Senhora de 75 anos realiza doação de órgãos em Toledo

0 629

Em 17 anos de atuação da Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) da Hoesp/Hospital Bom Jesus, pela primeira vez acontece a captação de órgãos de uma pessoa com 75 anos. A captação ocorreu na manhã de segunda-feira (12); os dois rins foram doados.

“Isso foi algo inédito”, afirma o enfermeiro coordenador da IHDOTT Itamar Weiwanko. “Em todo esse tempo de trabalho da CIHDOTT nunca tinha ocorrido uma captação de órgãos de uma pessoa com essa idade”, declara o profissional.

Weiwanko relata que a paciente deu entrada no Hospital Bom Jesus após ter sofrido um AVC isquêmico. Ela foi atendida pelo SAMU e quando chegou ao hospital já estava entubada e seu estado de saúde era instável. No último sábado (10) foram realizados os primeiros exames para confirmação de morte encefálica. Após ser seguido todo o protocolo – de nível nacional – a morte cerebral foi confirmada.

“No domingo (11), a equipe de abordagem da CIHDOTT conversou com os familiares da paciente sobre a possibilidade de doação de órgãos. A família ficou surpresa com isso e optaram por fazer a doação. Com a autorização do esposo e dos filhos, ela foi encaminhada para o centro cirúrgico e foi constado que os dois rins estavam viáveis para transplante. Eles captados e encaminhados para Curitiba, para a Central de Doações”, explica.

GESTO DE GENEROSIDADE – A captação somente acontece após a autorização da família do paciente. O coordenador da CIHDOTT destaca que sempre que a resposta a abordagem é um sim é uma forma de ajudar o próximo, é um ato de generosidade que permite salvar a vida de outra pessoa.

“A família mesmo vivendo um sentimento de dor e tristeza optou em ajudar outras duas famílias ao autorizarem a captação e doações dos dois rins. Isso é um gesto de amor, é algo que merece ser reconhecido. Fica o nosso agradecimento por essa família e por todas as outras que disseram sim”, declara.

ESPERANÇA – No Estado, em 2022, tinham 3.100 pessoas na fila de espera. Em dezembro do ano passado, este número já estava em 3.600. Um fator que pode contribuir com as taxas de aceite de doação de órgãos é conversar com os familiares sobre o assunto.

A CIHDOTT – A Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) da Hoesp/Hospital Bom Jesus é composta por uma equipe multidisciplinar que executa com empenho e dedicação todas as etapas que envolvem a doação e a captação de órgãos. Esses profissionais estão em constante capacitação – se atualizando anualmente nas questões do processo com base no protocolo que é instituído pelo Sistema Nacional de Transplantes e focamos na aplicação das diretrizes e normativas impostas por essas legislações – para que cada vez mais possam executar tal missão com maestria.

REFERÊNCIA NO ESTADO – A Hoesp/Hospital Bom Jesus tem sido referência no Paraná em relação a taxa de aceitação no processo de doação de órgão. No ano passado foram realizadas 20 entrevistas, do total, 18 famílias falaram sim e autorizaram a doação de órgãos. A taxa de conversão foi de 90%. O ato de salvar vidas é uma escolha da família sempre que aceitam dizer sim. A doção de órgãos envolve o sentimento de querer ajudar o próximo.

Da Redação

TOLEDO

Deixe um comentário