Mauro Picini Sociedade + Saúde 24/02/2021

Prati-Donaduzzi recebe autorização da Anvisa para
comercializar apresentações mais acessíveis do Canabidiol

Os produtos estarão disponíveis nas melhores farmácias do Brasil em até duas semanas. Foto: Assessoria Prati-Donaduzzi

A indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi recebeu hoje (22) a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para comercializar duas novas concentrações do seu produto Canabidiol. A permissão publicada no Diário Oficial da União possibilita duas novas opções no mercado, de 20 mg/ml e 50 mg/ml, garantindo mais acessibilidade ao tratamento com o Canabidiol de produção 100% nacional.

As novas apresentações chegam ao mercado com preços menores à população. De acordo com o diretor-presidente da farmacêutica, Eder Fernando Maffissoni, a previsão é os novos produtos já estejam disponíveis em até duas semanas nas melhores farmácias do Brasil.

“As pesquisas não param. A Prati-Donaduzzi continua investindo pesado no desenvolvimento de novos produtos deste segmento para continuar com sua missão de prover saúde e bem-estar a milhões de brasileiros. Estamos felizes em oferecer mais possibilidades de tratamento com o Canabidiol para os pacientes, pois evidencia nosso compromisso como uma indústria farmacêutica brasileira, com 27 anos de história”, assegura Maffissoni.

Desde abril do ano passado, a farmacêutica tornou o tratamento com canabidiol brasileiro uma realidade. O produto foi lançado porque a RDC 327/2019 da ANVISA, criou uma nova categoria no Brasil, os produtos de Canabidiol. Agora as novas apresentações somam-se ao portfólio da empresa que já possui em comercialização o Canabidiol Prati-Donaduzzi na concentração 200 mg/ml, apresentado em solução oral ao consumidor.

Disponibilidade
Todas as concentrações do Canabidiol Prati-Donaduzzi são versões do medicamento que está em estágio final de estudo clínico fase III, através de uma parceria público-privada entre a indústria farmacêutica e a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo.

Para o gerente de Inovação e Pesquisa Clínica da Prati-Donaduzzi, Liberato Brum Júnior, colocar produtos à base de Canabidiol no mercado é um compromisso firmado com saúde dos brasileiros. “A Prati acredita e fomenta a inovação nacional, somente nesse projeto são mais de 6 anos de dedicação em pesquisas. Somos a primeira e única farmacêutica brasileira a permitir acesso ao tratamento com Canabidiol produzido em nosso país”.

Liberato revela que as novas apresentações do produto, além de ampliar as possibilidades de tratamento, reforçam a referência da farmacêutica em Canabidiol no Brasil. “Somos uma indústria farmacêutica certificada com Boas Práticas de Fabricação (BPFs), isso nos garante um controle de toda a cadeia produtiva, desde o princípio ativo empregado até a dispensação ao consumidor. Utilizamos técnicas sofisticadas e padrões de referência internacionalmente aceitos em cada ml de Canabidiol que será consumido”.

Prescrição médica
Os novos produtos ampliarão as alternativas de prescrição para os profissionais médicos, possibilitando tratamentos com menores concentrações para diferentes patologias. Conforme explica o Diretor da área de Prescrição na indústria, Edilson Bianqui, são mais opções com a garantia da qualidade Prati-Donaduzzi. “Entregamos produtos com grau farmacêutico, padronizados e seguros, os quais o médico tem segurança em prescrever e o paciente em utilizar”, finaliza.

Médica brasileira lança série de
animação sobre a Covid-19

Camila Maciel, pós-doutora em Epidemiologia e Medicina Preventiva pela Universidade de Boston, mostra por que crianças também devem aliar o uso de máscaras e distanciamento físico contra a disseminação do coronavírus

Os terríveis coronavírus tentando ultrapassar a máscara, na animação “O Menino da Máscara Amarela”, criação da médica brasileira Camila Maciel, pesquisadora da Universidade de Boston. Ilustração: Gabriel Bitar/CriatividadeX

O Menino da Máscara Amarela. É assim, unindo informação com diversão, que a médica brasileira Camila Maciel busca alertar pais e crianças no combate à Covid-19, já considerada a maior pandemia do século, com um rastro de mais de 109 milhões de infectados no mundo todo, cerca de 2,5 milhões de mortos, 240 mil deles só no Brasil. Com vídeos animados de 1 minuto, a médica, radicada em Boston, nos EUA, lança em seu canal no Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=cVDihaL8HMc) o primeiro episódio de uma série sobre Covid-19 com dicas de prevenção e saúde.

A animação idealizada por Camila Maciel tem direção de arte de Gabriel Bitar, roteiro de Emily Hozokawa, locução de Luciana Ramanzini, produção executiva de Reynaldo Marchesini e execução da Criatividade X, produtora educativa da qual Camila é sócia. O primeiro episódio destaca a importância do distanciamento físico aliado ao uso de máscaras por crianças para evitar a propagação do novo coronavírus. E ressalta que, sozinhas, as máscaras – sejam as de tecido ou de TNT, as chamadas cirúrgicas – não têm 100% de eficácia. É preciso manter o distanciamento físico. “As crianças são muito sensíveis ao trabalho educativo. E acabam se tornando grandes influenciadoras na família, dando até bronca nos pais. Daí a importância de educarmos esse público. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), crianças acima de 5 anos precisam também usar máscaras, especialmente se há transmissão generalizada na área onde a criança reside. Mas as máscaras não podem dar a falsa sensação de segurança. Elas precisam estar acompanhadas de distanciamento físico e de cumprimento das orientações de quarentena de cada município, além dos hábitos de higiene, como a lavagem das mãos com água e sabão por 20 segundos”, adverte Camila Maciel, idealizadora do projeto. Médica endocrinologista pela Universidade de São Paulo, doutora em Cardiologia pelo Incor-USP, pós-doutora em Epidemiologia e Medicina Preventiva pela Universidade de Boston, professora de universidades públicas e privadas e que tem projetos premiados de prevenção em saúde voltados para crianças.

Camila aposta na força das redes sociais para disseminar conteúdos científicos durante a pandemia e combater as fake news, o fenômeno da “infodemia”, segundo a OMS. Mineira de Baependi (MG), ela coordenou, mesmo à distância, morando nos EUA, grupos de whats app, logo no começo da pandemia, em março de 2020. Produzindo áudios, vídeos e textos, Camila, ao lado de médicos, religiosos e líderes comunitários, mobilizou a comunidade local com dicas de prevenção, uso correto de máscaras, higienização e conscientização de que a pandemia era grave e de que não seria passageira. Conscientização que se faz ainda mais importante, agora, num cenário em que novas variantes e com maior potencial infeccioso do coronavírus se espalham pelo Brasil e num contexto em que a vacinação segue lenta e insuficiente para imunizar toda a população.


Para assistir ao vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=cVDihaL8HMc

Sobre a médica Camila Maciel:
Educação em saúde. Essa paixão é o que move a médica, pesquisadora, cientista e professora Camila Maciel e que a fez sair da pequena e rural Baependi, no Sul de Minas Gerais, para o mundo. Aos 39 anos, Camila não se contentou apenas com uma bem-sucedida carreira em seu consultório. Médica endocrinologista pela Universidade de São Paulo, doutora em Cardiologia pelo Incor-USP e pós-doutora em Epidemiologia e Medicina Preventiva pela Universidade de Boston, Camila já na graduação se interessou por ações comunitárias e fez teatro em escolas na zona rural da sua cidade natal sobre Medicina Preventiva. Nascia ali a semente para ações educativas em saúde e o desejo de popularizar o conhecimento médico. Sua tese de doutorado analisou os componentes hereditários de doenças como obesidade, diabetes e hipertensão pesquisando núcleos familiares de Baependi (MG). Camila, através do projeto “Corações de Baependi”, o primeiro estudo familiar do Brasil em doenças cardiovasculares, foi indicada ao prêmio de pesquisadora sênior, em 2014, no Congresso Brasileiro de Cardiologia.

A paixão por ações comunitárias sobre prevenção de doenças a levou a cruzar fronteiras, inclusive as da Medicina, concretizando o internacional “Little Hearts”. Unindo arte, poesia e teatro de fantoches, o projeto levou conhecimentos sobre alimentação saudável e prevenção da obesidade a mais de 10 mil crianças de escolas públicas e privadas de Minas Gerais, do Paraná e até de Framingham, cidade com o maior número de imigrantes brasileiros nos EUA. Atualmente, Camila mora em Boston e colabora como pesquisadora nas prestigiadas Harvard University e MIT. Atuou também como pesquisadora no Framingham Heart Study, um dos maiores centros de estudos na área da Cardiologia do mundo, pioneiro, desde 1950, na pesquisa epidemiológica de compreensão das doenças cardiovasculares e seus fatores de risco. Divulgadora científica incansável e multimídia, autora de iniciativas e poesias, montou a Criatividade X, produtora que desenvolve projetos de ciência com entretenimento. Com formatos como vídeos, animações e, em breve, ebooks, busca aliar saúde e diversão, para impactar um público cada vez maior e para além dos muros acadêmicos. Criatividade com tecnologia para popularizar a ciência e humanizar a medicina.

Serviço:
https://criatividadex.com/
Facebook: / DraCamilaMaciel
Instagram: @camilamacielmedicina
Twitter: @dracamilamaciel
Youtube: /Dra. CamilaMaciel