BCE diz ter elevado compras de ativos para evitar aperto em condições financeiras

O integrante do Conselho do Banco Central Europeu (BCE) Frank Elderson reforçou nesta terça-feira que a instituição aumentou o ritmo de compras de ativos para evitar um aperto nas condições financeiras. “O aumento é precisamente um reflexo da flexibilidade embutida no PEPP”, escreveu o economista em uma sessão de perguntas e respostas no Twitter oficial da instituição, citando a sigla do programa de compra de ativos da autoridade monetária.

De acordo com Elderson, um aperto nas condições de financiamento na zona do euro colocaria em risco o retorno da inflação aos níveis anteriores à pandemia de covid-19. Na semana passada, em sua decisão de política monetária, o BCE informou que as aquisições de títulos públicos serão feitas a um ritmo “bem maior” no próximo trimestre.

A decisão ocorreu em meio a uma alta nos juros de longo prazo no mundo puxada pelo aumento dos rendimentos dos Treasuries, em meio a crescentes expectativas de inflação nos Estados Unidos.

O dirigente também disse que a compra de títulos pode levar a preços mais altos de ativos, mas que ajuda a manter empregos. “Estamos monitorando de perto os efeitos colaterais de nossas medidas e análises têm mostrado consistentemente que os efeitos positivos superaram os negativos”, afirmou.