É desafio preencher hiato de conexão no País junto com oferta de 5G, diz ministro

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, iniciou sua participação em um fórum para atrair investimentos lamentando as mortes no Brasil pela covid-19. “Estamos de luto pelas vidas perdidas, mas, desde o início da pandemia, nunca paramos de trabalhar duro para entregar as concessões”, disse. “O presidente Jair Bolsonaro sempre advogou sobre saúde e emprego para evitar paralisar a economia”, avaliou, em inglês.

Ele também destacou o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), cujos dados foram divulgados mais cedo pelo IBGE. “É um novo Brasil que está crescendo depois da pandemia”, considerou.

Especificamente sobre sua área, o ministro destacou que uma grande fatia da população brasileira ainda não tem acesso à internet. “É grande, portanto, o desafio de preencher hiato de conexão ao mesmo tempo em que estamos oferecendo tecnologia 5G”, considerou.

Faria disse que o 5G é um projeto voltado para dar apoio à cadeia de fornecimento produtivo. “No Brasil, não vamos realizar um processo de compra com base em outros fatores. Buscamos aqui a cobertura de internet e queremos empresas que olhem para a inclusão digital”, pontuou.

Ele apontou ainda que há muitas oportunidades para os pequenos fornecedores e destacou que o País terá um melhor ambiente regulatório em cinco anos, tornando o setor mais previsível. “Agora é o momento para capturarmos essas oportunidades”, declarou.

O ministro fez estas observações durante o painel “Oportunidades Setoriais e regionais para o investimento estrangeiro”, realizado no segundo dia do Fórum de Investimentos Brasil 2021 (BIF), um evento internacional sobre atração de investimentos estrangeiros para o Brasil, organizado pela Apex-Brasil, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e governo federal.