Em um ano, gasolina subiu 43,06% no País, mostra ValeCard

Em maio, o preço médio da gasolina registrou variação positiva pelo 12º mês seguido. Depois de uma ligeira alta de 0,18% em abril, o valor subiu 1,67% nos postos de combustíveis do País. Em média, o litro foi vendido a R$ 5,832, sendo que no mês anterior o preço médio foi de R$ 5,737.

Em um ano, o preço da gasolina subiu 43,06% no Brasil (em maio de 2020, o valor médio era de R$ 4,01). As informações são da ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas.

Obtidos por meio do registro das transações realizadas entre os dias 1º e 30 de maio com o cartão de abastecimento da ValeCard em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados, os dados mostram que as maiores altas foram registradas no Amapá (6,64%) e no Piauí (4,53%).

Em apenas um Estado, Sergipe, o preço médio registrou queda (-0,46%).

As capitais do Rio de Janeiro (R$ 6,277) e do Acre (R$ 6,268) foram as que apresentaram maiores preços médios em maio. Já Manaus (R$ 5,232) e Curitiba (R$ 5,354) registraram os menores valores.

Etanol só é vantajoso em Mato Grosso

Rio de Janeiro (R$ 5,227) e Rio Grande do Sul (R$ 5,224) registraram os maiores preços médios do etanol em maio.

Conforme o levantamento, apenas em Mato Grosso compensa abastecer o veículo com etanol. A opção só é vantajosa quando o litro do derivado da cana-de-açúcar custar 70% (ou menos) do que o litro da gasolina.