BRDE tem avaliação positiva em ranking que mede classificação de risco

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) fechou o primeiro semestre deste ano com uma classificação de risco de longo prazo, escala nacional, em A.br, com perspectiva estável. A avaliação foi conferida pela Moodys Local, agência de rating que presta serviços a diferentes instituições financeiras do Brasil, entre elas o BRDE e outros bancos públicos ou de fomento.

Entre os pontos positivos, o relatório da agência aponta que o BRDE fechou o último exercício (dezembro de 2020) com um índice de atrasos nos pagamentos (inadimplência) sobre a carteira de crédito de apenas 0,4%. “A avaliação demonstra que o banco tem uma gestão bastante sólida e atua com critérios na avaliação dos projetos, o que reforça a confiança junto aos nossos parceiros, como o BNDES e as instituições internacionais”, destacou o vice-presidente e diretor de Operações, Wilson Bley Lipski.

Ele observa que a classificação de rating é importante para reforçar a credibilidade do banco na sua estratégia de diversificação de fontes para captação de recursos, o que inclui possibilidades no futuro de atuar junto ao mercado de capitais (emissão de RDBs). “Nos últimos anos, o BRDE vem avançando muito nessa diversificação de fundings através de operações com parceiros internacionais, o que reforça o nosso alinhamento com a pauta da sustentabilidade”, acrescentou Bley.

No relatório que emitiu ao mercado, a Moodys observou que “o rating do BRDE reflete o papel estabelecido do banco na promoção do desenvolvimento nos estados relativamente prósperos do Sul do Brasil, a posição como um dos maiores repassadores dos recursos do BNDES para o setor agrícola e níveis sólidos de capitalização”.

A agência conclui indicando que a perspectiva estável reflete a expectativa de manutenção dos fundamentos de crédito consistentes com o atual nível de rating ao longo dos próximos 12-18 meses.

O BRDE fechou 2020 com mais de R$ 3,3 bilhões em crédito para investimentos e capital de giro a empreendedores dos três estados acionistas – Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, além da parceria com Mato Grosso do Sul. Entre os maiores bancos em tamanho de carteira de crédito do Brasil, com R$ 13,5 bilhões, a instituição celebrou 60 anos de trajetória no último dia 15 de junho.

Da AEN