Presidente da Anvisa diz que não quis ‘jogar água no chope’ e decisão foi técnica

O presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, afirmou que é preciso aguardar documentos com informações detalhadas para tomar uma decisão sobre os testes da vacina Coronavac, suspensos pelo órgão na segunda-feira, 9.

De acordo com a Anvisa, houve um evento adverso grave não esperado, o que motivou a decisão. A vacina desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, contra o novo coronavírus. Em coletiva de imprensa, Torres afirmou que a agência não quis “jogar água no chope”, mas tomou uma decisão técnica.

A diretora da Anvisa Alessandra Bastos, responsável pela área de medicamentos do órgão, afirmou que o evento relatado pelo Butantan não trouxe nenhum detalhamento. “Perguntaria aos que estão em casa: na dúvida, o que fariam?”, declarou Bastos. O protocolo, reforçou, é seguido quando há informações incompletas. De acordo com ela, o evento foi informado por meio de um formulário padrão, sem detalhes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *