Anfavea prevê crescimento de 15% das vendas de veículos em 2021

Junto com os resultados finais do ano passado, a Anfavea, entidade que representa as montadoras, divulgou nesta sexta-feira, 8, previsões que apontam a um crescimento de 15% do mercado de veículos em 2021.

Se a previsão for confirmada, o consumo de veículos no País vai chegar a 2,37 milhões de unidades até o fim de dezembro, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus. Trata-se de um resultado positivo, mas que recupera não mais do que metade das vendas perdidas para a pandemia no ano passado.

Em 2019, antes, portanto, do coronavírus, a indústria automotiva vendeu 2,79 milhões de veículos, um número que, conforme executivos de montadoras, só deve ser repetido em 2023.

Ao divulgar as previsões, o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, disse que as projeções são conservadoras em razão das incertezas deste ano. Como exemplo, ele disse não saber quais serão as restrições a serem anunciadas pelo governo de São Paulo no combate ao repique da pandemia.

A premissa das previsões da Anfavea é de um crescimento de 3,5% da economia brasileira em 2021 e disponibilidade de crédito a prazos e taxas “favoráveis”.

Para as exportações, a expectativa é de crescimento de 9% dos volumes, o que significará, caso a previsão seja concretizada, o embarque de 353 mil veículos, tendo a Argentina como principal destino.

Com a retomada do crescimento tanto do mercado doméstico quanto das exportações, a produção das montadoras, conforme o prognóstico da Anfavea, deve subir 25% neste ano, chegando a um total de 2,52 milhões de veículos. Moraes destacou que, neste patamar, a indústria automotiva vai usar neste ano apenas metade de sua capacidade instalada, de 5 milhões de veículos por ano.