Bacalhau marca presença na mesa do brasileiro nesta Páscoa

De procedência nobre, o bacalhau marca presença na mesa do brasileiro nas datas festivas como a Sexta-feira Santa e o Natal. Característico de águas geladas e profundas, com a cotação do dólar o peixe está mais ‘salgado’ neste ano. Mas para manter a tradição, há quem não abre mão do alimento no almoço em família. Com inúmeras propriedades nutricionais e baixa caloria, o bacalhau ainda tem a vantagem da versatilidade, podendo ser utilizado em diversas receitas.

Mas você sabia que bacalhau não é o nome do peixe? O nome, na verdade, diz respeito ao processo de salga e secura que o pescado passa. O bacalhau pode ser feito a partir de diversos tipos de peixes. De acordo com o nutricionista Eduardo Szpak, os principais são Bacalhau do Porto, do Pacífico ou da Groelândia.

A textura, coloração e o cheiro do verdadeiro bacalhau é o que o diferencia dos ‘peixes salgados’, espécies comercializadas com preço bem menor. E o verdadeiro bacalhau apresenta inúmeros nutrientes. “Por conta da sua origem, o bacalhau concentra uma grande quantidade de ômega 3 sendo bom para pessoas que sofrem de doenças do coração ou diabetes, para reduzir a depressão e o estresse. Também contém vitamina A e D e vitaminas do complexo B. Além disso, é um alimento rico em proteínas e com baixa densidade calórica”.

PREPARO – Mesmo sendo um peixe que passou por um processo de salga e secura, é preciso cuidados na hora de comprar, armazenar e preparar o alimento. O bacalhau é um peixe caro, se comparado aos peixes mais consumidos no dia a dia. Portanto, deve-se ter cuidado com ofertas muito fora da realidade e não levar para casa um ‘peixe salgado’.

“É preciso observar a procedência e o local que está sendo comercializado.

Com a alta do dólar e todos os processos envolvidos com o peixe, o bacalhau acaba ficando mais caro. Quando vemos um preço muito barato, já desconfiamos”, cita.

Em casa, o armazenamento do bacalhau deve ser feito da forma correta para não perder as propriedades nutricionais e evitar contaminação. “Com as altas temperaturas, deixar o peixe fora da geladeira é ariscado”, complementa Szpak. Já em relação ao manejo, o nutricionista lembra que cada receita segue um modo de preparo que envolve tirar a pele, as espinhas, desfiar ou preparar as postas. Em todos os casos, dessalgar o peixe requer cuidados para não ressecar a carne e tirar o sabor e as propriedades do alimento. “Não é interessante ferver o bacalhau porque pode deixar a textura ressecada e o paladar não fica bom”, acrescenta o nutricionista.

TRADIÇÃO – Trazido da Noruega para o Brasil, em 1808, pela Família Real Portuguesa, o bacalhau agradou o paladar do povo brasileiro. O peixe é muito consumido na Sexta-feira Santa, porém outros peixes, mais em conta, também incrementam o cardápio. O nutricionista lembra que o bacalhau assim como outros peixes, tradicionalmente, devem ser consumidos nesta data com sentimento de humildade. “Antigamente, o peixe era o alimento escolhido para esse período porque tinha em abundância e por ser muito barato. Sabendo disso, não necessariamente precisamos ir atrás do melhor peixe, do bacalhau mais caro pensando nessa questão da humildade. Se olhamos para a nossa região a produção de peixe é grande e a tilápia pode ser uma ótima opção mais em conta e com valor nutricional”, conclui Szpak.

Bacalhoada de Forno

Ingredientes

1 quilo de lombo de bacalhau dessalgado

1 quilo de batatas médias, sem casca e cortadas em rodelas finas

3 cebolas cortadas em rodelas finas

1 pimentão verde, sem o miolo, cortado em rodelas finas

1 pimentão vermelho, sem o miolo, cortado em rodelas finas

1 pimentão amarelo, sem o miolo, cortado em rodelas finas

4 ovos cozidos e cortados em rodelas finas

700 mililitros de azeite de oliva extravirgem

Pimenta do reino a gosto

Azeitonas pretas para decorar

Salsinha cortada bem miúda, para decorar

Modo de Preparo

Em uma panela suficientemente grande, acomode os lombos de bacalhau e acrescente água filtrada, aproximadamente até as postas serem cobertas pelo meio, deixando-as cozinhar por cerca de 20 a 30 minutos. É importante verificar com frequência se a água não está completamente seca, evitando, assim, que o bacalhau grude no fundo da panela.

Caso seja necessário, vá acrescentando água até o bacalhau cozinhar. O tempo de cozimento dependerá da altura da posta do peixe. Para saber o ponto exato em que o fogo deve ser desligado, é só espetar um garfo nas postas e verificar se o peixe está cozido, mas sem desmanchar. As postas devem ficar inteiras e pré-cozidas, pois o bacalhau será posteriormente levado ao forno, onde atingirá seu cozimento ideal.

Cozinhe também as batatas cortadas em rodelas finas, até ficarem al dente. Em outra panela, despeje um pouco de azeite de oliva e frite as cebolas e os pimentões, até que fiquem dourados, temperando a mistura com pimenta-do-reino a gosto.

A importância de pré-cozinhar as batatas e fritar as cebolas e pimentões é para evitar que no forno acumulem água. Nunca devem ser utilizados crus.

Feito isso, separe uma refratária oval e alta onde será montada a bacalhoada da seguinte forma: cubra por completo o fundo da travessa com as batatas cozidas, formando uma “cama” para acomodar o bacalhau, regando-as com azeite de oliva.

Acrescente metade da cebola e pimentões fritos. Suavemente transporte as postas cozidas da panela para a refratária, com cuidado, para que não despedacem. Acrescente o restante das cebolas e pimentões fritos regando tudo com azeite de oliva. Delicadamente monte a última camada, acrescendo os ovos cozidos e as azeitonas pretas, abusando do azeite de oliva até que o fundo complete a metade da altura da travessa.

Leve a refratária ao forno preaquecido por aproximadamente 40 minutos. Dependendo da intensidade da chama, há fornos em que o tempo será menor. O importante é que se verifique que o azeite está fervendo e, consequentemente, todos os ingredientes da receita, que terão seu sabor definidos ali, razão pela qual deve-se deixar a travessa no forno até que o azeite esteja fervendo bem. Assim que retirar a receita do forno, salpique a salsinha e sirva em seguida.

Tilápia assada no forno

Ingredientes

1 tilápia

Suco de um limão

1 tomate maduro cortado em rodelas

1 cebola picada em rodelas

Tempero a gosto

Azeite

2 batatas médias

Salsa desidratada

Modo de preparo

Coloque o peixe em um tabuleiro forrado com papel alumínio. Lave bem o peixe com o suco do limão. Tempere-o por dentro e por fora com seu tempero preferido. Eu usei tempero de alho e sal. Banhe-o com bastante azeite. Coloque as rodelas de batata, a cebola e o tomate ao redor do peixe. Salpique a salsa nas batatas e cubra o peixe com as duas abas do papel alumínio. Asse o peixe em forno preaquecido em 200°C durante 30 minutos. Descubra-o e asse por mais 20 minutos, aproximadamente, ou até secar um pouco a água. Regue com o líquido para ficar tenro e apetitoso. Sirva com arroz branco e salada verde.

Da Redação

TOLEDO