência aos atendimentos de urgência e emergência, cabendo a cada profissional avaliar a situação de seu paciente. Num primeiro momento, a orientação é que o contato seja telefônico, para que o profissional avalie a necessidade de um atendimento presencial ou para que passe orientações que possam levar ao melhoramento do quadro de queixa do paciente”, esclarece Dra. Mônica.

Quadros de dor, fratura de dente, alterações gengivais graves, edemas na face são alguns dos indicativos de atendimentos emergenciais. “Uma emergência odontológica não tratada pode levar o paciente necessitar de internamento hospitalar, o que deve ser evitado, especialmente neste momento, pois há outras prioridades pela pandemia de Coronavírus ou pela epidemia de Dengue, e outros problemas de saúde que continuam acontecendo e os hospitais precisam atender”, adverte a profissional.

A odontopediatra e especialista em ortopedia funcional da Clínica Odontológica Odonto Saúde, Dra. Mônica Takemura tranquiliza os pacientes sobre a biossegurança, em tempos de Coronavírus. “Nós fomos treinados para trabalhar em ambientes de alto risco biológico, isso faz parte da nossa rotina. Neste momento, temos algumas novas recomendações para que estes atendimentos continuem acontecendo de forma segura para o paciente, os profissionais e sua equipe”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *