Brandão: não observamos ainda uso da cota de importação de arroz com taxa zero

O subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Herlon Brandão, destacou nesta terça-feira, 3, que o crescimento das importações de arroz em outubro ocorreu com origem em países do Mercosul, que já tinham tarifa zero para o produto. Para tentar conter o preço do arroz no mercado doméstico, o governo liberou a importação com taxa zero de até 400 mil toneladas do produto até o fim do ano.

De acordo com dados da pasta, houve um aumento de 114% nas compras de arroz sem casca em outubro, na comparação com o mesmo mês de 2019, passando de 69,9 mil toneladas para 102 mil toneladas. As principais origens do grão foram Paraguai, Argentina e Uruguai.

“São países do Mercosul que já tinham tarifa zero. Portanto, não observamos ainda uso da cota de importação de arroz com taxa zero”, apontou.

Ainda em outubro, houve queda de 54% nas importações arroz com casca. O tipo de grão, porém, é residual dentro das compras do exterior, com volume pequeno 2,5 mil toneladas no mês passado, ante 10,4 mil toneladas em outubro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *