BCE: apoio da política monetária será necessário bem depois do fim da pandemia

Dirigente do Banco Central Europeu (BCE), Fabio Panetta disse nesta terça-feira, 2, que o apoio da política monetária será necessário até bem depois do fim da pandemia de covid-19. Em discurso que fez durante evento da Universidade Bocconi, em Milão, Panetta afirmou que o BCE precisará continuar agindo até que a inflação da zona do euro atinja 2%, de forma sustentável, “em um ambiente de crescimento robusto e emprego em alta”.

Segundo Panetta, a perspectiva de crescimento no curto prazo está inclinada para baixo e a força da recuperação econômica, quando for possível reverter os bloqueios motivados pelo coronavírus, é incerta.

Panetta disse ainda que os riscos de se fornecer poucos estímulos continuam sendo muito maiores do que os de fornecer muitos estímulos. “Devemos estabelecer a credibilidade de nossa estratégia, ao demonstrar que aperto (monetário) não justificável não será tolerado”, declarou.

Também afirmou que o recente aumento da inflação na zona do euro será temporário e que é preciso resistir à tentação de reduzir a acomodação da política monetária.

Panetta defendeu ainda que o BCE não hesite em aumentar suas compras de ativos e implementar o volume inteiro do programa emergencial conhecido como PEPP ou até mesmo ampliá-lo, se preciso.