BRF doa R$ 2,8 milhões para campanha da Abras

Para ajudar no enfrentamento da pandemia de Covid-19 e fortalecer ainda mais a parceria com o varejo, a BRF contribuiu para a campanha Doação Super Essencial da Abras (Associação Brasileira de Supermercados) com R$ 2,890 milhões. O montante será revertido em cartões no valor de R$ 100,00, que serão distribuídos para a população em situação de vulnerabilidade e podem ser usados em todos os supermercados do País. O cartão não é recarregável, mas pode ser usado várias vezes em supermercados diferentes, até que todo o valor seja utilizado.

“A Abras, que é uma importante representante do varejo, tem uma relação sólida com a BRF, que se fortalece ano a ano. Por compartilharmos da crença de que trabalhando juntos podemos fazer muito mais pelo País, dando apoio àqueles que mais precisam, decidimos abraçar a Campanha. Além de estar alinhada com nossos critérios de Governança, entendemos que o impacto nas comunidades seria extremamente importante”, afirma Sidney Manzaro, vice-presidente de Mercado Brasil da BRF.

A doação faz parte de um conjunto de R$ 100 milhões anunciados pela BRF para auxiliar no combate à pandemia de Covid-19. A iniciativa contempla ações em 15 estados brasileiros e em países onde a BRF possui unidades produtivas, centros de distribuição e escritórios corporativos.

Podem ajudar na campanha supermercados, indústrias e pessoas físicas ou jurídicas em geral. Acima de R$ 5 mil, é possível confeccionar cartões no valor de R$100,00 e distribuí-los para entidades ou diretamente em comunidades que precisam do apoio. Abaixo de R$ 5 mil, os valores serão destinados para a ONG Ação Cidadania e convertidos em cestas básicas que serão distribuídas em rede nacional para as comunidades em situação de vulnerabilidade do País. “Resolvemos fortalecer ainda mais esse momento difícil que a população vem vivendo. Lançamos a campanha Doação Super Essencial acompanhando o movimento do setor como fundamental e contando com a ajuda de parceiros da indústria para fazer isso acontecer”, diz João Carlos Galassi, presidente da Abras.

SÃO PAULO